Sejam Bem-Vindos!

Meu nome é J. Alencar, e nasci em mil e novecentos e cinquenta e dois. Aos quarenta e seis anos de idade Cristo me encontrou em meio à multidão, como quem acha uma agulha num palheiro. A partir de então meu coração se viu declinado a expor o Evangelho, pra honra e glória de Deus (Pai), na pessoa do Filho. Entendo que Cristo (Messias, Filho de Deus desde o princípio) é o Verbo (Palavra, Realização) de Deus.
Eu declaro que não sou profeta nem tenho nenhuma revelação como tal. Eu sou um simples atalaia que foi tocado pelo Espírito Consolador (João 15:26) e tento levar a Palavra-de-Deus dentro dos meus limites de conhecimento. Não reivindico a originalidade do que aqui compilei, pois se trata simplesmente daquilo que consegui coletar de homens piedosos que se reúnem ao nome do Senhor Jesus, segundo “Mateus 18:20”.

João, Capítulo 1, Versículos:
1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 Ele estava no princípio com Deus.
3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.
11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome;
14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.
18 Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.
O Senhor Jesus (Cristo) É Deus:
Porque a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho? (Hebreus 1:5).
Como também está escrito no salmo segundo: Meu filho és tu, hoje te gerei. (Atos 13:33).
[Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei. (Sl.2:7)]

Deus não disse isso (tu és meu filho) pra nenhum anjo ou arcanjo nem ninguém, senão ao seu próprio Filho que saiu das suas entranhas de Luz Inacessível.
Em “Mt.3:16-17” as Três Pessoas de Deus se manifestam juntas, aos homens:
O Pai→(forma de voz), o Filho→(presença física), e o Espírito-Santo→(forma de pomba).
E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.
E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.
(Mateus 3:16-17).

Negar a plena divindade do Senhor Jesus (Cristo) é negar ao próprio Senhor Jesus, pois fora de Deus não há salvador. Isso testifica que o Filho de Deus é tão Deus quanto seu Pai:
Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salvador. (Isaías 43:11).
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. (Lucas 2:11).
Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai. (1 João 2:23).
Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; (Colossenses 2:9).
E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna (1 João 5:20).

Anunciamos a Bíblia inteira como Eterna Palavra de Deus, escrita, inspirada pelo Espírito Santo, infalível, sendo guia seguro para fé e conduta cristã.
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. (2 Timóteo 3:16-17).
Ninguém poderá por outro fundamento:
• Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador. (2 Pedro 3:2)
• Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. (1 Coríntios 3:11)
• Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, (1 Timóteo 6:3-4)
• Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. (João 14:26)

Qualquer outro ensinamento, além do que já está posto, é maldito:
• Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
• Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. (Gálatas 1:8-9)

Nossa Única Esperança Está no Senhor Jesus (Cristo)
O Que Realmente Importa?

As Boas Novas (O Evangelho)

A Grande Comissão:
• O evangelho de Mateus termina com Jesus dando aos discípulos a missão de anunciar o evangelho, palavra que significa “as boas novas”. Aquele que é Senhor e tem toda a autoridade no céu e na terra, envia seus discípulos para que façam discípulos de todas as nações, os batizem em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e lhes ensinem tudo o que ele lhes ensinou.
• Toda a autoridade, todas as nações, tudo o que receberam. Não há limites. E ele promete estar com seus discípulos todos os dias até a consumação dos séculos. Você crê em Jesus? É um discípulo dele? Está anunciando essas boas novas? Tem certeza de que são boas e novas? Por que pergunto?
• Bem, se você sair por aí dizendo que as pessoas precisam frequentar essa ou aquela igreja para serem salvas, você não está anunciando as boas novas. Lembre-se de que os discípulos não eram membros de alguma organização e nem tinham qualquer denominação para identificá-los. Eles eram chamados de cristãos porque seguiam o Cristo. Eles convidavam as pessoas a crerem em Jesus, a pertencerem a uma Pessoa, Jesus, não a uma igreja ou religião.
• Se as boas novas que você anuncia não passam de uma lista de regras, elas não são novas. Bem antes de Cristo já havia uma lista de mandamentos que, apesar de bons, não podiam salvar. Se pudessem, Jesus não teria vindo morrer e ressuscitar. Além disso não é uma boa notícia dizer que para ser salva a pessoa deve cumprir uma lista impossível. Tente obedecer apenas um dos Dez Mandamentos: “Não cobiçarás”, o que inclui não desejar algo ilícito. Se você diz que é capaz, então está transgredindo outro mandamento: “Não darás falso testemunho”.
• Existem outras mensagens por aí que estão sendo chamadas de evangelho ou boas novas, mas não são. Por acaso você considera uma boa notícia dizer a alguém que precisa reencarnar e voltar a este mundo mais uma dúzia de vezes para eliminar seu carma? Que vai voltar para sofrer e pagar pelo que fez em outra vida da qual nem se lembra? Não caia nessa. Isso não é evangelho, não é uma boa notícia, é péssima notícia.
• Boa notícia é você descobrir que alguém pagou uma dívida que você jamais conseguiria pagar. Boas novas é ouvir que basta crer no Filho de Deus para ser perdoado completamente. É esse o evangelho que Jesus mandou anunciar, são essas as boas novas: que Cristo morreu por nossos pecados, conforme anunciavam as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, também conforme as Escrituras.
• Considerando que outro já pagou o preço de sua salvação, ao crer em Jesus você pode ter a certeza da vida eterna sem ser acusado de pretensioso, porque isso não depende de seus esforços ou de sua caridade. Aliás, como é que você poderá anunciar aos outros as boas novas se não tiver a certeza de que elas foram boas para você? Como pode indicar a outros como chegar ao céu se não sabe se vai chegar lá?
Fonte: Mário Persona.

O Evangelho do Reino não deve ser confundido com o Evangelho da Graça de Deus (Atos 20:24), que os cristãos estão pregando atualmente. O Evangelho da Graça de Deus promete justificação pela fé em Cristo e um lar com Ele no céu por toda a eternidade. O Evangelho do Reino declara as boas novas da vinda do Rei que estabelecerá Seu Reino, em poder, sobre a terra. Aqueles que vierem a crer no evangelho do Reino quando voltar a ser pregado, e forem preservados durante a tribulação, entrarão no Reino para usufruir de suas bênçãos sobre a Terra. Trata‑se do mesmo evangelho que era pregado antes do Pentecostes por João Batista (Mt.3:1-2), pelo Senhor Jesus Cristo, o Rei (Mt.4:17), e por Seus discípulos (Mt.10:5-7).
O Evangelho do Reino foi interrompido porque Israel matou o seu Messias; com isso Deus congelou (desativou provisoriamente) seu povo (Israel, Oliveira), enxertando a Igreja (Zambujeiro) até que esta cumpra seu tempo e seja arrebatada, para então Israel voltar à ativa e completar a pregação do Evangelho do Reino (Mt.24:14).
E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira,
Não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti.
Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado.
Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme.
Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também.
Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado.
E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.
Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!
Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado.
E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades.
E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados.
Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais.
Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.
Porque assim como vós também antigamente fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia pela desobediência deles,
Assim também estes agora foram desobedientes, para também alcançarem misericórdia pela misericórdia a vós demonstrada.
Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia.
Romanos 11:17-32

Paulo confirma outra vez em “1Co.13:9-10” que a Igreja (noiva de Cristo) tem um tempo limitado de existência na Terra, e que esse tempo se encerrará com o retorno de Cristo para os seus (Israel), para reinar em poder durante o Milênio:
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. (1 Coríntios 13:9-10).
Deus levantou Paulo para pregar o Evangelho da Graça (Atos 20:24) e revelar os Mistérios que a nenhum Profeta da Lei nem os Anjos do Céu tinha dado a conhecer, mas que estavam ocultos somente em Deus:
A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo,
E demonstrar a todos qual seja a comunhão do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;
Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus.
(Efésios 3:8-10)

Considere que Deus dá tratamentos (Dispensações) diferenciados entre Israel e Igreja. A Dispensação de Israel é diferente da Dispensação da Igreja. A Lei, dada a Israel, em toda sua extensão, incluindo os Dez Mandamentos, não tem vigor nenhum sobre a Igreja, pois o Sacerdócio do Senhor Jesus (Cristo) para a Igreja é segundo a ordem de Melquisedeque, enquanto que o Sacerdócio de Arão (Levita) é segundo a Lei dada a Moisés.
De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.
E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
(Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.
Hebreus 7:11-19

A Pregação das Boas Novas:
Jesus Enviou os Apóstolos ao Mundo com a boa-nova da salvação:
A missão de Jesus na Terra encerrou uns 40 dias depois da sua ressurreição (Atos 1:3). Seu trabalho com os apóstolos havia iniciado mais de três anos antes disso. Mas o trabalho deles estava apenas começando. Jesus lhes deu uma missão que faria valer para o mundo a vida e a morte do Messias. Ele deu aos apóstolos a responsabilidade de levar a palavra do evangelho ao mundo.
Preparações para o Trabalho (Atos 1:4-9):
Nos últimos dias de suas orientações para os apóstolos, Jesus lhes falou para esperarem em Jerusalém para receber o batismo com o Espírito Santo (Atos 1:4-5). Ele, também, descreveu as principais etapas da missão que lhes deu de pregar o evangelho ao mundo: sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra (Atos 1:8).
A Incumbência dos Apóstolos (Mateus 28:18-20; Marcos 16:15-18):
Mateus e Marcos relatam conversas entre Jesus e os apóstolos neste mesmo período, oferecendo mais detalhes sobre a tarefa que Jesus deu a estes servos.
Conforme o relato de Marcos, Jesus lhes disse: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado (Marcos 16:15-16).
Mateus deixou este relato das instruções de Jesus: Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho ordenado (Mateus 28:18-20).
Eles Foram Fiéis nesta Missão:
A sequência falada por Jesus em Atos 1:8 (Jerusalém Judeia Samaria Confins da Terra) serve para esboçar o trabalho dos seus discípulos durante as décadas seguintes. Eles começaram a pregar em Jerusalém e Judeia (Atos 2 a 7), levaram a palavra à Samaria (Atos 8) e, depois, aos confins da terra (Atos 9 a 28). A dedicação desta turma de convertidos foi tanta que Paulo afirmou, uns 30 anos depois da morte de Jesus, que o evangelho “foi pregada a toda criatura debaixo do céu” (Colossenses 1:23). É claro que o mundo naquela época tinha menos habitantes do que hoje, mas mesmo assim este comentário é impressionante. Sem veículos motorizados, sem rádio, sem telefone, sem televisão e sem a Internet, eles levaram a mensagem da cruz ao mundo inteiro em uma geração! Se os cristãos da nossa geração não conseguirem a mesma coisa, é porque falta algo que os cristãos primitivos, obviamente, possuíam: a dedicação e determinação de honrar o Senhor Jesus Cristo!
Implicações para os Dias de Hoje:
Devemos obedecer ao evangelho (Marcos 16:16; Mateus 28:19-20). Sem crer em Jesus, não há esperança (Atos 4:12). Sem o arrependimento dos nossos pecados, não há perdão (Atos 2:38). Sem o batismo, não há remissão dos pecados e não alcançamos a salvação (Atos 2:38; Marcos 16:16). E sem o compromisso de obediência total, não somos discípulos de Cristo (Mateus 28:20)
Devemos divulgar a mesma mensagem que eles pregaram no primeiro século. O evangelho é único para todos (Atos 17:30; Romanos 1:16; Hebreus 2:3). Nós devemos repassar o que aprendemos da vontade de Deus (2 Timóteo 2:2).
Desafios Práticos neste Dever:
Quando olhamos para a seriedade do trabalho e a dedicação dos trabalhadores na igreja primitiva, percebemos a importância de nos entregarmos ao serviço de Deus hoje em dia. Mas o “cristianismo” praticado por muitos, hoje, é uma religião branda e culta demais para provocar uma revolução parecida com o impacto do evangelho no primeiro século. Sem dúvida, muitos fatores têm contribuído a esta tendência de diluir a fé e tornar inofensiva a mensagem que transtornou o mundo 20 séculos atrás (Atos 17:6). Nunca vamos identificar todos os fatores, muito menos convencer todos da importância de mudar radicalmente a direção das suas vidas, mas podemos usar a base das orientações que Jesus deu aos apóstolos para ver alguns dos perigos que enfrentamos atualmente. Considere estes três:
(1) O perigo da negligência e da preguiça. Um dos maiores problemas entre muitos que se consideram seguidores de Cristo não é uma decisão deliberada de abandonar o Senhor, e sim uma atitude de negligência. É muito fácil se envolver com coisas desta vida – coisas que não são, necessariamente, erradas por si – até ao ponto de negligenciar as coisas que realmente têm importância. Jesus avisou sobre o perigo dos “cuidados do mundo e a fascinação das riquezas” sufocarem a palavra (Mateus 13:22). Será que nós andamos ocupados demais para servir ao Senhor?
(2) A falta de distinção entre o certo e o errado. A sociedade moderna se tornou educada demais para abraçar conceitos de certo e errado, verdadeiro e falso, e valores absolutos de moralidade e ética. Enfrentamos uma pressão constante para sermos politicamente corretos e tolerantes de todo tipo de aberração. No contexto religioso, muitos demonstram um espírito ecumênico que nega a necessidade de ensinar e desafiar as pessoas a tomarem decisões difíceis e de fazer mudanças radicais.
(3) As distorções de doutrinas diluídas. Muitos procuram facilitar o caminho para o Senhor, ignorando a ênfase bíblica no arrependimento (Lucas 13:3; Atos 2:38). Outros, apesar das palavras claras de Jesus, seguem sua lógica distorcida para negar a necessidade do batismo (Marcos 16:16; Atos 2:38; 22:16). E alguns oferecem a falsa segurança de doutrinas que ensinam sobre a possibilidade do cristão perder a salvação pelo fato de abandonarem suas instituições religiosas (leia 2 Pedro 2:20-22), este versículo ensina sobre cristãos nominais (não convertidos verdadeiramente a Cristo) e, portanto, não salvos, mesmo se declarando convertidos.
O Desafio Atual:
Os apóstolos foram fiéis em cumprir a missão que Jesus lhes deu. Hoje, temos o privilégio de divulgar a mesma mensagem. Vamos ser fiéis e dedicados neste trabalho!
Fonte: Dennis Allan

O Evangelho do Reino:
E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos, Nem alforges para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordões; porque digno é o operário do seu alimento. (Mateus 10:7-10)

Minhas Convicções
Eu, J.Alencar, assumo que estou em sã consciência de minhas faculdades mentais, e entendo que:
Sou pecador desde o lombo do meu pai e o ventre da minha mãe, e co-herdeiro do pecado desde Adão e Eva, e, portanto, condenado à morte eterna, pois o salário do pecado é a morte (Rm.6:23); e que sem derramamento de sangue (morte) não há remissão (Hb.9:22); e, por assim sendo, estou remido pelo sangue do Cordeiro Perfeito, que se ofereceu em holocausto pra remissão dos meus pecados. Portanto, pela Graça estou salvo mediante a fé em Cristo, meu remidor (Ef.2:8), já que pela fé em Cristo fui eleito (Efésios 1:4), e não pelas minhas obras, para que eu não me glorie (Ef.2:9), mas, para que toda honra, glória e louvor sejam do meu Cristo Salvador (Ap.5:13). O Deus criador de todas as coisas e da vida, e Luz dos homens, e que está no Pai desde o princípio (Jo.1:2-3-4), zeloso de sua obra, derrama do Seu próprio Espírito, de modo a corrigir aos incautos e alertar aos apostatados e adormecidos na fé, para que todos possam salvar-se (2-Pe.3:9). Assim como nos tempos antigos, também nos dias atuais, o Deus zeloso não descuida de suas ovelhas, e nos faz lembrar da aliança que uma vez tendo firmado, não quebrará até que tudo se cumpra.

Demais Postagens Deste Blog

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Outras Postagens (fora deste Blog)
  1. YouTube
  2. Google+
  3. facebook
  4. Atalaia