O Primeiro Livro de Adão e Eva

Este Livro-Sagrado não faz parte do Cânon Bíblico e seu conteúdo, em parte, ao longo da história humana, pode ter sido alterado ou gerado de forma fantasiosa.O propósito aqui é fornecer conhecimento sobre a origem das Heresia absorvidas pelas diversas Linhas-Religiosas, assim como também encorpar Verdades que o Cânon-Bíblico deixou a desejar.

O Primeiro Livro de Adão e Eva.
O Conflito de Adão e Eva com Satanás.

[Capítulo 1]
[1] Ao Terceiro Dia, Deus plantou o jardim a leste da terra, no extremo leste do mundo, além do qual, em direção ao nascente, não se acha nada além de água, que circunda o mundo inteiro, e alcança os limites do céu.
[2] E ao norte do jardim há um mar de água, claro e puro ao paladar, como nada se iguala; de maneira que, através de sua transparência, pode-se olhar para as profundezas da terra.
[3] E quando um homem lava-se nela, torna-se limpo por sua limpidez e branco por sua brancura, mesmo que ele estivesse escuro.
[4] E Deus criou este mar de Seu próprio agrado, pois Ele sabia o que seria do homem que Ele iria fazer; assim, após deixar o jardim, por causa de sua desobediência, nasceriam homens na terra, dentre os quais morreriam os justos cujas almas Deus faria ressurgir no último dia; quando então voltariam à sua carne, banhar-se-iam na água do mar, e todos se arrependeriam de seus pecados.
[5] Mas quando Deus fez Adão sair do jardim, Ele não colocou na fronteira norte, para que não se aproximasse do mar de água, e ele e Eva se lavassem nele, e se tornassem limpos de seus pecados, esquecendo a desobediência cometida.
[6] Então, novamente, quando ao lado sul do jardim, não agradava a Deus permitir a Adão lá habitar; pois, quando o vento soprasse do norte, tra-lhe-ia no lado sul, o delicioso aroma daquelas árvores do jardim.
[7] Por isso Deus não colocou Adão ali para que não aspirasse o doce aroma daquelas árvores, esquecendo sua desobediência e encontrando alívio ao se deliciar com o aroma das árvores, e assim se limpasse da sua desobediência.
[8] Novamente, também porque Deus é misericórdia e de grande piedade, e governa todas as coisas de uma maneira que somente Ele sabe, Ele fez nosso pai Adão habitar na fronteira oeste do jardim, porque daquele lado a terra é muito extensa.
[9] E Deus ordenou-lhe que ali habitasse numa caverna dentro da rocha, a Caverna dos Tesouros, abaixo do jardim.

[Capítulo 2]
[1] Mas quando nosso pai Adão e Eva saíram do jardim, palmilharam o chão com seus pés sem saber por onde caminhavam.
[2] E quando chegaram à abertura dos portões do jardim e viram a terra vasta estendendo-se diante deles, coberta de pedras grandes e pequenas, e de areia, tiveram medo e tremeram, e prostraram-se com suas faces no chão, acometidos pelo medo; e jaziam como mortos.
[3] Porque haviam estado até então na terra do jardim, bela-mente plantada com toda a espécies de árvores, e agora se viam numa terra estranha que não conheciam e nunca tinham visto.
[4] E porque naquele tempo eles eram cheios de graça e de uma natureza luminosa, e não tinham o coração voltado para coisas terrenas.
[5] Por isso Deus teve piedade deles; e quando Ele os viu caídos defronte ao portão do jardim, enviou Sua Palavra ao pai Adão e a Eva, e ergueu-os de sua prostração.

[Capítulo 3]
[1] Deus disse a Adão: Eu ordenei os dias e os anos nesta terra, e tu e tua descendência deverão habitar e caminhar nela, até se cumprirem os dias e os anos: então Eu enviarei a Palavra que te criou, e à qual tu desobedeceste, a Palavra que te fez sair do jardim. e que te ergueu quando tu estavas caído.
[2] Sim, a Palavra que te salvará novamente quando os cinco dias e meio estiverem consumados.
[3] Mas ao ouvir estas palavras de Deus, acerca dos grandes cinco dias e meio, Adão não entendeu o seu significado.
[4] Pois Adão estava pensando que haveria somente cinco dias e meio para ele, até o fim do mundo.
[5] E Adão chorou e suplicou a Deus que lhe explicasse isto.
[6] Então Deus, em Sua misericórdia por Adão, que fora feito segundo Sua própria imagem e semelhança, explicou-lhe que estes eram cinco mil e quinhentos anos; e como o Um viria para salvá-lo e à sua descendência.
[7] Mas Deus fizera antes disso esta aliança com nosso pai Adão, nos mesmos termos, quando ele saiu do jardim e se encontrava junto à árvore da qual Eva tomara do fruto e lho dera a comer.
[8] Porquanto, ao sair do jardim, nosso pai Adão passou por aquela árvore e viu como Deus então havia mudado sua aparência para uma outra forma e como ela ressecara.
[9] E aproximando-se dela Adão teve medo, tremeu e caiu; mas Deus, em Sua misericórdia, ergueu-o, e então fez esta aliança com ele.
[10] E, novamente, quando Adão estava junto ao portão do jardim e viu o querubim, com uma espada de fogo fulgurante na mão, encolerizar-se e fitá-lo com desagrado, tanto ele quanto Eva ficaram com medo dele e pensaram que ele tencionava matá-los. Assim eles prostraram-se e tremeram de medo.
[11] Mas ele apiedou-se deles e mostrou-lhes misericórdia; e, voltando-se, subiu ao céu e suplicou ao Senhor, e disse:
[12] Senhor, Vós me enviastes para guardar o portão do jardim com uma espada de fogo.
[13] Mas quando Vossos servos Adão e Eva viram-me, prostraram-se e ficaram como mortos. O meu Senhor, que devemos fazer com Vossos servos?
[14] Então Deus apiedou-se deles e mostrou-lhes misericórdia, e enviou Seu anjo para guardar o jardim.
[15] E a Palavra do Senhor veio a Adão e Eva e ergueu-os.
[16] E o Senhor disse a Adão: Eu te disse que ao final dos cinco dias e meio Eu enviaria minha Palavra e salvar-te-ia.
[17] Fortalece pois teu coração, e habita na Caverna dos Tesouros, da qual Eu te falei antes.
[18] E quando Adão ouviu esta Palavra de Deus, ele foi consolado pelo que Deus lhe tinha dito. Pois Ele lhe dissera corno o salvaria.

[Capítulo 4]
[1] Mas Adão e Eva choraram por terem de sair do jardim, a sua primeira habitação.
[2] E, certamente, quando Adão olhou para sua carne, que estava alterada, chorou amargamente, ele e Eva, pelo que haviam feito. E eles caminharam e desceram docilmente para a Caverna dos Tesouros.
[3] E ao chegarem Adão lamentou-se e disse a Eva: Olha para esta caverna que será nossa prisão neste mundo, é um lugar de castigo!
[4] Que é isto comparado com o jardim? Que é esta estreiteza comparada como o espaço do outro?
[5] Que é esta rocha ao lado destas grutas? Que são as trevas desta caverna comparada à luz do jardim?
[6] Que é esta lápide de rocha suspensa para nos abrigar comparada à misericórdia do Senhor que nos acolhia?
[7] Que é o solo desta caverna comparado à terra do jardim? esta terra, coberta de pedras, e aquela plantada cor deliciosas árvores frutíferas?
[8] E Adão disse a Eva: Olha para teus olhos e para os meus que dantes viam anjos no céu louvando; e eles, também, sem cessar.
[9] Mas agora nós não vemos como víamos: nossos olhos são de carne; não podem ver da mesma maneira como viam antes.
[10] Adão disse novamente a Eva: Que é nosso corpo hoje comparado ao que era em dia passados, quando habitávamos no jardim?
[11] Após isso, Adão não gostou de ter de entrar na caverna, sob a rocha suspensa, nem entraria nela jamais por vontade própria.
[12] Mas curvou-se às ordens de Deus, e disse a si mesmo: A não ser que eu entre na caverna, serei novamente um desobediente.

[Capítulo 5]
[1] Então Adão e Eva entraram na caverna e permaneceram em pé orando, em sua própria língua, desconhecida para nós, mas que eles bem conheciam.
[2] E enquanto oravam, Adão ergueu os olhos e viu acima de sua cabeça a rocha e o teto da caverna que o cobria, de maneira que não podia ver nem o céu nem as criaturas de Deus. Então ele chorou e golpeou pesadamente seu peito até que caiu e ficou como morto.
[3] E Eva sentou-se chorando; pois acreditava que ele estivesse morto.
[4] Então ela ergueu-se, estendeu suas mãos a Deus, pedindo-lhe misericórdia e piedade, e disse: Ó Deus, perdoai-me o meu pecado, o pecado que eu cometi, e não o volteis contra mim.
[5] Pois fui eu quem provocou a queda de Vosso servo, do jardim para este lugar perdido; da luz para esta escuridão; e da morada da alegria para esta prisão.
[6] Ó Deus, olhai para este Vosso servo assim caído e ressuscitai-o de sua morte, para que ele possa lamentar-se e arrepender-se de sua desobediência cometida através de mim.
[7] Não leveis sua alma desta vez; mas deixai-o viver para que ele possa expiar sua culpa segundo a medida de seu arrependimento, e fazer Vossa vontade, antes de sua morte.
[8] Mas se Vós não o ressuscitardes, então, ó Deus, levai minha própria alma, para que eu esteja com ele; e não me deixeis neste antro só e abandonada, pois eu não suportaria ficar só neste mundo, mas com ele somente.
[9] Pois Vós, ó Deus, fizeste cair uma sonolência sobre ele, e tomaste um osso de seu lado, e restauraste a carne em seu lugar, por Vosso poder divino.
[10] E Vós me tomaste, o osso, e me fizeste uma mulher, luminosa como ele, com coração, razão e fala; e de carne como ele mesmo; e Vós me fizeste à semelhança de seu semblante, por Vossa misericórdia e poder.
[11] ah Senhor, eu e ele somos um, e Vós, ó Deus, sois o nosso Criador, Vós sois Aquele que nos fez a ambos no mesmo dia.
[12] Portanto, ó Deus, dai-lhe vida, para que ele possa estar comigo nesta terra estranha, enquanto nós morarmos nela por causa de nossa desobediência.
[13] Mas se Vós não quiserdes dar-lhe vida, então levai a mim, até a mim, como ele; para que nós dois possamos morrer da mesma maneira.
[14] E Eva chorou amargamente, e caiu sobre nosso pai Adão; por causa de sua grande tristeza.

[Capítulo 6]
[1] Mas Deus olhou para eles; pois eles se haviam matado pelo grande pesar.
[2] Mas Ele queria ressuscitá-los e consolá-los.
[3] Portanto enviou-lhes Sua Palavra a fim de que eles ficassem de pé e fossem ressuscitados imediatamente.
[4] E o Senhor disse a Adão e Eva: Desobedecestes por vossa livre vontade, até que saístes do jardim no qual Eu vos havia colocado.
[5] Por vossa própria e livre vontade desobedecestes por causa de vosso desejo de divindade, grandiosidade e condição sublime, tal qual Eu tenho; assim Eu Vos privei da natureza luminosa na qual estáveis então, e vos fiz sair do jardim para esta terra rude e cheia de sofrimento.
[6] Se ao menos não tivésseis desobedecido ao Meu mandamento e tivésseis guardado Minha lei, e não tivésseis comido do fruto da árvore, da qual Eu vos disse que não vos aproximásseis. E havia árvores frutíferas no jardim melhores que aquela.
[7] Mas o maldoso Satã, que não se manteve em sua primitiva condição nem conservou sua fé; nele não havia boa intenção em relação a Mim e, embora Eu o tivesse criado, ainda assim Me desprezou e buscou a divindade, de modo que Eu atirei do céu para baixo; ele foi quem fez a árvore parecer agradável a vossos olhos, até que comestes dela, obedecendo-lhe.
[8] Assim desobedecestes a Meu mandamento, e portanto: Eu fiz cair sobre vós todas essas tristezas.
[9] Pois Eu sou Deus o Criador, aquele que quando criou as criaturas, não tenciona destruí-las. Mas depois de terem provocado grandemente Minha ira, Eu as puni com castigos atrozes, para que se arrependessem.
[10] Mas, se, ao contrário elas ainda se mantiverem firmes em sua desobediência serão amaldiçoadas para sempre.

[Capítulo 7]
[1] Quando Adão e Eva ouviram estas palavras de Deus choraram e soluçaram ainda mais; mas fortaleceram seu coração em Deus, porque agora sentiam que o Senhor era para eles como um pai e uma mãe, e por esta mesma razão choraram diante dEle, e buscaram sua misericórdia.
[2] Então Deus apiedou deles, e disse: ah Adão, Eu fiz Minha aliança contigo; e não voltarei atrás; nem permitirei que retornes ao jardim, até que Minha aliança dos grandes cinco dias e meio se cumpra.
[3] Então Adão disse a Deus. ah Senhor, Vós nos criastes nos fizestes aptos a estar no jardim; e antes de eu desobedecer, Vós fizestes todas as feras virem até mim, a fim de que eu as nomeasse.
[4] Vossa graça estava então sobre mim; e eu nomeei a cada uma de acordo com Vosso pensamento; e Vós as fizestes todas submissas a mim.
[5] Mas, ó Senhor, agora que eu desobedeci ao Vosso mandamento, todas as feras levantar-se-ão contra mim e me devorarão, e a Eva Vossa serva; e eliminarão nossa vida da face da terra.
[6] Suplico-Vos, portanto, ó Deus, que, desde que Vós nos fizestes sair do jardim e ficar numa terra estranha, não permitais que as feras nos causem mal.
[7] Quando o Senhor ouviu estas palavras de Adão, apiedou-se dele, e sentiu que ele dissera a verdade, que as feras do campo se levantariam e o devorariam, e a Eva, porque Ele, o Senhor, estava irado com os dois por causa de sua desobediência.
[8] Então Deus ordenou às feras, e aos pássaros, e a tudo que se move sobre a terra, que viessem a Adão e se afeiçoassem a ele e não o perturbassem, nem a Eva; nem ainda aos bons e justos dentre os de sua posteridade.
[9] Então as feras prestaram obediência a Adão, de acordo com o mandamento de Deus; exceto a serpente, com quem Deus estava irado. Esta não veio a Adão, junto com as feras.

[Capítulo 8]
[1] Então Adão chorou e disse: ó Deus, quando eu morava no jardim, e havia enlevo em nossos corações, víamos os anjos que cantavam louvores no céu, mas agora não os vemos mais; ao entrarmos na caverna, toda a criação ocultou-se de nós.
[2] Então Deus, o Senhor, disse a Adão: Quando tu eras obediente a Mim, tinhas uma natureza luminosa em tí, e por esta razão podias ver coisas muito distantes. Mas, após tua desobediência, a natureza luminosa foi-te retirada; e não te foi mais permitido ver coisas distantes, mas apenas as bem próximas, aquelas ao alcance de tuas mãos, e segundo a capacidade da carne; pois esta é grosseira.
[3] Após ouvirem estas palavras de Deus, Adão e Eva seguiram seu caminho louvando-O e adorando-O com o coração pesaroso.
[4] E Deus interrompeu a comunicação com eles.

[Capítulo 9]
[1] Então Adão e Eva deixaram a Caverna dos Tesouros e aproximaram-se do portão do jardim, e ali pararam a olhar para ele, e choraram por dele terem saído.
[2] E Adão e Eva partiram da frente do portão do jardim em direção ao sul, e encontraram ali a água que irrigava o jardim, a água da raiz da Árvore da Vida, e que se dividia em quatro rios que corriam pela terra.
[3] Então eles vieram e aproximaram-se desta água e olharam para ela; e viram que era a água que brotava da raiz da Árvore da Vida que estava no jardim.
[4] E Adão chorou e gemeu e golpeou seu peito por estar afastado do jardim: e disse a Eva:
[5] E por que tu trouxeste sobre mim, sobre ti mesma e sobre nossa descendência tantos flagelos e castigos?
[6] E Eva disse-lhe: Que foi que tu viste para chorar e falar-me assim?
[7] E disse ele a Eva: Não vês esta água que estava conosco no jardim e que irrigava as árvores do jardim, e de lá corria?
[8] E nós, quando estávamos no jardim, não nos importávamos com isto; mas desde que viemos para esta terra estranha, nós a amamos, e faremos uso dela para nosso corpo.
[9] Mas quando Eva ouviu dele essas palavras, chorou; e cheios de dor e gemendo, caíram na água; e ali teriam acabado consigo mesmos, a fim de nunca mais voltar a ver a criação; pois quando eles olharam para a obra da criação, sentiram que deviam pôr um fim a si mesmos.

[Capítulo 10]
[1] Então Deus, misericordioso e benevolente, olhou para eles assim caídos na água tão próximos da morte, e enviou um anjo que os tirou da água, e deitou-os na praia como mortos.
[2] Então o anjo subiu até Deus, foi bem-vindo, e disse: ah Deus, Vossas criaturas deram seu último suspiro.
[3] Então Deus enviou Sua Palavra a Adão e Eva e os ressuscitou de sua morte.
[4] E Adão disse, após haver sido ressuscitado: ó Deus, enquanto estávamos no jardim nem nos importávamos com esta água nem dela necessitávamos; mas desde que viemos para esta terra não podemos passar sem ela.
[5] Então Deus disse a Adão: Enquanto estavas sob Meu comando e eras um anjo luminoso, não conhecias esta água.
[6] Mas após teres desobedecido ao Meu mandamento não podes passar sem água para lavar teu corpo e fazê-lo crescer; pois este é agora como o das feras, e necessita de água.
[7] Quando Adão e Eva ouviram essas palavras de Deus choraram um choro amargo; Adão suplicou a Deus que lhe permitisse voltar ao jardim e olhar para ele uma vez mais.
[8] Mas Deus disse a Adão: Eu te fiz uma promessa; quando esta promessa for cumprida, Eu te trarei de volta ao jardim, a tí e à tua descendência justa.
[9] E Deus parou de se comunicar com Adão.

[Capítulo 11]
[1] Então Adão e Eva sentiram-se queimando de sede calor e tristeza.
[2] E Adão disse a Eva: Não devemos beber desta água mesmo se morrermos. Ó Eva quando esta água penetrar em nossas entranhas, aumenta nossos castigos e os de nossos filhos que virão depois de nós.
[3] Adão e Eva abstiveram-se então da água, e não beberam nada; mas caminharam e entraram na Caverna dos Tesouros.
[4] Mas uma vez dentro dela Adão não podia ver Eva; ele apenas ouvia o ruído que ela fazia. Nem ela podia ver Adão, mas ouvia o ruído que ele fazia.
[5] Então Adão chorou em profundo sofrimento e golpeou seu peito; e erguendo-se disse a Eva: Onde estás?
[6] E ela lhe disse: Vê, eu estou nesta escuridão.
[7] Ele então lhe disse: Recorda-te da natureza luminosa na qual vivíamos enquanto habitávamos no jardim!
[8] Ó Eva! recorda-te da glória que repousava em nós no jardim. Ó Eva! recorda-te das árvores que faziam sombra sobre nós no jardim enquanto nos movíamos entre elas.
[9] Ó Eva! recorda-te de que, enquanto estávamos no jardim, não conhecíamos nem a noite nem o dia. Pensa na Árvore da Vida, de sob a qual brotava a água, e que derramava brilho sobre nós! Recorda-te, ó Eva, da terra do jardim e da sua luminosidade!
[10] Pensa, oh! pensa neste jardim onde não havia escuridão enquanto morávamos nele.
[11] Enquanto que, tão logo chegamos a esta Caverna dos Tesouros, a escuridão envolveu-nos; tanto que não mais podemos ver-nos um ao outro; e todo o prazer desta vida chegou a um fim.

[Capítulo 12]
[1] Então Adão golpeou seu peito, e também Eva, e eles prantearam a noite inteira até a aurora se aproximar, e eles lamentaram suspirando a noite longa em demasia.
[2] E Adão agrediu-se e jogou-se no chão da caverna, em amargo pesar, e por causa da escuridão, ali permaneceu como morto.
[3] Mas Eva ouviu o barulho que ele fez ao cair ao chão. E ela tateou à sua volta procurando-o e encontrou-o como um cadáver.
[4] Então ela ficou com medo, sem fala e permaneceu junto dele.
[5] Mas o Senhor misericordioso olhou para a morte de Adão e para o silêncio de Eva por causa do medo da escuridão.
[6] E a Palavra de Deus chegou a Adão e ressuscitou-o de sua morte, e abriu a boca de Eva para que ela voltasse a falar.
[7] Então Adão ergueu-se na caverna e disse: ah Deus, por que a luz nos deixou e a escuridão nos acometeu? Por que nos deixais nesta longa escuridão? Por que nos quereis assim castigar?
[8] E esta escuridão, ó Senhor, onde estava, antes de nos acometer? Ela é tamanha que não podemos ver um ao outro.
[9] Pois, enquanto estávamos no jardim, não vimos nem mesmo sabíamos o que é a escuridão. E eu não fiquei oculto de Eva, nem ela ficou oculta de mim, até que agora ela não me pode ver; e nenhuma escuridão nos havia acometido antes, separando-nos um do outro.
[10] Mas ela e eu estávamos ambos numa única luz brilhante. Eu a via e ela a mim. Mas agora desde que entramos nesta caverna, a escuridão nos envolveu e nos separou, assim que eu não a vejo e ela não me vê a mim.
[11] ah Senhor, quereis então castigar-nos com esta escuridão?

[Capítulo 13]
[1] Então, quando Deus, que é misericordioso e cheio de piedade, ouviu a voz de Adão, lhe disse:
[2] ah Adão, enquanto o bom anjo foi obediente a Mim, a luz brilhante repousava nele e em suas hostes.
[3] Mas quando ele desobedeceu Meu mandamento, Eu o privei dessa natureza luminosa, e ele se tornou opaco.
[4] E quando ele estava nos céus, nos domínios de luz, ele não conhecia nada da escuridão.
[5] Mas ele desobedeceu, e Eu o fiz cair do céu para a terra; e foi esta escuridão que lhe sobreveio.
[6] E sobre tí, ó Adão, enquanto em Meu jardim e obediente a Mim, esta luz brilhante repousou também sobre tí.
[7] Mas quando Eu soube de tua desobediência, privei-te desta luz brilhante. Ainda assim, por Minha misericórdia não te transformei em escuridão, mas fiz teu corpo de carne, e sobre ele estendi esta pele a fim de que suporte o frio e calor.
[8] Tivesse Eu permitido Minha ira cair pesadamente sobre tí, serias destruído; e tivesse Eu te transformado em escuridão, seria como se Eu te matasse.
[9] Mas, em Minha misericórdia, fiz-te como és, quando tu desobedeceste ao meu mandamento, ó Adão, expulsei-te do jardim e te fiz chegar a esta terra; e ordenei-te habitar nesta caverna; e a escuridão caiu sobre tí, como caiu sobre aquele que desobedeceu ao Meu mandamento.
[10] Neste caso, ó Adão, esta noite te enganou. A noite não há de durar para sempre; mais por doze horas apenas; quando terminar, a luz do dia retornará.
[11] Não lamentes, portanto, nem te alteres, e não diga em teu coração que esta escuridão é longa e se arrasta devagar; e não digas em teu coração que Eu te estou castigando com isto.
[12] Fortalece teu coração não e tenhas medo. Esta escuridão não é castigo. Mas, ó Adão Eu fiz o dia e coloquei nele o sol para dar luz, a fim de que tu teus filhos fizésseis o vosso trabalho.
[13] Pois Eu sabia que tu irias pecar e desobedecer, e vir para esta terra. Ainda assim Eu não te forçaria, nem seria duro contigo, nem te confinaria; nem te condenaria por tua queda; nem por tua saída da luz para a escuridão; nem mesmo por tua saída do jardim para esta terra.
[14] Pois Eu te fiz de luz; e quis gerar de tí filhos de luz, semelhantes a tí.
[15] Mas um dia tu não guardaste Meu mandamento; antes que Eu terminasse a criação e abençoasse tudo nela.
[16] Então Eu te dei um mandamento acerca da árvore, de não comeres dela. Mesmo assim Eu sabia que Satã, que enganou-se a si próprio, também te enganaria.
[17] Assim Eu te fiz saber, por meio da árvore, que não te aproximasses dele. E Eu te disse para que não comesses do seu fruto, nem dele provasses, nem te sentasses debaixo dela.
[18] Não tivesse Eu falado a tí, ó Adão, acerca da árvore, e te deixasse sem um aviso, e tu tivesses pecado, teria sido uma maldade de Minha parte não te dar nenhum aviso; tu te voltarias e Me culparias por isto.
[19] Mas Eu te dei o mandamento e te preveni, e tu caíste. Assim, Minhas criaturas não Me podem culpar; porém a culpa recai sobre elas somente.
[20] E, ó Adão, Eu fiz o dia para tí e para teus descendentes que virão depois de tí, para nele trabalharem e labutarem. E Eu fiz a noite para eles descansarem nela do seu trabalho; e para os animais do campo saírem à noite e procurarem seu alimento.
[21] Porém, é pouca a escuridão que te resta agora, ó Adão; pois a luz do dia logo surgirá.

[Capítulo 14]
[1] Então Adão disse a Deus: Ó Senhor, levai minha alma, e não me deixeis mais ver estas trevas; ou levai-me a algum lugar onde não haja escuridão.
[2] Mas Deus o Senhor disse a Adão: Em verdade Eu te digo, esta escuridão passará por tí todos os dias que determinei para tí até o cumprimento da Minha aliança; quando então Eu te salvarei e te levarei de novo para o jardim, para a morada de luz que tu almejas, onde não há escuridão. Eu o trarei a ele, ao reino do céu.
[3] Novamente Deus disse a Adão: Toda esta miséria que acarretaste sobre tí por causa da tua desobediência não te libertará das mãos de Satã e ele não te salvará.
[4] Mas Eu, sim, salvar-te-ei. Quando Eu descer do céu e tomar-Me carne da tua descendência, e tomar sobre Mim a enfermidade da qual tu padeces, então a escuridão que caiu sobre tí nesta caverna virá sobre Mim no túmulo, quando Eu estiver na carne da tua descendência.
[5] E Eu, que sou eterno, estarei sujeito à contagem dos anos, dos tempos, dos meses e dos dias, e serei considerado como um dos filhos dos homens, para te salvar.
[6] E Deus parou de se comunicar com Adão.

[Capítulo 15]
[1] Então Adão e Eva choraram e entristeceram-se por causa das palavras que Deus lhes dissera, que eles não voltariam ao jardim até o cumprimento dos dias decretados para eles; mas principalmente por haver Deus dito que Ele deveria sofrer para salvá-los.

[Capítulo 16]
[1] Depois disso Adão e Eva não pararam de orar e chorar na caverna até que a manhã desceu sobre eles.
[2] E ao ver a luz sendo-lhes devolvida, deixaram de ter medo e fortaleceram seus corações.
[3] Então Adão começou a sair da caverna. E quando chegou na boca da caverna, parou e voltou sua face em direção do leste, viu o sol levantar-se em raios brilhantes e sentiu o seu calor no seu corpo; teve medo dele e pensou em seu coração que esta chama vinha para castigá-lo.
[4] Ele chorou então, e golpeou seu peito, e prostrou-se com a face na terra, e fez seu pedido, dizendo:
[5] Ah Senhor, não me castigueis, nem me destruais, nem tireis já minha vida da terra.
[6] Pois ele pensou que o sol era Deus.
[7] Já que enquanto estava no jardim e ouvia a voz de Deus e o som que Ele fazia no jardim e O temia, Adão nunca vira a luz brilhante do sol, nem seu calor flamejante tocara seu corpo.
[8] Por isso ele ficou com medo do sol quando seus raios ardentes o alcançaram. Ele pensou que com isto Deus tencionava castigá-lo todos os dias decretados para ele.
[9] Pois Adão também disse em seus pensamentos: Já que Deus não nos castigou com escuridão, eis que Ele fez esse sol nascer para castigar-nos queimando-nos com seu calor.
[10] Mas, enquanto ele assim pensava no seu coração, a Palavra de Deus veio e lhe disse:
[11] Ah Adão, levanta-te põe-te em pé. Pois o sol não é Deus; mas foi criado para iluminar o dia. Foi o que Eu te falei na caverna dizendo que aurora irromperia e haveria luz durante o dia.
[12] Mas Eu sou Deus, Aquele que te confortou na noite.
[13] E Deus parou de se comunicar com Adão.

[Capítulo 17]
[1] Então Adão e Eva saíram pela boca da caverna e caminharam em direção ao jardim.
[2] Mas ao aproximarem-se dele, defronte ao portão oeste do qual viera Satã quando enganou Adão e Eva, encontrara a serpente que se tomara Satã e que tristemente lambia o pó e se arrastava com seu peito no chão, por causa da maldição de Deus.
[3] A serpente, que antes tinha sido o mais sublime de todos os animais, agora esta mudada e se tomara escorregadia e o pior de todos eles, e arrastava-se sobre seu peito e andava sobre seu ventre.
[4] Considerando que fora o mais belo de todos os animais, mudada, tornou-se o mais feio de todos eles. Em vez de alimentar-se do melhor, agora comia o pó. Em vez de habitar, como antes, os melhores lugares, agora vivia no pó.
[5] E, enquanto era o mais belo de todos os animais, todos emudeciam perante sua beleza; agora tomara-se abominável.
[6] E, novamente, enquanto ela habitara uma bela morada, todos os outros animais para ali acorriam; e onde bebesse, eles também bebiam; agora, depois de se tornar venenosa pela maldição de Deus, todos os animais fugiam de sua morada, e não bebiam mais da água que ela bebesse; mas fugiam desta.

[Capítulo 18]
[1] Quando a amaldiçoada serpente viu Adão e Eva, inclinou a cabeça, pos-se sobre sua cauda e, com os olhos injetados de sangue, fez menção de matá-los.
[2] E avançou diretamente para Eva e lançou-se atrás dela; enquanto Adão, de lado, chorava por não ter uma vara em suas mãos com a qual pudesse golpear a serpente, e não sabia como matá-la.
[3] Mas, com o coração ardendo por Eva, Adão aproximou-se da serpente e segurou-a pela cauda; quando então ela se voltou em sua direção e disse:
[4] Ó Adão, por causa de tí e de Eva eu sou escorregadia e ando sobre meu ventre. Então, sendo grande sua força, derrubou Adão e Eva e os esmagou, com intenção de matá-los.
[5] Mas Deus mandou um anjo que lançou a serpente para longe deles e os ergueu.
[6] Então a Palavra de Deus veio à serpente, dizendo: Da primeira vez Eu te fiz loquaz e te fiz andar sobre teu ventre; mas Eu não te havia privado da fala.
[7] Agora, entretanto, sê muda; e não mais falarás, tu e tua raça; porque da primeira vez a ruína das minhas criaturas aconteceu através de tí, e agora tu querias matá-las.
[8] Então a serpente emudeceu, e não mais falou.
[9] E soprou um vento do céu por ordem de Deus e carregou a serpente para longe de Adão e Eva, jogando-a na beira do mar, e ela foi parar na Índia.

[Capítulo 19]
[1] Mas Adão e Eva choraram perante Deus. E Adão disse-Lhe:
[2] Ó Senhor, quando eu estava na caverna Vos disse, meu Senhor, que os animais do campo se levantariam e me devorariam, e eliminariam minha vida na terra.
[3] Então Adão, por causa do que lhe havia acontecido, golpeou seu peito e prostrou-se em terra como um cadáver; então sobreveio a Palavra de Deus que o ergueu e disse-lhe:
[4] Ó Adão, nenhum desses animais poderá ferir-te porque quando Eu fiz estes animais e outras coisas moventes virem até tí na caverna, não permiti à serpente vir com eles, para que não se levantasse contra vós e vos fizesse tremer; e o medo que sentiríeis penetrasse em vossos corações.
[5] Pois Eu sabia que esta amaldiçoada é maldosa; por isso Eu não lhe permiti chegar perto de vós com os outros animais.
[6] Mas agora fortalece teu coração e não tenhas medo. Eu estou contigo até o fim dos dias que determinei para tí.

[Capítulo 20]
[1] Então Adão chorou e disse: ó Deus, levai-nos para algum outro lugar, onde a serpente não possa novamente aproximar-se e levantar-se contra nós. Para que não encontre Vossa criada Eva sozinha e a mate, pois seus olhos são medonhos e maus.
[2] Mas Deus disse a Adão e Eva: Daqui por diante não tenhais medo, não permitirei que ela se aproxime de vós; Eu a afastei de vós, dessa montanha; nem permitirei que ela de modo algum vos machuque.
[3] Então Adão e Eva adoraram a Deus e deram-lhe graças e louvaram-no por livrá-los da morte.

[Capítulo 21]
[1] Então Adão e Eva puseram-se à procura do jardim.
[2] E o calor fustigava-os como chamas em seus rostos e eles suavam de calor e choravam perante o Senhor.
[3] Mas o lugar onde eles choravam estava junto a uma montanha alta, defronte ao portão oeste do jardim.
[4] Então Adão lançou-se do topo dessa montanha; sua face ficou dilacerada e também sua carne; muito sangue escorria dele, e ele estava próximo da morte.
[5] Enquanto isso, Eva permaneceu na montanha chorando por ele que assim jazia.
[6] E ela disse: Eu não desejo viver após ele; pois tudo que ele fez a si mesmo foi por minha causa.
[7] Então ela lançou-se atrás dele e foi dilacerada e retalhada pelas pedras; e jazia como morta.
[8] Mas Deus, o misericordioso, que cuida das Suas criaturas, olhou para Adão e Eva mortos, e enviou-lhes Sua Palavra e ressuscitou-os.
[9] E disse a Adão: ó Adão toda essa miséria que forjaste para ti mesmo não será eficaz contra Minha regra, nem alterara a aliança dos cinco mil e quinhentos anos.

[Capítulo 22]
[1] Então Adão disse a Deus: Eu definho no calor; estou enfraquecido de andar e sinto aversão a este mundo. E não sei quando quereis retirar-me daqui para descansar.
[2] Então o Senhor Deus lhe disse: ó Adão, isto não é possível no momento, não até que tu termines teus dias. Então Eu te retirarei dessa terra vil.
[3] E Adão disse a Deus: Enquanto eu estava no jardim, não conhecia nem o calor, nem a fraqueza, nem tinha de me mover de lá para cá, nem sentia tremor, nem medo; mas agora, desde que vim para esta terra, aconteceu-me toda esta miséria.
[4] Então Deus disse a Adão: Enquanto tu guardaste Meu mandamento, Minha luz e Minha graça estavam sobre ti. Mas, ao desobedecer ao Meu mandamento, a tristeza e a miséria acometeram-te nesta terra.
[5] E Adão chorou e disse: Ó Senhor, não me abandoneis por isso, nem me golpeeis com pesados castigos, nem ainda me retribuais de acordo com meu pecado; pois nós, de nossa própria vontade, desobedecemos ao Vosso mandamento, e abandonamos Vossa lei, e buscamos tornar-nos deuses como Vós, quando Satã, o inimigo, nos enganou.
[6] Então Deus disse nova-mente a Adão: Por teres trazido a esta terra medo e tremor, fraqueza e sofrimento trilhando e vagando por ela, e por teres subido esta montanha e de lá caído para morrer, tudo isso Eu tomarei sobre Mim mesmo para te salvar.

[Capítulo 23]
[1] Então Adão chorou mais e disse: Ó Deus, tende piedade de mim por tomar sobre Vós o que eu fizer.
[2] Mas Deus retirou Sua Palavra de Adão e Eva.
[3] Então Adão e Eva puseram-se de pé; e Adão disse a Eva: Cinge-te, e eu também me cingirei. E ela cingiu-se, conforme Adão mandara.
[4] Então Adão e Eva tomaram de pedras e as dispuseram em forma de altar; e colheram folhas das árvores fora do jardim, com a quais limparam as manchas de sangue que haviam derramado nas pedras.
[5] Mas o sangue que caiu na areia, eles o recolheram junto com o pó no qual estava misturado e ofereceram-no sobre o altar em oferenda a Deus.
[6] Então Adão e Eva postaram-se sob o altar e choraram, suplicando a Deus da seguinte maneira: Perdoai-nos nossa desobediência e nosso pecado, e olhai-nos com Vossos olhos de misericórdia. Pois quando estávamos no jardim nossos louvores e nossos hinos se elevavam a Vós sem cessar.
[7] Mas ao chegarmos a esta terra estranha, o louvor puro não era mais nosso, nem a prece virtuosa, nem corações compreensivos, nem pensamentos doces, nem conselhos justos, nem discernimento profundo, nem sentimentos sinceros, nem nos restava nossa natureza luminosa. Mas nosso corpo está transformado, não se assemelha mais ao de antes.
[8] Ainda assim, olhai para o nosso sangue, agora oferecido sobre estas pedras, e aceitai o de nossas mãos como o louvor que costumávamos cantar a Vós antes, no jardim.
[9] E Adão começou a fazer mais pedidos a Deus.

[Capítulo 24]
[1] Então, Deus o misericordioso, bom e que ama os homens, olhou para Adão e Eva e para o seu sangue que Lhe haviam dado em oferenda; sem ordem dele para assim proceder. Mas Ele os admirou; e aceitou suas oferendas.
[2] E Deus enviou de Sua presença um fogo brilhante, que consumiu a oferenda.
[3] Ele sentiu o doce aroma da oferenda e teve misericórdia.
[4] Então a Palavra de Deus veio a Adão e disse-lhe: Ó Adão, assim como tu derramaste teu sangue, Eu derramarei Meu próprio sangue quando tonar-me carne de tua descendência, e assim como tu morreste, ó Adão, também morrerei.
[5] E assim como tu construíste um altar, também eu farei para ti um altar na terra; e assim como tu ofereceste teu sangue sobre o altar, Eu também farei de Meu sangue o perdão dos pecados, e apagarei nele as desobediências.
[6] E agora, vê, aceitei tua oferenda, ó Adão, mas os dias da Aliança que Eu determinei para tí não estão cumpridos. Quando estiverem consumados, então Eu te trarei de volta ao jardim.
[7] Agora, portanto, fortalece teu coração, e quando a tristeza vier sobre tí, faze-Me uma oferenda, e Eu serei favorável a tí.

[Capítulo 25]
[1] Mas Deus sabia o que Adão guardava em seus pensamentos, que ele deveria matar-se várias vezes e fazer-Lhe uma oferenda de seu sangue.
[2] Por isso Ele lhe disse: Ó Adão, não te mates novamente como o fizeste, lançando-te da montanha.
[3] Mas Adão disse a Deus: Eu tinha a intenção de acabar comigo mesmo completamente por ter desobedecido ao Vosso mandamento, e por ter saído do belo jardim; e pela luz brilhante da qual Vós me privastes, e pelos louvores que jorravam de minha boca sem cessar, e pela luz que me cobria.
[4] Agora, por Vossa bondade, ó Deus, não me abandone completamente; mas sede benévolo comigo toda vez que eu morrer, e trazei-me de volta vida.
[5] E através disso saber-se-á que Vós sois um Deus misericordioso, que não quereis que alguém pereça; que não gostais que alguém caia; e que não condenais ninguém cruelmente, perversamente à destruição total.
[6] Então Adão permaneceu em silêncio.
[7] E a Palavra de Deus veio-lhe e abençoou-o e confortou-o, e prometeu-lhe que o salvaria no fim dos dias determinado para ele.
[8] Esta, então, foi a primeira oferenda que Adão fez a Deus; e assim fez disso um hábito.

[Capítulo 26]
[1] Então Adão tomou Eva, e puseram-se no caminho de volta à Caverna dos Tesouros onde moravam. Mas ao aproximarem-se e a virem de longe, uma pesada tristeza tomou conta de Adão e Eva quando para ela olharam.
[2] Então Adão disse a Eva: Quando estávamos na montanha, fomos confortados pela Palavra de Deus que conversou conosco; e a luz que vinha do leste iluminou-nos.
[3] Mas agora a Palavra de Deus ocultou-se de nós, e a luz que nos iluminava está tão mudada como se estivesse prestes a desaparecer e permitir que a escuridão e a tristeza caiam sobre nós.
[4] E somos forçados a entrar nesta caverna que parece prisão, onde a escuridão nos envolve de maneira que ficamos separados um do outro; e tu não me podes ver, nem eu te posso ver.
[5] Depois de dizer Adão estas palavras, ele choraram e estenderam as mãos a Deus; pois estavam cheios de tristeza.
[6] E suplicaram a Deus que lhes trouxesse o sol para iluminá-los, para que a escuridão não tomasse a envolvê-los e para que não fossem novamente para debaixo daquela cobertura de rocha. Eles preferiam morrer a ver a escuridão.
[7] Então Deus olhou para Adão e Eva e considerou sua enorme tristeza e considerou tudo que eles haviam feito como coração ardente por causa do sofrimento presente, em vez de seu bem estar anterior, e por causa de toda a miséria que lhes acontecera numa terra estranha.
[8] Por isso Deus não estava irado com eles; nem impaciente com eles, mas Ele estava paciencioso e indulgente para com eles, pois eram os filhos que Ele criara.
[9] Então a Palavra de Deus chegou a Adão, dizendo: Adão, quanto ao sol, se Eu não o houvesse trazido a ti, os dias, horas, anos e meses perderiam sua validade, e a Aliança que eu fiz contigo jamais se cumpriria.
[10] Neste caso serias abandonado e submetido a um longo flagelo, e ficarias para sempre sem alguma salvação.
[11] Sim, é melhor que conduzas tua alma por longo tempo e com serenidade, enquanto suportas a noite e o dia; até que os dias se cumpram e chegue o tempo da Minha promessa.
[12] Então Eu virei e te salvarei, ó Adão, pois Eu não desejo que tu permaneças no sofrimento.
[13] E Eu, ao olhar para todas as coisas boas nas quais viveste, e porque saíste delas, de boa vontade mostrar-te-ia misericórdia.
[14] Mas Eu não posso alterar a Aliança que saiu de Minha boca; do contrário Eu te traria de volta ao jardim.
[15] Quando, no entanto, a Aliança for cumprida, então Eu terei misericórdia para contigo para com tua descendência, e trar-te-ei para uma terra de alegria onde não há tristeza nem sofrimento, mas felicidade e louvores que nunca cessam; e um belo jardim que nunca passará.
[16] E Deus disse novamente a Adão: Sê paciente e entra na caverna, pois a escuridão da qual tinhas medo durará apenas doze horas, e quando terminar, a luz ressurgirá.
[17] Então, após ouvir de Deus estas palavras, Adão e Eva adoraram-no, e seus corações consolaram-se. Eles voltaram para caverna, segundo seu hábito, enquanto lágrimas corriam de seus olhos, tristeza e lamentações vinham do coração e eles desejavam ardentemente que a alma lhes deixasse o corpo.
[18] E Adão e Eva permaneceram orando até que a escuridão da noite desceu sobre eles, Adão ficou oculto de Eva, e ela dele.

[Capítulo 27]
[1] Quando Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, viu como eles continuavam em oração, e como Deus se comunicava com eles e os consolava, e como Ele aceitara sua oferenda, Satã criou uma visão.
[2] Ele iniciou transformando suas hostes; em suas próprias mãos havia um fogo flamejante, e eles estavam envoltos em uma grande luz.
[3] Em seguida, colocou seu trono próximo à boca da caverna, pois não podia entrar nela por causa das orações que proferiam. E lançou luz para dentro da caverna, até que a caverna reluziu sobre Adão e Eva; enquanto isso, suas hostes começavam a cantar louvores.
[4] E Satã fez isto para que quando Adão visse a luz, pensasse consigo mesmo que era uma luz celeste, e que as hostes de Satã eram anjos; e que Deus os enviara para guardar a caverna e dar-lhes luz na escuridão.
[5] Assim, quando Adão saísse da caverna e os visse, e Adão e Eva reverenciassem a Satã, então ele dominaria Adão e humilha-lo-ia pela segunda vez diante de Deus.
[6] Quando, portanto, Adão e Eva viram a luz, imaginando que fosse real, fortaleceram seus corações; no entanto como estavam trêmulos, Adão disse a Eva:
[7] Olha para aquela grande luz e ouve aquelas muitas canções de louvor, olha para aquelas hostes paradas lá fora que não entram e nem vêm até nós, eles não nos contam o que dizem ou de onde vêm, ou qual é o significado dessa luz; nem o que são aqueles louvores; para que foram eles enviados aqui, e por que não entram?
[8] Se eles fossem de Deus viriam a nós na caverna e nos contariam a que vieram.
[9] Em seguida Adão colocou-se de pé e orou a Deus com o coração ardente, e disse:
[10] Ah Senhor, há no mundo um outro deus além de vós que teria criado anjos enchendo-os de luz e enviando-os a nós para nos guardar, e que viria junto com eles?
[11] Pois eis que vemos estas hostes que se postam à boca da caverna; eles estão em grande luz; eles cantam altos louvores. Se eles são de algum outro deus que não Vós, dizei-me; e se eles são enviados por Vós, dizei-me a razão pela qual os enviastes.
[12] Tão logo Adão disse essas palavras, um anjo de Deus apareceu-lhe na caverna e disse-lhe: Ah Adão, não tenhas medo. Este é Satã com suas hostes; ele deseja enganar-vos como vos enganou antes. Da primeira vez, ele escondeu-se na serpente; mas desta vez ele veio a vós na semelhança de um anjo de luz para que, quando o adorásseis, ele pudesse subjugar-vos bem na presença de Deus.
[13] Em seguida o anjo afastou-se de Adão, agarrou Satã e o despojou do disfarce que assumira, e levou-o em sua verdadeira forma, horrenda, a Adão e Eva, que ficaram com muito medo ao vê-lo.
[14] E o anjo disse a Adão: Esta forma horrenda tem sido dele desde que Deus o fez cair do céu. Ele não poderia aproximar-se de vós assim; por isto é que ele se transformou num anjo de luz.
[15] Em seguida o anjo expulsou Satã e suas hostes para longe de Adão e Eva, e disse-lhes: Não temais; Deus, que vos criou, vos fortalecerá.
[16] E o anjo partiu.
[17] Mas Adão e Eva permaneceram em pé na caverna; não lhes veio nenhum consolo; eles estavam divididos em seus pensamentos.
[18] E quando amanheceu, disseram suas preces; e em seguida saíram em busca do jardim. Pois seus corações ansiavam por ele, e não conseguiam conformar-se com deixá-lo.

[Capítulo 28]
[1] Mas quando o voluntarioso Satã viu-os a caminho do jardim, reuniu suas hostes e apareceu sobre uma nuvem, como uma visão, com o intuito de enganá-los.
[2] Mas quando Adão e Eva deram com ele assim, como numa visão, pensaram que fossem anjos de Deus vindos para consolá-los por terem deixado o jardim, ou levá-los de volta para lá.
[3] E Adão estendeu suas mãos para Deus, implorando-Lhe que o fizesse compreender quem eram eles.
[4] Então Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, disse a Adão: Ó Adão, eu sou um anjo do grande Deus; e vê as hostes que me rodeiam.
[5] Deus enviou-me e a eles para pegar-te e levar-te à fronteira norte do jardim; à praia do mar límpido e nele banhar-te, e a Eva, e elevar-vos à vossa alegria anterior, para que retorneis novamente ao jardim.
[6] Estas palavras calaram fundo no coração de Adão e Eva.
[7] Ainda assim Deus negou Sua Palavra a Adão, e não o fez compreender imediatamente, mas esperou para testar sua força; se ele seria derrotado como Eva o fora no jardim, ou se ele resistiria.
[8] Então Satã dirigiu-se a Adão e Eva e disse: Eis que vamos ao mar de água, e puseram-se a caminho.
[9] E Adão e Eva seguiram-nos a uma pequena distância.
[10] Mas quando chegaram à montanha ao norte do jardim, uma montanha muito alta, sem degraus para chegar ao topo, o Demônio acercou-se de Adão e Eva e fê-los subir ao topo, de fato, e não numa visão; desejando, com isso, jogá-los lá de cima e matá-los, e apagar da terra seus nomes; de maneira que esta terra ficasse apenas para ele e suas hostes.

[Capítulo 29]
[1] Mas quando Deus o misericordioso viu que Satã desejava matar Adão com suas diversas artimanhas, e viu que Adão estava dócil e sem malícia, Deus falou com Satã em voz alta e o amaldiçoou.
[2] Então ele e suas hostes fugiram, e Adão e Eva permaneceram em pé no cume da montanha, de onde eles viram, lá em baixo, o grande mundo, bem acima do qual estavam. Porém as hostes que havia pouco estiveram a seu lado, desapareceram.
[3] Eles choraram, os dois, Adão e Eva, perante Deus, e suplicaram Seu perdão.
[4] Em seguida veio a Palavra de Deus a Adão dizendo: Compreende a respeito deste Satã, pois ele procura enganar-te e a teus descendentes que virão.
[5] E Adão chorou diante de Deus e suplicou e implorou que Ele lhe desse alguma coisa do jardim, como uma pequena lembrança, para servir-lhe de consolo.
[6] E Deus olhou para o pensamento de Adão e enviou anjo Miguel ao mar que se estende até a Índia, para dali pegar bastões de ouro e trazê-los a Adão.
[7] Isto fez Deus em Sua sabedoria, para que estes bastões de ouro, estando com Adão na caverna, iluminassem a noite a sua volta e eliminassem o seu medo da escuridão.
[8] Em seguida o anjo Miguel desceu por ordem de Deus, pegou os bastões de ouro, como Deus lhe ordenara, e levou-os para Deus.

[Capítulo 30]
[1] Depois dessas coisas Deus ordenou ao anjo Gabriel para descer ao jardim e dizer ao querubim que o guardava, Ouve: Deus mandou-me entrar no jardim e pegar incenso perfumado para dá-lo Adão.
[2] Então o anjo Gabriel desceu por ordem de Deus ao jardim, e falou ao querubim conforme Deus mandara.
[3] O querubim então disse: Muito bem. E Gabriel entrou e pegou o incenso.
[4] Então Deus mandou Seu anjo Rafael descer ao jardim e tratar com o querubim sobre um pouco de mirra para dá-la a Adão.
[5] E o anjo Rafael desceu e disse ao querubim conforme Deus mandara, e o querubim disse: Bem. Então Rafael entrou e pegou a mirra.
[6] Os bastões de ouro provinham do mar da Índia, onde há pedras preciosas. O incenso provinha da fronteira leste do jardim; e a mirra da fronteira oeste, de onde viera a amargura de Adão.
[7] E os anjos trouxeram estas três coisas a Deus, junto da Árvore da Vida, no jardim.
[8] Então Deus disse aos anjos: Mergulhai-os na fonte de água; em seguida levai-os e borrifar Adão e Eva com esta água, para que eles tenham um pouco de consolo em sua tristeza, e dai-os a Adão e Eva.
[9] E os anjos fizeram como Deus lhes ordenara, e deram todas aquelas coisas a Adão e Eva no cume da montanha sobre a qual Satã os havia colocado, quando tentou eliminá-los.
[10] E ao ver os bastões de ouro, o incenso e a mirra, Adão rejubilou-se e chorou, pois pensou que o ouro fosse uma lembrança do reino de onde ele viera, que o incenso fosse uma lembrança da luz brilhante que lhe fora tomada e que a mirra fosse um símbolo da tristeza em que se encontrava.

[Capítulo 31]
[1] Depois dessas coisas. Deus disse a Adão: Tu Me pediste algo do jardim para consolar-te, e Eu te dei estas três prendas para teu consolo; para que tu confies em Mim e em Minha Aliança feita contigo.
[2] Pois Eu virei e salvar-te-ei; e reis trarão para Mim, quando vestido de carne, ouro, incenso e mirra; ouro como sinal do Meu reino; incenso como sinal de Minha natureza divina; e mirra como símbolo de Meu sofrimento e de Minha morte.
[3] Mas, ó Adão, coloca tudo junto de ti na caverna; o ouro, para que possa lançar luz sobre ti à noite; o incenso, para que sintas seu doce perfume; e a mirra, para confortar-te em tua tristeza.
[4] Depois de Adão ouvir estas palavras de Deus, ele O adorou. Ele e Eva O adoraram e agradeceram-Lhe, porque Ele os tinha tratado misericordiosamente.
[5] Em seguida Deus ordenou que os três anjos, Miguel, Gabriel e Rafael, entregassem a Adão o que cada um fora buscar. E eles assim o fizeram, um a um.
[6] E Deus mandou que Suriel e Salatiel carregassem Adão e Eva para baixo do cume da montanha alta, e os levassem para a Caverna dos Tesouros.
[7] Lá chegando, colocaram o ouro no lado sul da caverna, o incenso no lado leste e a mirra no lado oeste. Pois a boca da caverna estava no lado norte.
[8] Os anjos então confortaram Adão e Eva, e partiram.
[9] Eram setenta bastões de ouro, doze libras de incenso e três libras de mirra.
[10] Tudo permaneceu com Adão na Casa dos Tesouros; é por isso que foi chamada de esconderijo. Mas outros intérpretes afirmam que era chamada Caverna dos Tesouros por causa dos corpos de homens justos que lá estavam.
[11] Estas três coisas Deus deu a Adão ao terceiro dia após a saída do jardim, em lembrança dos três dias que o Senhor permaneceria no coração da terra.
[12] E estas três coisas, como continuaram com Adão na caverna, davam-lhe luz à noite; e de dia davam-lhe um pouco de alívio a sua tristeza.

[Capítulo 32]
[1] E Adão e Eva permaneceram na Caverna dos Tesouros até o sétimo dia; eles não comeram do fruto da terra, nem beberam da água.
[2] E quando alvoreceu no oitavo dia, Adão disse a Eva: Ó Eva, nós oramos para Deus nos dar alguma coisa do jardim, e Ele enviou Seus anjos que nos trouxeram o que tínhamos desejado.
[3] Mas agora, levanta-te, vamos até o mar de água que vimos antes, e vamos permanecer em pé nele, pedindo que Deus seja de novo benevolente conosco e nos leve de volta ao jardim: ou nos dê algo; ou que Ele nos dê consolo em alguma outra terra que não essa onde estamos.
[4] Em seguida Adão e Eva saíram da caverna, foram e ficaram em pé na beira do mar no qual eles se tinham lançado antes, e Adão disse a Eva:
[5] Vem, entra neste lugar e não saias daqui antes de terminarem trinta dias, quando eu virei a ti. E ora a Deus com o coração ardente e com voz doce para que nos perdoe.
[6] E eu irei a um outro lugar, e entrarei nele, e farei como tu.
[7] Em seguida Eva entrou na água, como Adão lhe ordenara. Adão também entrou na água; e eles ficaram em pé orando; e suplicaram a Deus que lhes perdoasse sua ofensa, e que os restituísse ao estado anterior.
[8] E assim eles permaneceram em pé, orando, até o final de trinta e cinco dias.

[Capítulo 33]
[1] Mas Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, procurou por eles na caverna, mas. não os encontrou. apesar de buscá-los diligentemente.
[2] Mas encontrou-os em pé na água, orando, e pensou consigo mesmo: Adão e Eva estão assim em pé naquela água suplicando a Deus que lhes perdoe a desobediência e os restitua a seu estado primeiro, e para que Ele os livre de minhas mãos.
[3] Mas eu os enganarei e para que saiam da água e não cumpram o seu voto.
[4] Em seguida, aquele que odeia tudo o que é bom não se dirigiu a Adão, mas a Eva, e tomou a forma de um anjo de Deus, louvando e rejubilando, e disse-lhe:
[5] A paz esteja contigo! Alegra-te e rejubila-te, Deus é benevolente conosco, e Ele me enviou a Adão. Eu lhe trouxe as boas novas da salvação e de seu preenchimento com a luz fulgurante de antes.
[6] E Adão, alegre com sua restauração, enviou-me a ti para que tu venhas a mim, para que eu te coroe de luz assim como a ele.
[7] E ele me disse: Fala com Eva; se ela não vier contigo, lembra-a do sinal de quando estávamos no cume da montanha; como Deus enviou Seus anjos que nos pegaram e nos levaram para a Caverna dos Tesouros, e colocaram o ouro no lado sul; o incenso no lado leste; e a mirra no lado oeste. Vem até ele agora.
[8] Ao ouvir estas palavras, Eva rejubilou-se muito. E, pensando que a visão de Satã fosse real, saiu do mar.
[9] Ele foi na frente, e ela o seguiu até que chegaram a Adão. Então Satã escondeu-se dela, e ela não mais o viu.
[10] Ela então foi e parou diante de Adão que estava em pé na água, rejubilando-se no perdão de Deus.
[11] E quando ela o chamou, ele voltou-se, viu-a ali e chorou e golpeou seu peito; e, amargurado de tristeza, afundou na água.
[12] Mas Deus olhou para ele e para sua miséria e para a iminência de ele dar seu último suspiro. E a Palavra de Deus veio do céu e disse-lhe: Sobe pela margem alta até Eva. E, ao chegar junto dela, dize-lhe: Quem te disse vem aqui?
[13] Então ela relatou-lhe as palavras do anjo que lhe aparecera e lhe dera um sinal.
[14] Mas Adão entristeceu-se e fê-la saber que aquele era Satã. Ele então a tomou pelas mãos, e ambos voltaram à caverna.
[15] Estas coisas aconteceram-lhes na segunda vez em que desceram até a água, sete dias depois de saírem do jardim.
[16] Eles jejuaram dentro da água por trinta e cinco dias; ao todo eram quarenta e dois dias desde que havia deixado o jardim.

[Capítulo 34]
[1] E na manhã do quadragésimo terceiro dia, eles saíram da caverna, tristes e chorosos. Seus corpos estavam enfraquecidos e ressequidos de fome e sede, de jejuar e orar, e de sua pesada tristeza por causa de sua desobediência.
[2] E depois de saírem da caverna, subiram a montanha a oeste do jardim.
[3] Ali pararam e oraram e suplicaram a Deus que lhes concedesse o perdão de seus pecados
[4] E, após suas orações, Adão se pôs a rogar a Deus dizendo: Ó meu Senhor, meu Deus e meu Criador, Vós mandastes que se juntassem os quatro elementos, e eles foram reunidos por Vossa ordem.
[5] Em seguida abristes Vossa mão e me criastes a partir de um elemento, o pó da terra; e me trouxestes para o jardim à terceira hora, numa sexta-feira, e me informastes disso na caverna.
[6] Naquele tempo, no início, eu não conhecia nem a noite nem o dia, pois eu tinha uma natureza luminosa, e a luz na qual eu vivia nunca me deixou para que eu conhecesse a noite ou o dia.
[7] Naquele tempo, novamente, ó Senhor, naquela terceira hora quando me criastes, trouxestes a mim todas as feras, e os leões, e os avestruzes, as aves do ar, e todas as coisas que se movem na terra, que criastes na primeira hora antes de mim na sexta-feira.
[8] E foi de Vossa vontade que Eu nomeasse a todos, um por um, com um nome apropriado. Mas Vós me deste entendimento e sabedoria, e um coração puro e um discernimento justo vindo de Vós, para que eu os nomeasse segundo Vosso próprio discernimento considerando a nomeação deles.
[9] Ah Deus, Vós os fizestes obedientes a mim e ordenastes que nenhum deles se desgarrasse de meu controle, de acordo com Vosso mandamento, e com o domínio que me destes sobre eles. Mas agora eles estão afastados de mim.
[10] Então aconteceu aquela terceira hora da sexta-feira, na qual me criastes, e me destes o mandamento referente árvore, da qual eu não me deveria aproximar, nem comer de seus frutos, pois Vós me dissestes no jardim: Quando comeres da árvore, da morte morrerás’.
[11] E se tivésseis me punido com a morte como o dissestes, eu deveria ter morrido naquele mesmo instante.
[12] Além do mais, quando me destes a ordem relativa à árvore, que eu não deveria nem me aproximar dela nem dela comer, Eva não estava comigo: ainda não a tínheis criado nem a tirado ainda do meu lado; mais, nem ouvira esta ordem de Vós.
[13] Em seguida, ao fim da terceira hora naquela sexta-feira, ó Senhor, provocastes uma sonolência e um sono caiu sobre mim e eu dormi, e fique dominado pelo sono.
[14] Depois, tirastes um costela do meu lado e a criaste segundo Vossa própria imagem e semelhança. Então eu acordei; e quando a vi e soube quem era ela, eu disse: Isso é osso do meus ossos, e carne de minha carne; daqui por diante ela será chamada mulher.
[15] Foi de Vossa boa vontade, ó Deus, que veio a sonolência e o sono que recaíram sobre mim; e imediatamente tiraste Eva do meu lado, até que ela estava fora, assim que eu não vi como ela foi feita; nem pude testemunhar, ó meu Senhor são sublimes e grandiosas são Vossa bondade e glória.
[16] E por Vossa boa vontade, ó Senhor, nos destes a ambos corpos de uma natureza luminosa, e nos fizestes os dois, um; e nos destes Vossa graça e nos cumulastes de louvores do Espírito Santo; e não deveríamos estar nem famintos nem sedentos, nem conhecer o que é a tristeza, nem ainda a fraqueza de coração; nem o sofrimento, o jejum, ou a exaustão.
[17] Mas agora, ó Deus, desde que desobedecemos Vosso mandamento e quebramos Vossa lei, Vós nos levastes para uma terra estranha e permitistes que o sofrimento e a fraqueza, a fome e a sede nos acometessem.
[18] Agora, portanto, ó Deus, suplicamos a Vós, dai-nos algo de comer do jardim, para satisfazer nossa fome, e algo para matar nossa sede.
[19] Pois, vede, por muitos dias, ó Deus, não provamos nada nem bebemos nada, e nossa carne está ressecada, e nossa força está esgotada e o sono abandonou nossos olhos por causa da fraqueza e do choro.
[20] Então, ó Deus, não ousamos colher nenhum dos frutos das árvores, por temer-vos. Pois quando O desobedecemos antes, nos poupastes e não nos fizestes morrer.
[21] Mas agora, pensamos em nosso coração, se comermos dos frutos das árvores sem a ordem de Deus, Ele nos destruirá dessa vez e nos eliminará da face da terra.
[22] E se bebermos dessa água, sem a ordem de Deus, Ele nos porá um fim e nos erradicará imediatamente.
[23] Portanto, ó Deus, agora que eu venho a este lugar com Eva, suplicamos que nos deis do fruto do jardim, para que possamos saciar-nos com ele.
[24] Pois desejamos o fruto que está na terra e tudo o mais que nos falta.

[Capítulo 35]
[1] Então Deus olhou novamente para Adão e para seu pranto e seus gemidos, e a Palavra de Deus veio-lhe e lhe disse:
[2] Ó Adão, quando estavas no meu jardim não conhecias nem o comer nem o beber; nem a fraqueza nem o sofrimento, nem a magreza da carne, nem a mudança; nem o sono abandonava teus olhos. Mas desde que desobedeceste e vieste para esta terra estranha, todas estas provações têm acontecido a ti.

[Capítulo 36]
[1] Então Deus ordenou ao querubim, que guardava o portão do jardim com uma espada de fogo na mão, que buscasse alguns frutos da figueira e os desse a Adão.
[2] O querubim obedeceu à ordem do Senhor Deus e foi ao jardim e trouxe dois figos e dois galhos, cada figo com sua folha; estes provinham de duas das árvores entre as quais Adão e Eva se haviam escondido quando Deus fora andar no jardim, e a Palavra de Deus viera a Adão e Eva dizendo-lhes: Adão, Adão, onde estás?
[3] E Adão respondera: ó Deus, aqui estou. Quando eu ouvi Vosso som e Vossa voz, eu me escondi, pois estou nu.
[4] Então o querubim tomou dois figos e trouxe-os a Adão e Eva. Mas lançou-os para eles de longe; pois eles não podiam aproximar-se do querubim por causa de sua carne, que não podia aproximar-se do fogo.
[5] Antes, os anjos tremiam na presença de Adão e temiam-no. Mas agora Adão tremia perante os anjos e temia-os.
[6] Então Adão aproximou-se e pegou um figo, e Eva também veio por sua vez e pegou o outro.
[7] E, ao tomá-lo em suas mãos, olharam e reconheceram que provinham das árvores entre as quais eles se haviam escondido.

[Capítulo 37]
[1] Em seguida Adão disse a Eva: Vês estes figos e suas folhas, com as quais nos cobrimos quando fomos despidos de nossa natureza luminosa? Agora, não sabemos que miséria e sofrimento podem nos acometer se os comermos.
[2] Agora, portanto, ó Eva, vamos nos conter e não comer deles, tu e eu, e vamos pedir a Deus que nos dê do fruto da Árvore da Vida.
[3] Assim Adão e Eva contiveram-se e não comeram desses figos.
[4] Mas Adão começou a orar a Deus e a suplicar-Lhe que desse do fruto da Árvore da Vida, dizendo assim: ó Deus quando desobedecemos ao vosso mandamento na sexta hora da sexta-feira, fomos despojados da natureza luminosa que tínhamos e continuamos no jardim depois de nossa desobediência, por não mais que três horas.
[5] Mas ao anoitecer, Vós nos fizestes sair de lá. Ó Deus nós Vos desobedecemos por uma hora, e todas essas provações e tristezas acontecem-nos até hoje.
[6] E aqueles dias, junto com este quadragésimo terceiro dia, não redimem aquela uma hora durante a qual desobedecemos!
[7] Ó Deus, olhai para nós com um olhar de piedade e não nos castigueis de acordo com nossa desobediência ao Vosso mandamento, em Vossa presença.
[8] Ó Deus, dai-nos do fruto da Árvore da Vida para que possamos dele comer e viver não tornar a passar por sofrimentos e outros aborrecimentos nesta terra; pois Vós sois Deus.
[9] Quando desobedecemos ao Vosso mandamento, Vós nos fizestes sair do jardim e enviastes um querubim para guardar a Árvore da Vida para evitar que dela comêssemos e vivêsseis e não conhecêssemos fraquezas depois da desobediência.
[10] Mas agora, ó Senhor, vede, aguentamos todos estes dias, e suportamos todos os sofrimentos. Fazei estes quarenta e três dias equivalerem à uma hora durante a qual desobedecemos.

[Capítulo 38]
[1] Depois dessas coisas a Palavra de Deus veio a Adão e disse-lhe:
[2] Ó Adão, quanto ao fruto da Árvore da Vida, o qual pediste, não o darei a tí agora, mas sim quando os cinco mil e quinhentos anos se cumprirem, Então Eu te darei o fruto da Árvore da Vida, e tu a comerás e viverás para sempre, tu e Eva, e tua descendência justa.
[3] Mas estes quarenta e três dias não podem compensar a hora durante a qual tu desobedeceste ao Meu mandamento.
[4] É Adão, Eu te dei de comer da figueira na qual tu te escondestes, Vai e come dela, tu e Eva.
[5] Eu não negarei teu pedido nem tirarei tua esperança; portanto, suporta, até o cumprimento da Aliança que Eu contigo fiz.
[6] E Deus retirou Sua Palavra de Adão.

[Capítulo 39]
[1] Em seguida Adão voltou a Eva e disse-lhe: Levanta-te e pega um figo para ti, e eu pegarei o outro; e vamos para a nossa caverna,
[2] Então Adão e Eva pegaram um figo cada, e foram em direção da caverna; era quase a hora do pôr-do-sol; e seus pensamentos fizeram-nos desejosos de comer do fruto.
[3] Mas Adão disse a Eva: Eu tenho medo de comer deste figo, Não sei o que poderá advir disso.
[4] Assim Adão chorou e pôs-se a orar diante de Deus, dizendo: Satisfazei minha fome, sem que eu tenha de comer este figo; pois, após comê-lo, de que me valerá ele? E o que desejarei e pedirei a Vós, ó Deus, depois que ele se acabar?
[5] E ele disse novamente: Tenho medo de comer dele; pois não sei o que. me acontecerá por isto.

[Capítulo 40]
[1] Então a Palavra de Deus veio a Adão e disse-lhe: Ó Adão, por que não tiveste antes este temor, nem suportaste este jejum, nem tiveste tanto cuidado assim? E por que não tiveste este medo antes de desobedecer?
[2] Mas depois de vires morar nesta terra estranha, teu corpo animal não poderia existir sobre a terra sem alimento terreno, para fortalecê-lo e para restaurar sua energia.
[3] E Deus retirou Sua Palavra de Adão.

[Capítulo 41]
[1] Então Adão tomou o figo e colocou-o sobre os bastões de ouro. Eva também pegou seu figo e colocou-o sobre o Incenso.
[2] E o peso de cada figo era o de uma melancia; pois os frutos do jardim eram maiores que os frutos da terra.
[3] Mas Adão e Eva permaneceram em pé e jejuaram durante aquela noite inteira, até o alvorecer.
[4] Quando o sol se levantou encontrou-os em suas preces, e Adão disse a Eva depois que terminaram de orar:
[5] Ó Eva, vem, vamos até a beira do jardim do lado sul; ao lugar onde o rio nasce e se separa em quatro correntes. Ali oraremos a Deus e lhe pediremos que nos dê de beber da Água da Vida.
[6] Ó. Pois Deus não nos alimentou com a Árvore da Vida, para que não vivêssemos. Portanto, pedir-lhe-emos que nos dê da Água da Vida, para com ela aplacar nossa sede, em vez de beber da água desta terra.
[7] Ao ouvir estas palavras de Adão, Eva concordou; e ambos levantaram-se e foram à fronteira sul do jardim.
[8] E eles permaneceram em pé e oraram ante o Senhor e pediram-Lhe que olhasse para eles dessa vez, que os perdoasse e que lhes concedesse seu pedido.
[9] Depois dessa prece de ambos, Adão se pôs a orar em voz alta perante Deus, e disse:
[10] Ó Senhor, quando eu estava no jardim e via a água que corria sob a Árvore da Vida, meu coração não desejava, nem meu corpo precisava beber dela; nem eu conhecia a sede, pois estava vivo; e em condição superior à de agora.
[11] De maneira que para viver eu não necessitava de nenhum Alimento da Vida, nem bebia da Água da Vida.
[12] Mas agora, ó Deus, eu estou morto; minha carne esta ressequida pela sede. Dai-me Água da Vida para que possa dela beber e viver.
[13] Por Vossa misericórdia ó Deus, salvai-me desses flagelos e provações, e levai-me para outra terra diferente desta, que não me permitis habitar no Vosso jardim.

[Capítulo 42]
[1] Então veio a Palavra de Deus a Adão e disse-lhe:
[2] Ó Adão, quanto ao que tu dizes: Levai-me para uma terra onde haja descanso, não é outra terra diferente desta mas é o reino do céu, o único lugar onde há descanso.
[3] Mas tu não podes nele entrar no momento presente mas apenas depois do teu julgamento feito e cumprido.
[4] Então far-te-ei subir ao reino do céu, a ti e à tua descendência justa; e dar-te-ei, a tí e a eles o descanso que pedes presentemente.
[5] E se dizes: Dai-me Água da Vida para que eu dela possa beber e viver, isto não pode ser hoje, mas no dia que eu descer ao inferno, quebrar os portões de bronze esmagar os reinos de ferro.
[6] Então, por misericórdia salvarei tua alma e a alma justos para dar-lhes descanso em Meu jardim. E isto será quando o mundo chegar ao fim.
[7] E, novamente, conquanto a Água da Vida que buscas não te seja concedida hoje, te será dada no dia em que Eu derramar Meu sangue sobre tua cabeça na terra do Gólgota.
[8] Pois Meu sangue será para ti a Água da Vida, e não somente para tí, mas para todos da tua descendência que acreditarem em Mim; para que seja para eles o descanso eterno.
[9] O Senhor disse novamente a Adão: ah Adão, quando estavas no jardim, estas provações não te aconteceram.
[10] Mas, desde que desobedeceste ao Meu mandamento, acarretaste todos estes sofrimentos.
[11] Agora, também, tua carne necessita de alimento e bebida; bebe, pois, daquela água que corre junto a ti na face da terra.
[12] Então Deus retirou Sua Palavra de Adão.
[13] E Adão e Eva adoraram ao Senhor e voltaram do rio à caverna. Era meio-dia; e quando se aproximaram da caverna, viram ali um grande fogo.

[Capítulo 43]
[1] Então Adão e Eva ficaram amedrontados e detiveram-se. E Adão disse a Eva: Que fogo é esse ao largo de nossa caverna? Não fizemos nada para provocar este fogo.
[2] Não temos nem pão para assar lá dentro, nem caldo para cozinhar lá. Quanto a este fogo, não o conhecemos, nem sabemos como chamá-lo.
[3] Mas desde que Deus mandou o querubim com uma espada de fogo que reluzia e relampejava em sua mão e que de medo caímos e ficamos como cadáveres, nunca mais vimos nada igual.
[4] Mas agora, ó Eva, vê, este é o mesmo fogo que estava na mão do querubim, a quem Deus enviou para guardar a caverna onde moramos.
[5] É Eva, é porque Deus está zangado conosco e nos quer expulsar dali.
[6] É Eva, desobedecemos novamente ao Seu mandamento naquela caverna, assim Ele enviou este fogo para queimar à sua volta, e assim impedir-nos de entrar.
[7] Se isto for realmente assim, ó Eva, onde moraremos? E para onde escaparemos da face do Senhor? Pois quanto ao jardim, Ele não nos permitirá habitar nele, e Ele nos privou das. boas coisas de lá; mas Ele nos colocou nesta caverna, onde temos suportado a escuridão, as provações e dificuldades, até que finalmente encontramos consolo ali.
[8] Mas agora, se Ele nos levasse para uma outra terra, quem sabe o que poderia acontecer lá? E, quem sabe, a escuridão daquela terra poderia ser bem maior que a escuridão desta terra?
[9] Quem sabe o que poderia acontecer naquela terra de dia ou de noite? E quem sabe, ó Eva se seria distante ou próximo do jardim o lugar onde a Deus agradaria colocar-nos; ou onde Deus nos impediria de vê-Lo, porque desobedecemos ao Seu mandamento, e por Lhe fazermos pedidos em todas as ocasiões?
[10] Ó Eva, se Deus nos mandar para urna outra terra estranha que não esta, onde achamos consolo, deve ser para matar nossa alma e apagar nosso nome da face da terra.
[11] Ó Eva, se formos afastados ainda mais do jardim e de Deus, onde O acharemos novamente para pedir-Lhe que nos dê ouro, incenso, mirra e alguns frutos da figueira?
[12] Onde O acharemos para confortar-nos uma segunda vez? Onde O acharemos, para que ele possa pensar em nós com relação à Aliança que Ele fez a nosso favor?
[13] Em seguida Adão calou-se e não disse mais nada. E eles continuaram a olhar, ele e Eva, em direção da caverna, e para o fogo que se erguia à sua volta.
[14] Mas aquele fogo provinha de Satã. Pois ele juntara árvores e capim seco, os carregara e trouxera para a caverna, e tinha ateado fogo neles, a fim de consumir a caverna e o que estava dentro dela.
[15] Assim Adão e Eva seriam abandonados na tristeza, e ele acabaria com sua confiança em Deus, e faria com que eles O negassem.
[16] Mas, por misericórdia de Deus, ele não podia queimar a caverna, pois Deus enviara Seu anjo até a caverna para preservá-la desse fogo, até que este se extinguisse.
[17] E este fogo durou do meio-dia até o raiar do dia seguinte. Este foi o quadragésimo quinto dia.

[Capítulo 44]
[1] Ainda Adão e Eva estavam parados, olhando para o fogo, e incapazes de se aproximarem da caverna por causa de seu pavor.
[2] E Satã continuou trazendo árvores e lançando-as ao fogo, até que a sua chama elevou-se bem alto e cobriu a caverna inteira, pensando ele como pensava consigo mesma em consumir a caverna com muito fogo. Mas o anjo do Senhor a estava protegendo.
[3] E mesmo assim ele não podia amaldiçoar Satã, não podia feri-lo pela palavra, porque não tinha autoridade sobre ele, nem era do seu feitio fazê-lo com palavras de sua boca.
[4] Por isto o anjo lidou com ele sem proferir nenhuma palavra ruim, até que a Palavra de Deus veio, dizendo a Satã: Vai embora daí; uma vez já enganaste Meus servos, e desta vez tu procuras destruí-los.
[5] Não fosse por Minha misericórdia, Eu teria eliminado da terra a ti e a tuas hoste. Mas Eu tenho sido paciente contigo, e o serei até o fim do mundo.
[6] Então Satã fugiu da presença do Senhor. Mas o fogo continuou queimando em torno da caverna como um carvão e brasa durante o dia inteiro; qual era o quadragésimo sexto dia que Adão e Eva passava desde que haviam saído do jardim.
[7] E quando Adão e Eva viram que o calor do fogo baixou um pouco, puseram-se a andar em direção à caverna para entrar nela como precisavam; mas eles ainda não podiam, por causa do calor do fogo.
[8] Então ambos puseram-se a chorar por causa do fogo que os separava da caverna, e que se dirigia para eles, queimando. E Eva estava amedrontada.
[9] Então Adão disse a Eva: Vê este fogo do qual temos uma parte em nós: antes nos obedecia, mas não mais o faz, agora que transgredimos o limite da criação e mudamos nossa condição, e nossa natureza está alterada. Mas o fogo não mudou em sua natureza, nem foi alterado do estado em que foi criado. Portanto, ele tem agora poder sobre nós, e quando nos aproximamos dele ele chamusca nossa carne.

[Capítulo 45]
[1] Então Adão ergueu-se e orou a Deus, dizendo: Vede, este fogo fez uma separação entre nós e a caverna na qual Vós nos ordenastes habitar; mas agora, vede, não podemos entrar nela.
[2] Então Deus ouviu Adão e enviou-lhe Sua Palavra, que dizia:
[3] Ah Adão, vê este fogo! quão diferentes são a sua chama e o seu calor do jardim de delícias e das boas coisas que há nele!
[4] Quando tu estavas sob Meu controle, todas as criaturas abandonavam-se a ti, mas depois que tu desobedeceste ao Meu mandamento, elas todas se levantam contra ti.
[5] Novamente Deus lhe disse: Vê, ó Adão, como Satã te tem exaltado! Ele te privou da Divindade e de um estado sublime em Mim, e não manteve sua palavra a ti mas, depois de tudo, tornou-se teu inimigo. Foi ele quem fez este fogo no qual pretendia queimar-te e a Eva.
[6] Por que, ó Adão, ele não manteve seu acordo contigo nem por um dia sequer, mas te privou da glória que estava contigo, quando tu cedeste ao seu comando?
[7] Tu pensas, Adão, que ele te amou quando fez este acordo contigo? Ou que te amou e desejou elevar-te para o alto?
[8] Mas não, Adão, ele não fez isto tudo por amor a ti; mas desejava fazer-te sair da luz para a escuridão; e de um estado sublime para a degradação; da glória para a humilhação; da alegria para a tristeza; e do descanso para a fome e a fraqueza.
[9] Deus disse também a Adão: Vê este fogo atiçado por Satã em volta de tua caverna; vê esta maravilha que te circunda; e saibas que isto te envolverá, tanto a ti quanto a tua descendência, se atenderdes a seu comando; que ele vos castigará com fogo; e que descereis para o inferno depois de mortos.
[10] Então vereis o queimar de seu fogo, que assim estará queimando em volta de vós e de vossa descendência. Não haverá libertação para vós, a não ser por ocasião da Minha vinda: da mesma maneira como tu não podes entrar na tua caverna, por causa do grande fogo à sua volta; não até que Minha Palavra venha e abra um caminho para ti no dia em que Minha Aliança for cumprida.
[11] Não há nenhuma maneira, no presente momento, de saíres daí para descansar, não até que Minha Palavra venha, aquele que é Minha Palavra. Então Ele abrirá uma passagem para ti, e tu terás descanso. Em seguida Deus falou com Sua Palavra àquele fogo que queimava em volta da caverna, que se afastasse até Adão ter passado por ele. Então o fogo afastou-se pela ordem de Deus, e uma passagem foi aberta para Adão.
[12] E Deus retirou Sua Palavra de Adão.

[Capítulo 46]
[1] Então Adão e Eva puseram-se novamente a caminhar em direção da caverna. E quando chegaram no caminho aberto entre o fogo, Satã soprou para dentro do fogo como um redemoinho, e lançou sobre Adão e Eva um fogo em brasa ardente; de maneira que seus corpos foram chamuscados, e o fogo em brasa queimou-os de leve.
[2] E por causa da queimadura do fogo Adão e Eva gritaram e disseram: ó Senhor, salvai-nos! Não deixeis que sejamos flagelados e consumidos por este fogo ardente, nem nos exijais isso por termos desobedecido Vosso mandamento.
[3] Então Deus olhou para seus corpos, onde Satã fez fogo queimar, e enviou seu anjo, que apagou o fogo. Mas as feridas permaneceram em seus corpos.
[4] E Deus disse a Adão: Vê o amor que tem Satã, que fingiu dar-te a Divindade e a grandeza; e, vê, ele te queima como fogo e procura eliminar-te da face da terra.
[5] E agora olha para Mim ó Adão; Eu te criei, e quantas vezes te libertei de sua mão? Não fosse assim, não teria ele te destruído?
[6] Deus disse novamente a Eva: Que te prometeu ele no jardim, dizendo: Ao comerdes da árvore, vossos olhos se abrirão, e vós sereis como deuses conhecendo o bem e o mal. Mas vê, ele queimou vossos corpos com fogo e obrigou-vos a provar-lhe o gosto, em lugar do gosto do jardim; e obrigou-vos a ver o queimar do fogo e o no mal que disto vem; vede o poder que ele exerce sobre vós.
[7] Vossos olhos virara bem que ele tomou de vós, e verdade ele abriu vossos olhos e vistes o jardim no qual estáveis Comigo, e vós também vistes o mal que adveio de Satã sobre nós. Mas quanto à Divindade, ele não vos pode dar, nem cumprir a promessa feita a vós. Não, ele está amargurado convosco e com vossa descendência que virá depois de vós.
[8] E Deus retirou Sua Palavra deles.

[Capítulo 47]
[1] Então Adão e Eva entraram na caverna, ainda tremendo por causa do fogo que chamuscara seus corpos. Então Adão disse a Eva:
[2] Vê, o fogo queimou nossa carne neste mundo; mas como será quando morrermos e Satã punir nossa alma? Não que nossa libertação esteja muito distante, a não ser que Deus venha, e por misericórdia de nós, cumpra Sua promessa.
[3] Em seguida Adão e Eva entraram na caverna, dando graças por entrarem nela uma vez mais, pois pensavam que nunca mais conseguiriam ao ver o fogo ao seu redor.
[4] Mas quando o sol se estava pondo, o fogo ainda ardia e aproximava-se de Adão e Eva na caverna, de maneira que eles não podiam dormir ali. Depois que o sol se pôs, eles saíram. Este foi o quadragésimo sétimo dia depois de terem saído do jardim.
[5] Adão e Eva então chegaram ao pé da colina ao lado do jardim para dormir, como necessitavam.
[6] E eles puseram-se de pé e oraram a Deus que lhes perdoasse seus pecados, e em seguida adormeceram no sopé da montanha.
[7] Mas Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, pensou consigo mesmo: Conquanto Deus tenha prometido a Adão, por meio da Aliança, que o salvaria de toda miséria, a mim nada me prometeu, através da Aliança, e não me libertará de minhas misérias; e se Ele prometeu-lhe que fará com que ele e sua descendência habitem o reino onde eu estive antes, matarei Adão.
[8] A Terra estará livre dele; e ficará só para mim; de maneira que, ao morrer, ele não terá nenhum descendente para herdar o reino que permanecerá no meu próprio domínio; então Deus precisará de mim e há de me recolocar com minhas hostes.

[Capítulo 48]
[1] Após o que Satã chamou suas hostes, que vieram todas a ele, e disseram-lhe:
[2] O Senhor nosso, que queres tu fazer?
[3] Ele, pois, lhes disse: Sabeis que este Adão, a quem Deus criou do pó, é que nos tomou nosso reino. Vamos, reunamo-nos para matá-lo; arremessaremos uma rocha sobre ele e Eva, e os esmagaremos com ela.
[4] Depois de ouvirem de Satã estas palavras, as hostes foram até a parte da montanha onde Adão e Eva estavam adormecidos.
[5] Então Satã e suas hostes agarraram uma enorme rocha, larga e lisa e sem mácula, porque pensaram consigo mesmos: Se houver um buraco na rocha, ao cair sobre eles, o buraco na rocha poderia encaixar-se sobre eles, e assim eles escapariam e não morreriam.
[6] Ele então disse às suas hostes: Erguei esta rocha e arremessai-a bem em cima deles, de maneira que ela não role para algum outro lugar. E depois de arremessá-la, fugi sem demora.
[7] E eles assim o fizeram conforme ele ordenara. Mas quando a rocha caiu da montanha sobre Adão e Eva, Deus ordenou-lhe que se tornasse um tipo de cobertura sobre eles, sem lhes causar mal algum. E assim se fez por ordem de Deus.
[8] Mas quando a rocha caiu, a terra inteira tremeu com isso, e foi sacudida por causa do tamanho da rocha.
[9] E como a terra tremia e sacudia, Adão e Eva despertaram de seu sono e acharam-se sob uma rocha que pairava como uma cobertura. Mas eles não sabiam como isso tinha acontecido; pois, quando adormeceram, estavam sob o céu e não sob um abrigo; e ao ver isso, ficaram amedrontados.
[10] Então Adão disse a Eva: Por que a montanha curvou-se e a terra tremeu e sacudiu-se por nossa causa? E por que esta rocha estendeu-se sobre nós como uma tenda?
[11] Acaso Deus tenciona castigar-nos e encerrar-nos nesta prisão? Ou Ele quer fechar a terra sobre nós?
[12] Ele está zangado conosco por termos saído da caverna sem ordem Sua; e por termos assim procedido por nossa própria conta, sem consultá-lo, abandonando a caverna e vindo a este lugar.
[13] Então Eva disse: Se, em verdade, a terra tremeu por nossa causa, e esta rocha forma uma tenda sobre nós por causa de nossa desobediência, então ai de nós, ó Adão, pois nosso castigo será longo.
[14] Mas levanta-te e ora Deus e pede-Lhe que nos permita saber a respeito disso, e o que é esta rocha que se estende sobre nós como uma tenda.
[15] Então Adão pôs-se de pé e orou diante de Deus para que lhe permitisse entender esse mistério. E Adão permaneceu assim orando até o amanhecer.

[Capítulo 49]
[1] Então a Palavra de Deus veio e disse:
[2] Ó Adão, quem te aconselhou, quando saíste da caverna, para vir a este lugar?
[3] E Adão disse a Deus: Ó Senhor, nós viemos a este lugar por causa do calor do fogo que nos assolava dentro da caverna.
[4] Então o Senhor Deus disse a Adão: Ó Adão, tu te apavoraste com o calor do fogo por uma noite, mas como ser quando habitares no inferno.
[5] No entanto, ó Adão, não tenhas medo, nem digas em teu coração que estendi esta rocha como uma cobertura sobre tí para castigar-te.
[6] Isto veio de Satã, que te prometera a Divindade e a majestade. Foi ele quem lançou esta rocha sobre ti para te matar, e Eva contigo, e assim impedir-vos de viver sobre a terra.
[7] Mas, por misericórdia de vós, no momento em que esta rocha estava caindo sobre vós, ordenei-lhe que formasse um abrigo sobre vós; e que a rocha debaixo de vós baixasse.
[8] E este sinal, ó Adão, acontecer-me-á durante a Minha vinda à terra: Satã incitará o povo judeu a que Me mate; e deitar-me-ão numa rocha e selarão uma grande pedra sobre Mim, e Eu permanecerei dentro dessa rocha por três dias e três noites.
[9] Mas ao terceiro dia Eu ressurgirei novamente, e será a tua salvação, ó Adão, e a de tua descendência, acreditar em Mim. Mas, ó Adão, não te retirarei de sob essa rocha antes de se passarem três dias e três noites.
[10] E Deus retirou Sua Palavra de Adão.
[11] E Adão e Eva permaneceram sob a rocha três dias e três noites, como Deus lhes ordenara.
[12] E Deus assim procedeu com eles porque eles deixaram sua caverna e vieram ter neste lugar sem Sua ordem.
[13] Mas, após três dias e três noites, Deus abriu a rocha e retirou-os de lá. Tinham a carne ressequida e os olhos e os corações perturbados de tanto chorar.

[Capítulo 50]
[1] Então Adão e Eva saíram de lá e chegaram à Caverna dos Tesouros, e ali permaneceram orando aquele dia inteiro, até o anoitecer.
[2] E isto aconteceu no final dos cinqüenta dias depois de terem deixado o jardim.
[3] Mas Adão e Eva levantaram-se novamente e oraram a Deus na caverna durante aquela noite inteira e pediram-Lhe misericórdia.
[4] E quando o dia amanheceu, Adão disse a Eva. Vem! vamos e façamos alguma coisa para nossos corpos.
[5] Assim eles saíram da caverna e chegaram à fronteira norte do jardim, e procuraram algo para cobrir seus corpos. Mas não encontraram nada, e não sabiam como executar o trabalho. No entanto seus corpos estavam manchados, e eles estavam emudecidos de frio e de calor.
[6] Então Adão se pôs de pé e pediu a Deus que lhe indicasse algo para cobrir seus corpos.
[7] Então veio a Palavra de Deus e disse-lhe: Ó Adão, toma Eva e vem à beira do mar, onde ambos jejuastes antes. Ali encontrareis peles de carneiro cuja carne foi devorada por leões, e cujas peles sobraram. Pegai-as e fazei vestimentas para vós, e vesti-vos com isto.

[Capítulo 51]
[1] Após ouvir estas palavras de Deus, Adão tomou Eva e partiu do extremo norte do jardim para o sul, para o rio de água onde eles haviam jejuado.
[2] Mas, ao caminharem, e antes de alcançarem aquele lugar, Satã, o malvado, ouviu a Palavra de Deus conversando com Adão a respeito de suas vestimentas.
[3] Isto o ofendeu, e ele apressou-se a ir ao lugar onde estavam as peles de carneiro, com a intenção de pegá-las e jogá-las ao mar, ou atirá-las ao fogo, para que Adão e Eva não as encontrassem.
[4] Mas, quando estava prestes a pegá-las, a Palavra de Deus veio do céu e prendeu-o ao lado daquelas peles até Adão e Eva aproximarem-se dele. Mas ao achegarem-se, sentiram medo dele e de sua aterradora aparência.
[5] Então veio a Palavra de Deus a Adão e Eva e disse-lhes: Este é o que estava escondido na serpente, e que vos enganou e despojou-vos da veste de luz e glória na qual estáveis.
[6] Este é quem vos prometeu majestade e Divindade. Onde, então, está a beleza que estava nele? Onde está sua Divindade? Onde está sua luz? Onde está a glória que repousava nele?
[7] Agora sua figura é horrenda; ele se tomou abominável entre os anjos; e passou a ser chamado Satã.
[8] Ó Adão, ele desejava tomar de vós esta veste terrena de peles de carneiro e destruí-la, e não permitir que vos cobrisses com elas.
[9] Será sua beleza, então, tão grande que vos fez segui-lo? E que ganhastes ouvindo-o? Vede suas obras más e então olhai para Mim; para Mim, vosso Criador, e para as boas obras que Eu vos faço.
[10] Vede, Eu o aprisionei ate que chegásseis e o vísseis e percebêsseis sua fraqueza, e que nenhum poder lhe restou.
[11] E Deus o libertou de sua prisão.

[Capítulo 52]
[1] Depois disso Adão e Eva não disseram mais nada, mas choraram perante Deus por terem sido criados e porque seus corpos necessitavam de uma cobertura terrena.
[2] Então Adão disse a Eva. ó Eva, estas são as peles de animais com as quais nos cobriremos. Mas, ao vestirmos isto, vê, uma marca de morte quer recair sobre nós, da mesma maneira que recaiu sobre os donos destas peles, que morreram e desapareceram. Assim também nós morreremos e passaremos.
[3] Então Adão e Eva tomaram as peles e voltaram à Caverna dos Tesouros e, uma vez ali, puseram-se de pé e oraram pois necessitavam.
[4] E pensaram como poderiam fazer vestimentas dessa peles; pois não tinham habilidade para isso.
[5] Então Deus lhes enviou Seu anjo para mostrar-lhe como trabalhá-las. E o anjo disse a Adão: Vai e traz alguns espinhos de palmeira. Então Adão saiu e trouxe alguns como o anjo lhe ordenara.
[6] Em seguida o anjo pôs a trabalhar as peles diante dele, à maneira de quem prepara uma túnica. E pegou os espinhos e enfiou-os nas peles mostrando-lhes como fazê-lo.
[7] Em seguida o anjo pôs-se de pé e pediu a Deus que os espinhos naquelas peles ficassem escondidos, como se fossem cosidos com um único fio.
[8] E assim foi, por ordem de Deus; estas se tornaram vestimentas para Adão e Eva, e Ele com elas os vestiu.
[9] A partir de então a nudez de seus corpos ficou encoberta da vista um do outro.
[10] E isto aconteceu no final do quinquagésimo primeiro dia.
[11] Então, com os corpos cobertos, Adão e Eva puseram-se de pé e oraram e buscaram a misericórdia e perdão do Senhor, e agradeceram-Lhe por Ele ter sido misericordioso, e por haver coberto sua nudez. E eles não interromperam a oração durante aquela noite inteira.
[12] E quando amanheceu, com o nascer do sol, disseram suas preces conforme seu hábito; e saíram da caverna.
[13] E Adão disse a Eva: Já que não sabemos o que existe a oeste desta caverna, vamos pôr-nos a caminho e ver isto hoje. Então eles partiram e caminharam em direção da fronteira oeste.

[Capítulo 53]
[1] Eles ainda não se encontravam muito distante da caverna quando Satã veio em sua direção e escondeu-se entre eles e a caverna, sob a forma de dois leões enfurecidos após três dias sem alimento, que se arremessaram contra Adão e Eva, como se fossem despedaçá-los e devorá-los.
[2] Então Adão e Eva choraram e suplicaram a Deus que os libertassem de suas garras.
[3] Então a Palavra de Deus veio-lhes e expulsou os leões para longe.
[4] E Deus disse a Adão: é Adão, que procuras tu na fronteira oeste? E por que abandonaste por tua própria conta a fronteira leste, onde é a tua moradia?
[5] Agora, então, volta para tua caverna e permanece lá para que Satã não te engane, nem execute seu propósito contra ti.
[6] Pois nesta fronteira oeste, ó Adão, de ti virá uma descendência que a povoará; e que se irá degradar com seus pecados e com sua submissão ao comando de Satã, e também por imitar suas obras.
[7] Por causa disso trarei sobre eles as águas de um dilúvio e destruí-los-ei a todos. Mas libertarei os que se mantiverem justos dentre eles; e tra-los-ei a uma terra distante, e a terra onde agora habitas ficará desolada e sem nenhum morador.
[8] Depois que Deus assim discursou para eles, voltaram à Caverna dos Tesouros. Mas sua carne estava ressequida e sua força falhava-lhes à força de jejuar e orar, e por causa da tristeza que sentiam por ter desobedecido a Deus.

[Capítulo 54]
[1] Então Adão e Eva puseram-se de pé na caverna e oraram durante aquela noite toda até que amanheceu. E após o nascer do sol, ambos saíram da caverna com o pensamento vagueando sob o peso da tristeza, e sem saber para onde caminhar.
[2] E caminharam assim até a fronteira sul do jardim. E começaram a subir ao longo daquela fronteira até chegarem à fronteira leste, além da qual não havia mais espaço.
[3] E o querubim que guardava o jardim estava no portão oeste, protegendo-o de Adão e Eva; para que eles não entrassem subitamente no jardim. E o querubim voltou-se, como se fosse matá-los; de acordo com o mandamento que Deus lhe dera.
[4] Quando Adão e Eva chegaram à fronteira oeste do jardim, pensando consigo mesmos que o querubim não estava olhando, enquanto estavam parados diante do portão como se desejassem entrar, repentinamente veio o querubim com uma espada de fogo flamejante na mão; e ao vê-los, adiantou-se para matá-los. Pois temia que Deus o destruísse se eles entrassem no jardim sem Sua ordem.
[5] E a espada do querubim parecia flamejar de longe. Mas quando ele a ergueu sobre Adão e Eva, sua chama não faiscou.
[6] Por esta razão o querubim pensou que Deus estava favorável a eles, e trazia-os de volta ao jardim. E o querubim parou intrigado.
[7] Ele não podia subir até o Céu para certificar-se da ordem de Deus concernente à entrada deles no jardim; portanto, postou-se na frente deles, já que estava incapacitado de sair de junto deles; pois receava que eles entrassem no jardim sem licença de Deus, e que então o destruiria.
[8] Quando Adão e Eva viram o querubim vindo em sua direção com uma espada de fogo flamejante na mão, eles prostraram-se de medo, e pareciam mortos.
[9] Neste momento os céus e a terra tremeram, e outros querubins desceram do céu até o querubim que guardava o jardim, e viram-no perplexo e silencioso.
[10] Então, novamente, os outros anjos desceram até o lugar onde Adão e Eva estavam. Eles estavam divididos entre a alegria e a tristeza.
[11] Estavam contentes, porque pensavam que Deus estava sendo favorável a Adão, e desejava que ele retornasse ao jardim; e desejava restituí-lo a felicidade que uma vez desfrutara.
[12] Mas entristeciam-se por Adão, pois ele estava caído como um morto, ele e Eva; e disseram em seus pensamentos: Adão não morreu neste lugar; mas Deus o matará por ter vindo a ele, e ter desejado entrar no jardim sem sua permissão.

[Capítulo 55]
[1] Então veio a Palavra de Deus a Adão e Eva, e os fez ressurgir de seu estado de mortos dizendo-lhes: Por que viestes até aqui? E vossa intenção entrar no jardim, do qual Eu vos tirei? Isto não pode ser hoje, mas somente quando a Aliança que Eu fiz convosco for consumada.
[2] Então Adão, ao ouvir a Palavra de Deus e o esvoaçar dos anjos, aos quais não via, mas apenas ouvia com seus ouvidos o seu som, ele e Eva choraram e disseram aos anjos:
[3] Ah Espíritos que servem a Deus, olhai para mim, e para a minha incapacidade, então eu vos via. Eu entoava louvores como vós o fazeis; e meu coração estava bem acima de vós.
[4] Mas agora, que eu desobedeci, aquela natureza luminosa abandonou-me, e eu cheguei a este miserável estado. E agora, neste estado, não posso ver-vos e vós não me servis como costumáveis. Pois eu me tomei carne animal.
[5] Ainda assim, ó anjos de Deus, pedi agora comigo a Deus, que me restitua ao que eu era antes; que me resgate desta miséria e retire de mim a sentença de morte que Ele proferiu contra mim, por tê-lo desobedecido.
[6] Então, ao ouvirem estas palavras, todos os anjos entristeceram-se por ele; e amaldiçoaram Satã que enganara Adão, até que ele saiu do jardim para a miséria; da vida para a morte; da paz para a aflição; e da alegria para uma terra estranha.
[7] Então os anjos disseram a Adão: Tu ouviste Satã e abandonaste a Palavra de Deus,que te criou; e acreditaste que Satã cumpriria tudo o que te prometera.
[8] Mas agora, ó Adão, nós te faremos saber o que nos ocorreu através dele, antes de sua queda do céu.
[9] Ele reuniu suas hostes e enganou-os prometendo dar-lhes um grande reino, uma natureza divina; e outras promessas ele lhes fez.
[10] Suas hostes acreditaram na veracidade de sua palavra, de maneira que confiaram nele e renunciaram à glória de Deus.
[11] Ele então mandou chamar-nos conforme as hierarquias nas quais estávamos, para colocarmo-nos sob seu comando e ouvir sua vã promessa. Mas nós não quisemos e não seguimos seu conselho.
[12] Então, depois de lutar com Deus e ter-se conduzido com arrogância para com Ele, reuniu suas hostes e fez guerra contra nós. E se não fosse pelo poder de Deus, que estava conosco, não poderíamos ter prevalecido contra ele para lançá-lo do céu.
[13] E quando ele caiu para fora do nosso meio, houve um grande júbilo no céu, por ele ter descido para longe de nós. Pois se ele tivesse continuado no céu, nada, nem mesmo um único anjo permaneceria nele.
[14] Mas Deus, em Sua misericórdia, expulsou-o do nosso meio para esta terra escura; pois ele se havia tornado a própria escuridão e um fazedor de injustiça.
[15] E ele continuou, ó Adão, a fazer guerra contra ti, até que te enganou e te fez sair do jardim para esta terra estranha, onde todas estas provações aconteceram a ti. E a morte, que Deus trouxe sobre ele, ele também a trouxe a ti, ó Adão, pois tu lhe obedeceste, e desobedeceste a Deus.
[16] Em seguida, todos os anjos rejubilaram e louvaram a Deus, e pediram-Lhe que não destruísse Adão desta vez, por sua tentativa de entrar no jardim; mas que o tolerasse até o cumprimento da promessa; e o ajudasse neste mundo até que ele se libertasse das mãos de Satã.

[Capítulo 56]
[1] Então veio a Palavra de Deus a Adão e disse-lhe:
[2] Adão, olha para aquele jardim de alegria e para esta terra de labuta, e vê os anjos que estão no jardim, que está repleto deles, e vê a ti sozinho sobre esta terra com Satã, a quem obedeceste.
[3] No entanto, se tu te houvesses submetido e sido obediente a Mim, e tivesses mantido Minha Palavra, estarias com Meus anjos no Meu jardim.
[4] Mas, quando desobedeceste e ouviste Satã, tu te tornaste seu hóspede entre seus anjos, que são cheios de maldade; e vieste a esta terra, que te apresenta espinhos e cardos.
[5] Ó Adão, pede àquele que te enganou que te dê a natureza divina que te prometeu, ou que faça um jardim para ti como Eu o fiz; ou que te preencha com a mesma natureza luminosa com a qual Eu te preenchi.
[6] Pede-lhe que te faça um corpo igual ao que Eu fiz para ti, ou que te dê um dia de descanso como Eu te dei; ou que crie dentro de uma alma racional, como Eu criei para ti; ou que te remova daqui para uma outra terra diferente desta que Eu te dei. Mas, ó Adão, ele não cumprirá uma única coisa sequer das que ele te prometeu.
[7] Reconhece, pois, Minha benevolência para contigo, e Minha misericórdia por ti, Minha criatura; que Eu não te repudiei por tua desobediência Mim, mas em Minha piedade por ti Eu te prometi que no fim dos grandes cinco dias e meio, Eu virei e te salvarei.
[8] Então disse Deus novamente a Adão e Eva: Erguei-vos e descei daqui para que o querubim, com a espada de fogo fulgurante na mão, não vos destrua.
[9] Mas o coração de Adão foi consolado pelas palavras de Deus a ele dirigidas, e adorou-O.
[10] E Deus ordenou a Seus anjos. escoltarem Adão e Eva a caverna em júbilo por causa do medo que os acometera.
[11] Então os anjos ergueram Adão e Eva e os levaram montanha abaixo, com canções e salmos, até que chegaram a caverna. Ali os anjos puseram-se a consolá-los e a fortalecê-los; e então partiram em direção ao céu, para o seu Criador que os havia enviado.
[12] Mas depois que os anjos deixaram Adão e Eva, veio Satã, acanhado, e parou na entrada da caverna na qual estavam Adão e Eva. Ele então chamou Adão, e disse: Ó Adão, vem, deixa-me falar contigo.
[13] Então Adão saiu da caverna, pensando ser este um dos anjos de Deus que viera para dar-lhe um bom conselho.

[Capítulo 57]
[1] Mas quando Adão saiu e viu sua figura horrenda, teve medo dele, e disse-lhe: Quem és tu?
[2] Então Satã respondeu e disse-lhe: Sou aquele que se escondeu na serpente e falou a Eva e a enganou até que ela obedecesse sua ordem. Sou aquele que a enviou, através das artimanhas de minha fala, para enganar-te, até que tu e ela comestes do fruto da árvore; e saístes de sob o comando de Deus.
[3] Mas, ao ouvir estas suas palavras, Adão lhe disse: Acaso tu podes fazer-me um jardim como o que Deus fez para mim? Ou acaso tu podes vestir-me com a mesma natureza luminosa com a qual Deus me vestiu?
[4] Onde está a natureza divina que prometeste dar-me? Onde está aquela bela conversa que mantiveste conosco antes, quando estávamos no jardim?
[5] Então Satã disse a Adão: Tu pensas que se eu prometesse qualquer coisa a alguém,eu lha traria algum dia ou cumpriria minha palavra? Não é assim. Pois eu mesmo nunca pensei em obter o que pedia.
[6] Por isso eu caí, e te fiz cair pelo que eu mesmo caí; e assim é conosco também; quem aceitar meu conselho, cairá por isto.
[7] Mas agora, ó Adão, em razão de tua queda tu estás sob meu governo, e eu sou teu soberano; porque tu me ouviste e desobedeceste teu Deus. Nem haverá libertação alguma de minhas mãos até o dia prometido a ti por teu Deus.
[8] Novamente ele disse: Já que não sabemos o dia combinado contigo por teu Deus, nem a hora que serás libertado, por esta razão nós multiplicaremos a guerra e o assassínio contra ti, e teus descendentes depois de ti.
[9] É de nossa vontade e por nosso bel-prazer que não deixaremos nenhum dos filhos dos homens para herdar nossas hierarquias no céu.
[10] Quanto à nossa moradia, ó Adão, é no fogo ardente; e não cessaremos nossas obras más, não, nem por um dia nem por uma hora sequer. E eu, ó Adão, atiçarei o fogo sobre ti quando vieres à caverna para nela habitar.
[11] Depois de ouvir estas palavras, Adão chorou e lamentou-se e disse a Eva: Ouve o que ele disse: que não cumprirá nada do que te prometeu no jardim. Será verdade, então, que ele se tornou nosso soberano?
[12] Mas pediremos a Deus, que nos criou, que nos liberte de suas mãos.

[Capítulo 58]
[1] Então Adão e Eva estenderam suas mãos para Deus, orando e pedindo-Lhe que expulsasse Satã para longe deles; para que ele não lhes causasse nenhuma violência, e não os forçasse a negar Deus.
[2] Então Deus imediatamente lhes enviou Seu anjo, que expulsou Satã para longe deles. Isto aconteceu por volta do pôr-do-sol, ao quinquagésimo terceiro dia depois de sua saída do jardim.
[3] Então Adão e Eva entraram na caverna e prostraram-se com suas faces voltadas para a terra, para orar a Deus.
[4] Mas enquanto oravam, Adão disse a Eva: Tu viste que tentações sucederam-nos nesta terra. Vem, levantemo-nos e peçamos a Deus que nos perdoe os pecados que cometemos; e não sairemos antes do final do dia após o quadragésimo. E se morrermos aqui, Ele nos salvará.
[5] Então Adão e Eva ergueram-se e uniram-se na súplica a Deus.
[6] Eles permaneceram assim orando na caverna; não saiam nem de noite nem de dia, até que suas preces elevaram-se de sua boca como uma chama de fogo.

[Capítulo 59]
[1] Mas Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, não lhes permitiu terminarem suas preces. Pois convocou suas hostes e todas vieram. Ele então lhes disse: Desde que Adão e Eva, a quem enganamos, concordaram entre si em orar a Deus noite e dia, e pedir-Lhe que os liberte, e desde que eles não querem sair da caverna até o final do quadragésimo dia.
[2] E desde que eles continuarão suas preces como ambos concordaram em fazer, para que Ele os liberte de nossas mãos e os restitua a seu estado anterior, vejam o que faremos com eles. E suas hostes disseram-lhe: O poder é teu, ó Senhor nosso, para fazer o que te agradar.
[3] Então Satã, grande em maldade, levou suas hostes e entrou na caverna, na trigésima noite dos quarenta dias; e golpeou Adão e Eva, até deixá-los mortos.
[4] Então veio a Adão e Eva a Palavra de Deus, a qual os ergueu de seu sofrimento, e Deus disse a Adão: Sê forte não tenhas medo daquele que acabou de vir a ti.
[5] Mas Adão chorou e disse: Onde estáveis Vós, ó meu Deus, quando eles nos golpearam e este sofrimento nos acometeu, a mim e a Eva, Vossa serva?
[6] Então Deus lhe disse: Adão, vê, ele é senhor e mestre de tudo que tu tens, aquele que disse que te daria a Divindade. Onde está este amor por ti? E onde está o presente que ele prometeu?
[7] Ao menos uma vez agradou-lhe, ó Adão, vir a ti, consolar-te e fortalecer-te, e rejubilar-se contigo, e enviar suas hostes para te proteger, porque tu o ouviste e seguiste o seu conselho e desobedeceste meu mandamento e seguiste seu comando?
[8] Então Adão chorou perante o Senhor, e disse: ó Senhor, porque eu desobedeci um pouco, Vós me castigastes dolorosamente por isso, mas eu Vos peço, libertai-me de suas mãos; ou então tende piedade de mim e retirai minha alma de meu corpo que está agora nesta terra estranha.
[9] Então Deus disse a Adão: Se ao menos tivesse havido este suspirar e orar antes, antes que tu desobedecesses! Então tu terias repouso da aflição em que estás agora.
[10] Mas Deus teve paciência com Adão e permitiu-lhe, e a Eva, permanecerem na caverna até que se cumprissem os quarenta dias.
[11] Mas quanto a Adão e Eva, sua força e carne definharam pelo jejum e pela oração, de fome e sede; pois eles não tinham provado nem alimento nem bebida desde que deixaram o jardim; nem as funções de seus corpos ainda estavam estabelecidas; e eles não tinham mais força para continuar em oração por causa da fome, até o fim do dia posterior ao quadragésimo. Eles estavam caídos na caverna; ainda assim a fala que escapasse de suas bocas, era somente de louvores.

[Capítulo 60]
[1] Então, no trigésimo nono dia, Satã veio à caverna vestindo um traje de luz e com um cinto reluzente amarrado à cintura.
[2] Em suas mãos segurava um bastão de luz, e sua aparência era muito assustadora, mas sua face era agradável e sua fala doce.
[3] Transformara-se assim com o propósito de enganar Adão e Eva, e fazê-los sair da caverna, antes de cumprirem os quarenta dias.
[4] Pois ele disse consigo mesmo: Agora, se eles cumprirem os quarenta dias de jejum e oração, Deus os restituirá a seu estado anterior; e se Ele não o fizer, ainda assim será benevolente para com eles; e mesmo se Ele não tiver misericórdia deles, ainda lhes dará algo do jardim para consolá-los; como já o fez por duas vezes.
[5] Então Satã aproximou-se da caverna com esta agradável aparência e disse:
[6] Ah Adão, erguei-vos, ponde-vos de pé, tu e Eva, e acompanhai-me a uma terra boa; e não tenhais medo. Eu sou de carne e osso como vós; e fui a primeira criatura criada por Deus.
[7] E assim foi que, depois de criar-me, Ele me colocou num jardim ao norte, nos limites do mundo.
[8] E Ele me disse: Permanece aqui! E eu permaneci ali de acordo com Sua Palavra, e não desobedeci Seu mandamento.
[9] Então Ele fez um sopro vir sobre mim, e Ele te tirou, ó Adão, do meu lado, mas não te fez habitar junto a mim.
[10] Mas Deus tomou-te em Sua mão divina e colocou-te num jardim no leste.
[11] Então eu me entristeci por tua causa, pois enquanto que Deus te tirara de meu lado, Ele não te permitiu permanecer comigo.
[12] Mas Deus me disse: `Não te entristeças por causa de Adão a quem eu tirei de teu lado, nenhum mal lhe acontecerá.
[13] Pois agora Eu tirei de seu lado uma companheira para ele; e dei-lhe alegria assim procedendo.
[14] Em seguida Satã disse novamente: Eu não sabia como aconteceu que viésseis para esta caverna, nem nada sobre esta provação que vos acometeu, até que Deus me disse: Vê, Adão desobedeceu, aquele que tirei do teu lado, e Eva também, a quem tirei do lado dele; e expulsei-os do jardim; eu os fiz habitar num país de tristeza e miséria, porque eles Me desobedeceram e deram ouvidos a Satã. E eis que estão sofrendo até este dia, o octogésimo!
[15] Então Deus me disse: Levanta-te, vai a eles, e faze-os virem para a tua casa, e não permitas que Satã aproxime-se deles e os perturbe. Pois eles estão agora em grande miséria; e estão caídos, definhado de fome.
[16] Ele continuou dizendo-me: Quando tu os levares para tua casa, dá-lhes de comer de fruto da Árvore da Vida, e dá-lhes de beber da água da paz; e veste-os com uma vestimenta de luz, e restitui-os a seu anterior estado de graça, e não os deixeis em miséria, pois eles: vieram de ti. Mas não te entristeças por eles nem te arrependas daquilo que lhes sucedeu.
[17] Mas quando eu ouvi isto, fiquei entristecido; e meu coração não pôde suportá-lo pacientemente por tua causa. O meu filho.
[18] Mas, ó Adão, ao ouvir isto, o nome de Satã, fiquei amedrontado, e disse comigo mesmo: Não sairei, a fim de que ele não me apanhe numa armadilha como o fez a meus filhos Adão e Eva.
[19] E eu disse: ó Deus quando eu for a meus filhos Satã me encontrará no caminho e fará guerra contra mim, como o fez contra eles.
[20] Então Deus me disse. Não tenhas medo; ao encontrá-lo, golpeia-o com o bastão que seguras em tua mão, e não tenhas medo dele, pois tu pertences à antiga ordem e ele não prevalecerá contra ti.
[21] Então eu disse: ó meu Senhor, eu estou velho, e não posso ir. Enviai Vossos anjo para que me tragam.
[22] Mas Deus me disse: Os anjos, na verdade, não são como eles, e não concordarão em acompanhá-los. Mas Eu te escolhi porque eles são teus rebentos, e semelhantes a ti, ouvirão o que dizes.
[23] Deus me disse mais: Se tu não tens forças para caminhar, enviarei uma nuvem para te carregar e deixar-te à entrada da caverna; então a nuvem retornará deixando-te lá.
[24] E se eles vierem contigo, enviarei uma nuvem para carregar-te a ti e a eles.
[25] Então Ele ordenou que viesse uma nuvem, e esta carregou-me e trouxe-me a vós; e em seguida retornou.
[26] E agora, ó meus filhos, Adão e Eva, olhai para meus cabelos brancos e para meu estado de debilidade e para minha vinda daquele lugar distante. Vinde, vinde comigo para um lugar de repouso.
[27] Então ele começou a chorar e a soluçar diante de Adão e Eva, e suas lágrimas jorravam sobre a terra como água.
[28] E quando Adão e Eva ergueram seus olhos e viram sua barba, e ouviram sua doce fala, seus corações comoveram-se com ele; ouviram-no, pois acreditaram que ele era verdadeiro.
[29] E parecia-lhes que real-mente eram seus filhos, quando viram que sua face era igual à deles próprios; e confiaram nele.

[Capítulo 61]
[1] Então ele tomou Adão e Eva pela mão, e começou a conduzi-los para fora da caverna.
[2] Mas quando estavam a pouca distância dela, sabendo Deus que Satã os havia dominado e os estava tirando de lá antes que se cumprissem os quarenta dias, para levá-los a algum lugar distante e depois destruí-los, então a Palavra do Senhor Deus novamente veio e amaldiçoou Satã e afastou-o deles.
[3] E Deus começou a falar a Adão e Eva, dizendo-lhes: Que foi que vos fez sair da caverna para este lugar?
[4] Então Adão disse a Deus: Acaso criastes um homem antes de nós? Pois quando estávamos na caverna subitamente veio a nós um bom velho que nos disse que era um mensageiro de Deus a nós, para levar-nos de volta a algum lugar de repouso.
[5] E acreditamos, ó Deus, que ele era o Vosso mensageiro, e saímos com ele; e não sabíamos se devíamos ou não ir com ele.
[6] Então Deus disse a Adão: Vê, foi o pai das artes malignas que te conduziu e a Eva para fora do jardim das Delícias. E agora, certamente, ao ver que tu e Eva vos unistes para jejuar e orar, e que vós não sairíeis da caverna antes do término dos quarenta dias, ele desejou tomar vão vosso propósito, quebrar vosso laço mútuo; tirar toda vossa esperança e conduzir-vos para algum lugar onde pudesse destruir-vos.
[7] Porque ele seria incapaz de fazer-vos qualquer coisa, a não ser que se mostrasse semelhante a vós.
[8] Portanto, ele veio a vós com uma face igual à vossa e começou a fazer-vos ofertas como se elas fossem todas verdadeiras.
[9] Mas Eu, por misericórdia e pela benevolência que tive por vós, não lhe permiti que vos destruísse, mas afastei-o de vós.
[10] Agora, portanto, ó Adão, toma Eva e volta para vossa caverna, e permanece lá até o raiar do quadragésimo dia. E quando sairdes, ide em direção ao portão leste do jardim.
[11] Então Adão e Eva adoraram a Deus, e louvaram e agradeceram-no pela salvação que lhes viera d’Ele. E retornaram para caverna. Isto aconteceu ao anoitecer do trigésimo nono dia.
[12] Então Adão e Eva puseram-se de pé e, com grande zelo, oraram a Deus, para que sua necessidade de força fosse satisfeita; pois sua força os havia abandonado, por fome e sede e oração. Mas eles permaneceram em vigília aquela noite inteira orando, até a manhã.
[13] Então Adão disse a Eva: Levanta-te, vamos em direção ao portão leste do jardim como Deus nos disse.
[14] E eles disseram suas preces como era de hábito diário; e saíram da caverna, para aproximarem-se do portão leste do jardim.
[15] Então Adão e Eva puseram-se em pé e oraram e suplicaram a Deus que os fortalecesse e que lhes enviasse algo com que satisfazer sua fome.
[16] Mas quando terminaram suas preces, permaneceram onde estavam pois lhes faltava forças.
[17] Então veio a Palavra de Deus novamente e disse-lhes: Ah Adão, levanta-te, vai e traz para cá dois figos.
[18] Então Adão e Eva levantaram-se, e caminharam até se aproximarem da caverna.

[Capítulo 62]
[1] Mas Satã o perverso estava com inveja pelo consolo que Deus lhes dera.
[2] Assim, ele os precedeu e entrou na caverna e pegou o dois figos e enterrou-os do lado de fora da caverna, de maneira que Adão e Eva não os encontrassem. Ele também tinha em seus pensamentos destruí-los.
[3] Mas, por misericórdia de Deus, logo que aqueles dois figos; estavam dentro da terra, Deus anulou o desígnio de Satã em relação a eles e transformou-o em duas árvores frutíferas que sombreavam a caverna.
[4] Então, quando as duas árvores cresceram e cobriram se de frutos, Satã afligiu-se lamentou-se, e disse: Teria sido melhor deixar aqueles figos como estavam; pois agora vê, eles se transformaram em duas árvores frutíferas, das quais Adão comerá todos os dias de sua vida. Enquanto que o que eu tinha em pensamento, quando os enterrei, em destruí-los inteiramente, escondê-los para sempre.
[5] Mas Deus anulou meu desígnio, e não quis que esta fruta sagrada perecesse; e Ele desmascarou minha intenção e anulou o plano que eu armara contra Seus servos.
[6] Então Satã partiu envergonhado, por não ter alcançado seu desígnio.

[Capítulo 63]
[1] Mas Adão e Eva, ao se aproximarem da caverna, viram duas figueiras cobertas de frutos e sombreando a caverna.
[2] Então Adão disse a Eva: Parece-me que nos perdemos. Quando é que estas duas árvores cresceram aqui? Parece-me que o inimigo deseja nos desviar. Acaso tu dirias que há na terra uma outra caverna que não esta?
[3] Ainda assim, ó Eva, entremos na caverna e achemos nela os dois figos; pois esta é a nossa caverna, na qual estávamos. Mas se não acharmos os dois figos nela, então não pode ser a nossa caverna.
[4] Então entraram na caverna e procuraram por seus quatro cantos, mas não encontraram os dois figos.
[5] E Adão chorou e disse a Eva: Viemos então a uma caverna errada, ó Eva? Parece-me que estas duas figueiras são os dois figos que estavam na caverna. E Eva disse: Eu, de minha parte, não sei.
[6] Então Adão pôs-se de pé e orou e disse: ó Deus, Vós nos ordenastes voltar à caverna, pegar os dois figos e então retornar a Vós.
[7] Mas agora não os encontramos. Ó Deus, ou Vós os pegastes, e plantastes estas duas árvores, ou perdemos nosso caminho; ou o inimigo nos enganou? Se isto for assim, então, ó Deus, revelai-nos o segredo destas árvores e dos dois figos.
[8] Então veio a Palavra de Deus a Adão, e disse-lhe: ó Adão, quando Eu te enviei para buscar os figos, Satã foi na tua frente à caverna, pegou os figos e enterrou-os do lado de fora, a leste da caverna, pensando em destruí-los; e não plantando-os com boa intenção.
[9] Não é por sua bondade, então, que estas árvores cresceram instantaneamente; mas Eu tive misericórdia de ti e ordenei-lhes que crescessem. E elas cresceram até se tomarem duas grandes árvores, para que tenhais sombra sob seus galhos, e encontreis repouso, e que Eu vos faça ver Meu poder e Minhas obras maravilhosas.
[10] E também para mostrar-vos a maldade de Satã e suas obras más, pois desde que saístes do jardim, ele não cessou, não, nem por um único dia sequer, de fazer-vos algum mal. Mas Eu não lhe dei poder sobre vós.
[11] E Deus disse: Daqui por diante, ó Adão, regozijai-vos com as árvores, tu e Eva; e repousai debaixo delas quando vos sentirdes cansados. Mas não comais de seus frutos, nem vos aproximeis deles.
[12] Então Adão chorou, e disse: ó Deus, Vós nos matareis novamente ou nos expulsareis de Vossa presença e eliminareis nossa vida da face da terra?
[13] Ó Deus, eu Vos imploro, se sabeis que nestas árvores há morte ou algum mal,como da primeira vez, arrancai-as de perto de nossa caverna, ou secai-as; e deixai-nos morrer de calor, de fome, e de sede.
[14] Pois nós conhecemos Vossas obras maravilhosas, ó Deus, sabemos que são grandiosas e que pelo Vosso poder podeis fazer sair uma coisa da outra, independentemente de alguém o desejar. Pois Vosso poder pode transformar rochas em árvores, e árvores em rochas.

[Capítulo 64]
[1] Então Deus olhou para Adão e para sua força de pensamento, para sua resistência à fome e à sede e ao calor. E Ele transformou as duas figueiras em dois figos como eram antes e então disse a Adão e Eva: Cada um de vós pode pegar um figo. E eles os pegaram, como o Senhor lhes ordenara.
[2] E Ele lhes disse: Entrai na caverna e comei os figos e satisfazei vossa fome, a fim de que não morrais.
[3] Assim, como Deus lhes ordenara, eles entraram na caverna por volta do pôr-do-sol. E Adão e Eva se puseram de pé e oraram à hora do pôr-do-sol.
[4] Então sentaram-se para comer os figos; mas não sabiam como comê-los; pois não estavam acostumados a comer alimento terreno. Eles receavam também que, se comessem, seus estômagos ficariam sobrecarregados e sua carne mais densa e seus corações passariam a gostar de alimento terreno.
[5] Mas, enquanto estavam assim sentados, Deus, por piedade deles, enviou-lhes Seu anjo, a fim de que não perecessem de fome e sede.
[6] E o anjo disse a Adão e Eva: Deus vos manda dizer que não tendes força para jejuar até a morte; comei, portanto, e fortalecei vosso corpo; pois agora sois carne animal, que não pode subsistir sem alimento e água.
[7] Então Adão e Eva pegaram os figos e puseram-se a comê-los. Mas Deus introduzira neles uma mistura como a de pão saboroso e sangue.
[8] Então o anjo deixou Adão e Eva, que comeram dos figos; até saciarem sua fome. Em seguida guardaram o que restou, mas pelo poder de Deus, os figos ficaram cheios como antes porque Deus os abençoara.
[9] Depois disso, Adão e Eva ergueram-se e oraram com coração alegre e a força renovada, e louvaram e rejubilaram-se sem cessar durante a noite inteira. E este foi o fim do octogésimo terceiro dia.

[Capítulo 65]
[1] E quando o dia raiou, levantaram-se e oraram, segundo o seu hábito, e em seguida, saíram da caverna.
[2] Mas como sentiam-se muito perturbados por causa do alimento que ingeriram, e a qual não estavam acostumados, andavam a esmo pela caverna dizendo um ao outro:
[3] Que foi que nos aconteceu ao comermos, para que esta dor nos acometesse? Ai de nós, morreremos! Teria sido melhor morrer que ter comido; e ter mantido puro nosso corpo que tê-lo poluído com alimento.
[4] Então Adão disse a Eva: Esta dor não nos acometeu no jardim, nem comíamos lá alimento ruim assim. Tu pensas, ó Eva, que Deus nos castigará através do alimento que está dentro de nós, ou que nossas entranhas sairão? Ou que Deus pretende matar-nos com esta dor antes que Ele cumpra Sua promessa a nós?.
[5] Então Adão implorou ao Senhor e disse: Ó Senhor, não nos deixeis perecer através do alimento que ingerimos. Ó Senhor, não nos abatais; mas lidai conosco de acordo com Vossa grande misericórdia, e não nos abandoneis até o dia da promessa que nos fizestes.
[6] Então Deus olhou para eles e imediatamente tornou-os aptos para comer alimento; como até hoje; a fim de que não perecessem.
[7] Então Adão e Eva voltaram à caverna tristes e chorando por causa da alteração em sua natureza. E ambos sabiam desde então que eram seres alterados; que sua pretensão de voltar ao jardim agora estava rompida; e que não poderiam mais penetrar nele.
[8] Pois agora seus corpos tinham funções estranhas; e toda a carne que necessita de alimento e água para sua existência não pode estar no jardim.
[9] Então Adão disse a Eva: Vê, nossa esperança rompeu-se: e também a de entrarmos no jardim. Não fazemos mais parte dos habitantes do jardim; mas daqui por diante somos terrenos e pertencemos ao pó, somos habitantes da terra. Não retomaremos ao jardim até o dia que Deus prometeu salvar-nos e levar-nos novamente ao jardim, como Ele nos prometeu.
[10] Então eles oraram a Deus para que tivesse misericórdia deles; depois do que acalmaram-se, mas o coração deles continuava dilacerado e sua saudade esfriara; e eram como estrangeiros na terra. Aquela noite Adão e Eva passaram na caverna, onde dormiram pesadamente por causa do alimento que haviam ingerido.

[Capítulo 66]
[1] Quando amanheceu, no dia seguinte, depois de terem comido o alimento, Adão e Eva oraram na caverna, e Adão disse a Eva: Vê, pedimos a Deus alimento e Ele no-lo deu. Mas agora vamos pedir-Lhe que nos dê água para beber.
[2] Então eles se levantaram e foram até a beira do rio de água que estava na fronteira sul do jardim, no qual eles se haviam lançado antes. E pararam à margem e oraram a Deus para que Ele lhes ordenasse beber da água.
[3] Então a Palavra de Deus veio a Adão e disse-lhe: Ó Adão, seu corpo agora tornou-se grosseiro e necessita de água. Tomai e bebei, tu e Eva; dai graças e louvai.
[4] Adão e Eva então se aproximaram e beberam dela, até que seus corpos sentiram-se refrescados. Após beberem, eles louvaram a Deus, e em seguida voltaram à caverna, segundo seu hábito anterior. Isto aconteceu no final de oitenta e cinco dias.
[5] Então, no octogésimo sexto dia, eles tomaram de dois figos e os penduraram na caverna, junto com suas folhas, para que fossem uma marca e uma bênção de Deus. E colocaram-nos lá até que lhes surgisse uma posteridade, que veria as coisas maravilhosas que Deus lhes fizera.
[6] Então Adão e Eva nova-mente puseram-se de pé fora da caverna e imploraram a Deus que lhes mostrasse algum alimento com o qual nutrir seus corpos.
[7] Então a Palavra de Deus veio e disse: Ó Adão, desce para o lado oeste da caverna, até a terra de solo escuro, que lá acharás alimento.
[8] E Adão obedeceu à Palavra de Deus, tomou Eva e desceu à terra do solo escuro, e lá encontrou trigo crescendo, espigado e maduro, e figos para comer; e Adão rejubilou-se com isto.
[9] Então a Palavra de Deus veio novamente a Adão e disse-lhe: Toma desse trigo e dele faze pão para ti, para nutrir teu corpo com ele. E Deus deu ao coração de Adão sabedoria para trabalhar o cereal até este transformar-se em pão.
[10] Adão executou tudo isso, até ficar enfraquecido e cansado. Então voltou à caverna: rejubilando-se com o que havia aprendido a fazer com o trigo, até transformá-lo em pão para consumo próprio.

[Capítulo 67]
[1] Mas quando Adão e Eva desceram à terra da lama negra, e se aproximaram do trigo que Deus lhes mostrara e viram-no maduro e pronto para ceifar, como não havia foice para ceifá-lo, cingiram-se e puseram-se a arrancar o trigo até tudo terminar.
[2] Então juntaram-no num monte; e, debilitados pelo calor e pela sede, abrigaram-se à sombra de uma árvore, onde a brisa acalentou-os até dormirem.
[3] Mas Satã viu o que Adão e Eva tinham feito. E chamou suas hostes e disse-lhes: Já que Deus mostrou a Adão e Eva tudo sobre seu trigo para fortalecer seus corpos, e, eis que eles vieram e fizeram um monte dele, e agora debilitados pela labuta estão agora adormecidos, vinde, vamos tocar fogo neste monte de cereal e queimá-lo e tomemos esta bilha de água que está a seu lado e esvaziem-na a fim de que eles não encontrem nada para beber, e assim os mataremos de fome e sede.
[4] Então, quando eles acordaram de seu sono, e procurarem voltar à caverna, nós iremos até eles no caminho e os desviaremos; para que ele: morram de fome e sede; então talvez eles possam negar Deus e Ele os destruirá. Assim nos livraremos deles.
[5] Então Satã e suas hostes lançaram fogo sobre o trigo e o consumiram.
[6] Mas, por causa do calor das chamas, Adão e Eva despertaram de seu sono e viram o trigo queimado e a bilha de água a seu lado, derramada.
[7] Então eles choraram e voltaram à caverna.
[8] Mas ao subirem do sopé da montanha onde estavam, Satã e suas hostes vieram ao seu encontro na forma de anjos, louvando a Deus.
[9] Então Satã disse a Adão: Ó Adão, por que sofres tanto de fome e sede? Parece-me que Satã queimou o trigo. E Adão lhe disse: Sim.
[10] Novamente Satã disse a Adão: Volta conosco; somos anjos de Deus. Deus nos enviou a ti para mostrar-te um outro campo de cereal melhor que esse; e além dele há uma fonte de água boa e muitas árvores, próximo de onde tu morarás e lavrarás o campo de trigo para um propósito melhor do que este que Satã consumiu.
[11] Adão pensou ser verdade, e que eram anjos esses que lhe falavam; e voltou com eles.
[12] Então Satã se pôs a desencaminhar Adão e Eva durante oito dias, até que ambos caíram como mortos de fome e sede e exaustão. Então ele fugiu com suas hostes e abandonou-os.

[Capítulo 68]
[1] Então Deus olhou para Adão e Eva e para o que lhes acontecera por causa de Satã, e como ele os fizera perecer.
[2] Deus, então, enviou Sua Palavra e ergueu Adão e Eva de seu estado de morte.
[3] Em seguida, Adão, depois de ressurgido, disse: Ó Deus, queimastes e nos tomastes o grão que nos destes e esvaziastes a bilha de água. E enviastes Vossos anjos, que nos desviaram do campo de trigo. Quereis fazer-nos perecer? Se isto vem de Vós, ó Deus, então tirai nossa alma; mas não nos castigueis.
[4] Então Deus disse a Adão: Eu não queimei o trigo e não derramei a água da bilha e não enviei Meus anjos para desencaminhar-te.
[5] Mas Satã, teu senhor, é que o fez; ele, a quem tu te sujeitaste, rejeitando assim Meu mandamento. Ele foi quem queimou o trigo e derramou a água e desencaminhou-te; e todas as promessas que ele te tem feito em verdade são apenas uma ilusão, um engodo e uma mentira.
[6] Mas agora, ó Adão, deves reconhecer Minhas boas obras feitas a ti.
[7] E Deus ordenou a Seus anjos que pegassem Adão e Eva e levassem-nos ao campo de trigo, o qual encontraram como antes, com a bilha cheia de água.
[8] Lá eles viram uma árvore e nela encontraram maná sólido; e os anjos ordenaram-lhes comer do maná quando estivessem famintos.
[9] E Deus conjurou Satã com uma maldição, para que não mais viesse e destruísse o campo de trigo.
[10] Em seguida, Adão e Eva tomaram o trigo e fizeram dele uma oferenda, pegaram-na e ofereceram-na na montanha, o lugar onde tinham feito sua primeira oferenda de sangue.
[11] E ofereceram esta oblação novamente sobre o altar que haviam erguido antes. E permaneceram em pé e oraram, e suplicaram ao Senhor dizendo: Ó Deus, quando estávamos no jardim, nossos louvores elevavam-se a Vós assim como esta oferenda e nossa inocência elevava-se a Vós como esse incenso. Mas agora, ó Deus, aceitai de nós esta oferenda, e não nos abandoneis, privados de Vossa misericórdia.
[12] Então Deus disse a Adão e Eva: já que fizestes esta oblação e a oferecestes a Mim, Eu a farei da Minha carne quando descer à terra para vos salvar; e farei com que seja oferecida continuamente no altar, por perdão e por misericórdia, para aqueles que dela participarem devidamente.
[13] E Deus enviou um fogo reluzente sobre a oferenda de Adão e Eva e encheu-a de esplendor, graça e luz; e o Espírito Santo desceu sobre esta oblação.
[14] Então Deus ordenou a um anjo que apanhasse línguas de fogo e com elas fizesse uma oferenda e a levasse para Adão e Eva. E o anjo assim o fez, como Deus lhe ordenara, e ofereceu-lhes.
[15] E as almas de Adão e Eva ficaram radiantes, seus corações se encheram de alegria e contentamento e com louvores a Deus.
[16] E Deus disse a Adão: Este será um costume entre vós; fareis assim quando a aflição e a tristeza vos acometerem. Mas vossa libertação e vossa entrada no jardim não se dará até que os dias se cumpram, como o combinado entre Eu e vós; assim não fosse, Eu, por Minha misericórdia e piedade por vós, trar-vos-ia de volta ao Meu jardim, e à Minha proteção, por causa da oferenda que acabastes de fazer ao Meu nome.
[17] Adão rejubilou-se com estas palavras que ouviu de Deus; e ele e Eva O adoraram perante o altar, no qual fizeram reverências, e em seguida voltaram à Caverna dos Tesouros.
[18] E isto aconteceu no fim do décimo segundo dia após o octogésimo dia, desde que Adão e Eva saíram do jardim.
[19] E eles permaneceram em pé durante a noite inteira orando até o amanhecer; e então saíram da caverna.
[20] Com alegria no coração, por causa da oferenda que tinham feito a Deus, e que havia sido aceita por Ele, Adão disse a Eva: Façamos isto três vezes por semana, no quarto dia, quarta-feira, no dia da preparação, sexta-feira, e no domingo Sabático, durante todos os dias de nossas vidas.
[21] E como concordassem com estas palavras entre eles, seus pensamentos agradaram Deus, assim como a resolução que tomaram juntos.
[22] Após isso, veio a Palavra de Deus a Adão e disse: Ó Adão, tu determinaste com antecedência os dias nos quais virão sofrimentos sobre Mim, quando Me tornar carne; pois são o quarto dia, quarta-feira, e o dia da preparação, sexta-feira.
[23] Mas, quanto ao primeiro dia, Eu criei então todas as coisas e ergui os céus. E, novamente, através da Minha Ressurreição neste dia, de novo criarei alegria e elevarei às alturas aqueles que acreditarem em Mim; ó Adão, oferece esta oblação todos os dias de tua vida.
[24] Então Deus retirou Sua Palavra de Adão.
[25] Mas Adão continuou oferecendo esta oblação assim. Todas as semanas, três vezes, até o final de sete semanas. E no primeiro dia, que é o quinquagésimo, Adão fez uma oferenda como costumava, e ele e Eva pegaram-na e foram ter ao altar perante Deus, como Ele lhes ensinara.

[Capítulo 69]
[1] Então Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, invejoso de Adão e de sua oferenda através da qual ele obtivera a graça de Deus, apressou-se e pegou uma pedra afiada dentre as pedras-ferro afiadas; apareceu na forma de um homem, foi e postou-se ao lado de Adão e Eva.
[2] Adão estava com suas oferendas no altar e havia começado a orar, com suas mãos estendidas a Deus.
[3] Então Satã avançou com uma pedra-ferro afiada que tinha consigo, e com ela trespassou Adão do lado direito, fazendo verter sangue e água, então Adão caiu sobre o altar como um cadáver. E Satã fugiu.
[4] Então Eva acorreu e pegou Adão e colocou-o debaixo do altar. E lá permaneceu, pranteando-o; enquanto um jorro de sangue escorria do lado de Adão sobre sua oferenda.
[5] Mas Deus olhou para a morte de Adão. Então enviou Sua Palavra e ergueu-o e disse-lhe: Executa tua oferenda, pois em verdade, Adão, ela é de grande valor, e nela não há erro.
[6] Deus disse mais a Adão: Assim também acontecerá a Mim, na terra, quando Eu for trespassado, e sangue e água escorrerão do Meu lado e escorrerão sobre Meu corpo, que é a verdadeira oferenda; e que será oferecido no altar como uma oferenda perfeita.
[7] Então Deus ordenou que Adão terminasse sua oferenda, e quando ele acabou, adorou a Deus e louvou-O pelos sinais que lhe mostrara.
[8] E Deus curou Adão em um dia, que é o final das sete semanas; e que é o quinquagésimo dia.
[9] Então Adão e Eva voltaram da montanha e entraram na Caverna dos Tesouros, como costumavam. Com isto completaram-se para Adão e Eva, cento e quarenta dias desde sua saída do jardim.
[10] Em seguida ambos permaneceram em pé aquela noite e oraram a Deus. E, quando amanheceu, saíram e desceram na direção oeste da caverna, ao lugar onde estava seu trigo, e aí repousaram à sombra de uma árvore, pois o necessitavam.
[11] Mas, uma vez ali, um bando de animais selvagens cercou-os. Era obra de Satã, em sua maldade; para fazer guerra contra Adão através do casamento.

[Capítulo 70]
[1] Após isto, Satã, aquele que odeia tudo o que é bom, tomou a forma de um anjo, e com ele dois outros, de maneira que pareciam os três anjos que trouxeram a Adão o ouro, o incenso e a mirra.
[2] Passaram diante de Adão e Eva, enquanto eles estavam sob a árvore, e cumprimentaram Adão e Eva com belas palavras cheias de engodo.
[3] Mas, quando Adão e Eva viram seu porte agradável e ouviram sua doce fala, Adão ergueu-se e recebeu-os e trouxe-os até Eva, e eles permaneceram todos juntos; o coração de Adão estava alegre enquanto isso porque pensava serem os mesmos anjos que lhe haviam trazido o ouro, o incenso e a mirra.
[4] Porque, quando estes vieram a Adão da primeira vez, deles veio-lhe paz e alegria, por lhe haverem trazido bons presentes; assim Adão pensou que estavam ali uma segunda vez para lhe dar outros presentes com que se alegrar. Pois não sabia que era Satã, portanto o recebeu com alegria e fez-lhe companhia.
[5] Então Satã, o mais alto dentre eles, disse: Rejubila-te ó Adão, e contenta-te. Vê, Deus nos mandou a ti para te dizermos algo.
[6] E Adão disse: Que é Então? Satã respondeu: É uma coisa leve, ainda que seja uma palavra de Deus, ouvi-la-ás de nós e fa-la-ás. Mas, se não ou vires, voltaremos a Deus e lhe diremos que tu não quiseste receber Sua palavra.
[7] E Satã disse novamente a Adão: Não te amedrontes nem te permitas que o tremor cai sobre ti; não nos conheces?
[8] Mas Adão disse: Eu não vos conheço.
[9] Então Satã disse-lhe: Eu sou o anjo que te trouxe o ouro e te levou à caverna; este outro é quem te trouxe o incenso; aquele terceiro é quem te trouxe a mirra, quando tu estava no topo da montanha, e quem te carregou à caverna.
[10] Mas, quanto aos outros anjos, nossos companheiros que vos transportaram para caverna, Deus não os enviou conosco desta vez; pois Ele me disse: Vós sois suficientes.
[11] Assim, quando Adão ouviu essas palavras, acreditou neles, e disse a esses anjos: Falai a palavra de Deus, para que eu possa recebê-la.
[12] E Satã lhe disse: Jura e promete-me que tu a receberás.
[13] Adão então disse: Eu não sei como jurar e prometer.
[14] E Satã lhe disse: Estende tua mão e coloca-a entre as minhas.
[15] Então Adão estendeu sua mão e colocou-a entre as mãos de Satã; quando Satã lhe disse: Diz e, agora: Tão verdade como Deus é vivo, racional e fala, e ergueu os céus no espaço, e firmou a terra sobre as águas, e criou-me dos quatro elementos e do pó da terra, eu não quebrarei minha promessa nem renunciarei à minha palavra.
[16] E Adão assim jurou.
[17] Em seguida Satã lhe disse: Vê, já é passado agora algum tempo desde que tu saíste do jardim, e tu não conhecias nem a maldade nem o mal. Mas agora Deus te diz que tomes Eva, que saiu de teu lado, e te unas a ela em matrimônio, para que ela te dê filhos para te consolar e afastar de ti o sofrimento e a tristeza; agora isto não é difícil nem há nisto nenhuma vergonha para ti.

[Capítulo 71]
[1] Mas, ao ouvir essas palavras de Satã, Adão muito se entristeceu por causa de seu juramento e sua promessa e disse: Hei de cometer adultério com minha carne e meus ossos e pecar contra mim mesmo, para que Deus me destrua, e me elimine da face da terra?
[2] Considerando que antes, quando eu comi da árvore, Ele me expulsou do jardim para esta terra estranha e privou-me de minha natureza luminosa e trouxe a morte sobre mim. Se, então, eu fizer isto, Ele arrebatará minha vida da terra e lançar-me-á ao inferno, e castigar-me-á ali por longo tempo.
[3] Mas Deus nunca pronunciou as palavras que tu me disseste; e vós não sois anjos de Deus, nem ainda enviados dEle. Mas sois demônios, vindos a mim sob a falsa aparência de anjos. Afastai-vos de mim; vós, amaldiçoados por Deus!
[4] Então aqueles demônios fugiram da presença de Adão. E ele e Eva ergueram-se e retomaram à Caverna dos Tesouros, e nela entraram.
[5] Em seguida Adão disse a Eva: Se tu viste o que eu vi, não o dize; pois eu pequei contra Deus jurando pelo Seu grandioso nome, e coloquei minha mão mais uma vez entre a de Satã. Eva, então, conteve-se como Adão lhe havia dito.
[6] Então Adão ergueu-se e estendeu suas mãos a Deus, implorando e pedindo-Lhe, em lágrimas, que lhe perdoasse o que houvera feito. E Adão permaneceu assim em pé e orando por quarenta dias e quarenta noites. Nem comeu nem bebeu até cair sobre o solo de fome e sede.
[7] Então Deus enviou Sua Palavra a Adão, ergueu-o de onde jazia e disse-lhe: Ó Adão, por que juraste em Meu nome, e por que fizeste um acordo com Satã mais uma vez?
[8] Mas Adão chorou e disse: ó Deus, perdoai-me, pois eu o fiz sem saber; acreditando que fossem anjos de Deus.
[9] E Deus perdoou Adão dizendo-lhe: Cuidado com Satã.
[10] E Ele retirou Sua Palavra de Adão.
[11] Então o coração de Adão consolou-se; e tomou Eva e saíram da caverna para preparar o alimento para seus corpos.
[12] Mas a partir daquele dia Adão lutou em seus pensamentos sobre seu casamento com Eva; temeroso de fazê-lo, com receio de que Deus ficasse irado com ele.
[13] Então Adão e Eva foram até o rio de água e sentaram-se à sua margem, como pessoas costumam fazer quando se divertem.
[14] Mas Satã invejava-os; e queria destruí-los.

[Capítulo 72]
[1] Então Satã, e dez dentre os de suas hostes, transformaram-se em donzelas, incomparáveis em graça a quaisquer outras no mundo inteiro.
[2] Surgiram do rio na presença de Adão e Eva e disseram entre si: Vinde, olharemos para os semblantes de Adão e Eva, que pertencem aos homens da terra. Quão belos são eles, e quão diferentes da nossa é a sua aparência. Em seguida vieram a Adão e Eva e saudaram-nos; e ficaram parados a admirá-los.
[3] Adão e Eva olharam para eles também e admiraram-se de sua beleza, e disseram: Há então, abaixo de nós, um outro mundo com tão belas criatura como estas?
[4] E aquelas donzelas disseram a Adão e Eva: Sim, certamente, somos uma criação numerosa.
[5] Então Adão lhes disse: Mas como vós vos multiplicais?
[6] E elas lhe responderam: Nós temos maridos que se uniram a nós em casamento, e nos lhes parimos filhos, que crescem, e que por sua vez casam-se e são dados em casamento e também geram filhos; e assim aumentamos em número. E se tu, ó Adão, não quiseres acreditar em nós, mostrar-te-emos nossos maridos e nossos filhos.
[7] Então elas gritaram por cima do rio como se estivesse chamando seus maridos e seus filhos, que saíram do rio, homens e crianças; e cada um veio até sua esposa, seus filhos com ele.
[8] Mas quando Adão e Eva os viram, ficaram estarrecidos e admiraram-nos.
[9] Então eles disseram a Adão e Eva: Vede nossos maridos e nossos filhos; uni-vos e casamento, como nós nos unimos a nossas esposas, e tereis filhos como nós. Isto era um ardil de Satã para enganar Adão.
[10] Satã também pensou consigo mesmo: Deus primeiro deu um mandamento a Adão concernente ao fruto árvore, dizendo-lhe: Não comas dele; senão de morte morrerás, Mas Adão comeu e ainda assim Deus não o matou: Ele apenas decretou morte, castigos e provações, até o dia em que abandonar seu corpo.
[11] Agora, então, se eu o enganar levando-o a fazer isto, e unir-se a Eva em casamento sem a ordem de Deus, Deus então o matará.
[12] Foi por isso que Satã operou esta aparição perante Adão e Eva; porque procurava matá-lo e fazê-lo desaparecer da face da terra.
[13] Entremente, o fogo do pecado apossou-se de Adão e ele pensou em cometer pecado. Mas conteve-se, receando que, se seguisse este conselho de Satã, Deus o mataria.
[14] Então Adão e Eva ergueram-se e oraram a Deus, enquanto Satã e suas hostes desceram para dentro do rio, na presença de Adão e Eva; para que eles vissem que estavam voltando para suas próprias regiões.
[15] Então Adão e Eva voltaram para a Caverna dos Tesouros, como necessitavam; por volta do anoitecer.
[16] E ambos ergueram-se e oraram a Deus aquela noite. Adão permaneceu em pé, orando, ainda que não sabendo como orar, por causa dos pensamentos de seu coração em relação ao seu casamento com Eva; e assim continuou até a manhã.
[17] E quando a luz surgiu, Adão disse a Eva: Ergue-te, vamos até o sopé da montanha, onde eles nos trouxeram o ouro, e perguntemos ao Senhor a respeito desse assunto.
[18] Então Eva disse: Qual é esse assunto, Ó Adão?
[19] E ele lhe respondeu: Que eu possa pedir ao Senhor que me informe sobre eu me unir a ti em casamento; pois não farei sem Sua ordem, com receio de que Ele nos faça perecer, a ti e a mim. Pois aqueles demônios fizeram meu coração arder com pensamentos do que eles nos mostraram, em suas visões pecaminosas.
[20] Então Eva disse a Adão: Por que precisamos ir até o sopé da montanha? E melhor erguermo-nos e orarmos a Deus na nossa caverna, para que saibamos se este conselho é bom ou não.
[21] Então Adão ergueu-se em oração e disse: Ah Deus, sabeis que Vos desobedecemos, e a partir do momento em que desobedecemos, fomos destituídos de nossa natureza luminosa; e nosso corpo tornou-se grosseiro, necessitando de alimento e água; e com desejos animalescos.
[22] Ordenai-nos, ó Deus, para que não lhes cedamos sem Vossa ordem, para que Vós não nos extingais. Pois se Vós não nos derdes a ordem, seremos dominados e seguiremos o conselho de Satã, e Vós novamente nos fareis perecer.
[23] Caso contrário, então tomai nossas almas, a minha e a de Eva; deixai-nos livres desta luxúria animal. E se Vós não nos derdes ordem nenhuma a respeito disto, então separai Eva de mim e a mim dela; e colocai-nos longe um do outro.
[24] Ainda mais, ó Deus, quando nos afastardes um do outro, os demônios nos enganarão com suas visões e destruirão nosso coração e deturparão nossos pensamentos de um em relação ao outro. Ainda se não for cada uma de nós em relação ao outro, em todo caso, acontecerá através de sua aparência quando eles se nos aparecerem. Aqui Adão terminou sua oração.

[Capítulo 73]
[1] Então Deus atentou para as palavras de Adão e viu que eram verdadeiras, e que ele podia aguardar por longo tempo Sua ordem, a respeito do conselho de Satã.
[2] E Deus aprovou Adão nas suas considerações e na oração que ele oferecera em Sua presença; e a Palavra de Deus veio a Adão e disse-lhe: Ó Adão, se ao menos tu tivesses tido este cuidado antes de sair do jardim para esta terra!
[3] Após isto, Deus enviou Seu anjo que havia trazido incenso e o anjo que tinha trazido mirra a Adão, para que o informassem a respeito de sua união com Eva.
[4] Então aqueles anjos disseram a Adão: Pega o ouro e dá-o a Eva como um presente de casamento e contrata o casamento com ela, então dá-lhe um pouco de incenso e mirra de presente; e então sede vós, tu e ela, uma só carne.
[5] Adão obedeceu aos anjos e pegou o ouro e colocou-o no peito de Eva, em sua vestimenta; e pediu-lhe sua mão.
[6] Então os anjos ordenaram a Adão e Eva que se erguessem e orassem por quarenta dias e quarenta noites; e, após isso, que Adão viesse ter com sua esposa; pois então isto seria um ato puro e não deturpado; e eles teriam filhos que se multiplicariam e povoariam a face da terra.
[7] Então ambos, Adão e Eva receberam as palavras dos anjos, e os anjos retiraram-se.
[8] Então Adão e Eva começaram a jejuar e orar, até o findar dos quarenta dias; e então uniram-se, como os anjos lhes haviam dito. E desde o tempo em que Adão deixara o jardim até o seu casamento com Eva se haviam passado duzentos e vinte e três dias, que são sete meses e treze dias.
[9] Assim Satã em sua guerra contra Adão foi vencido.

[Capítulo 74]
[1] E eles moraram na terra trabalhando para manter o bem-estar de seus corpos; assim estiveram até terminarem os nove meses da gravidez de Eva, e aproximara-se o tempo em que ela deveria dar à luz.
[2] Então ela disse a Adão Esta caverna é um lugar sagrado por causa das marcas nela depositadas desde que deixamos o jardim; e novamente oraremos aqui. Não convém, portanto, que eu dê à luz aqui; é melhor recorrermos ao abrigo da rocha que, Satã arremessou sobre nós quando nos quis matar com isto mas que foi sustentada e estendida como uma tenda sobre nós por ordem de Deus, formando uma caverna.
[3] Então Adão removeu Eva para aquela caverna; e quando chegou a hora em que ela daria à luz, ela labutou muito. Assim Adão penalizou-se, e seu coração sofreu por sua causa; pois ela estava próxima da morte; para que a palavra de Deus a ela fosse cumprida: Em sofrimento tu darás à luz teu filho.
[4] Mas quando Adão viu a aflição na qual Eva estava, ergueu-se e orou a Deus, e disse: Ah Senhor, olhai para mim com ó olho de Vossa misericórdia, e tirai-a de sua aflição.
[5] E Deus olhou para Sua serva Eva e libertou-a, e ela deu à luz seu primogênito e com ele uma filha.
[6] Então Adão alegrou-se com o parto de Eva e também com os filhos que ela lhe tinha dado. E Adão cuidou de Eva na caverna, até o fim de oito dias, quando eles chamaram ao filho Caim e à filha Luluva.
[7] O significado de Caim é aquele que odeia, porque ele odiou sua irmã no ventre de sua mãe; antes de eles saírem deste. Por isso Adão o chamou Caim.
[8] Mas Luluva significa bela, porque era mais bela que sua mãe.
[9] Então Adão e Eva esperaram até que Caim e sua irmã tivessem quarenta dias de vida, quando Adão disse a Eva: Faremos uma oferenda e a oferecemos pelas crianças.
[10] E Eva disse: Faremos uma oferenda pelo primogênito; e depois faremos uma pela filha.

[Capítulo 75]
[1] Então Adão preparou uma oferenda, e ele e Eva ofereceram-na por seus filhos e trouxeram-na ao altar que haviam construído antes.
[2] E Adão fez o oferecimento e suplicou a Deus que aceitasse sua oferenda.
[3] Então Deus aceitou a oferenda de Adão e enviou uma luz do céu que brilhou sobre a oferenda. E Adão e o filho aproximaram-se da oferenda, mas Eva e a filha mantiveram-se afastadas.
[4] Então Adão desceu do altar e eles se alegraram; e Adão e Eva esperaram até que a filha estivesse com oitenta dias de idade; então Adão preparou uma oferenda e a levou a Eva e às crianças; e eles foram ao altar, onde Adão a ofereceu, como precisava, pedindo ao Senhor que aceitasse sua oferenda.
[5] E o Senhor aceitou a oferenda de Adão e Eva. Em seguida Adão, Eva e as crianças reuniram-se e desceram da montanha, rejubilando-se.
[6] Mas eles não voltaram à caverna na qual nasceram; e sim foram à Caverna dos Tesouros, para que as crianças andassem por ela e fossem abençoadas pelas lembranças trazidas do jardim.
[7] Mas após terem sido abençoadas com estas lembranças, elas voltaram à caverna na qual nasceram.
[8] Entretanto, antes que Eva oferecesse a oferenda, Adão a levara e fora com ela ao rio de água no qual eles tinham se lançado antes; e ali eles se lavaram. Adão lavou seu corpo e Eva o seu, até se limparem, depois do sofrimento e aflição que haviam passado.
[9] Mas Adão e Eva, depois de se lavarem no rio de água, retomavam todas as noites à Caverna dos Tesouros, onde oravam e eram abençoados; e então voltaram à sua caverna, onde os filhos nasceram.
[10] Assim fizeram Adão e Eva até os filhos desmamarem. Então, quando eles estavam desmamados, Adão fez uma oferenda pelas almas dos filhos; além das três vezes, ele fazia uma oferenda por eles todas as semanas.
[11] Quando os dias de amamentação dos filhos terminaram, Eva novamente concebeu, e ao completar seus dias ela deu à luz mais um filho e filha; e eles chamaram ao filho Abel e à filha, Aclia.
[12] Então, ao final de quarenta dias, Adão fez uma oferenda pelo filho, e no final de oitenta dias ele fez mais uma oferenda pela filha e fez por eles como tinha feito antes por Caim e Luluva.
[13] Ele os trouxe à Caverna dos Tesouros onde receberam uma bênção, e então voltaram a caverna onde nasceram. Depois do nascimento destes, Eva parou de engravidar.

[Capítulo 76]
[1] E as crianças começaram a robustecer e a crescer em altura; mas Caim tinha o coração duro e mandava em seu irmão mais novo.
[2] E muitas vezes quando seu pai fazia uma oferenda, ele ficava para trás e não se juntava para oferecer.
[3] Mas, quanto a Abel, este tinha um coração manso, e era obediente a seu pai e sua mãe aos quais freqüentemente induzia a fazer uma oferenda, por que gostava disso; e orava e jejuava bastante.
[4] Então veio este sinal a Abel. Ao chegar à Caverna de Tesouros, e ver os bastões de ouro, o incenso e a mirra, ele perguntou a seus pais Adão e Eva a respeito deles, e disse-lhe Como é que vós os recebestes.
[5] Então Adão contou-lhe tudo o que lhes havia acontecido. E Abel sensibilizou-se com o que seu pai lhe contara.
[6] Mais tarde seu pai, Adão, contou-lhe das obras de Deus e do jardim; e depois disso ele permaneceu atrás de seu pai naquela noite inteira na Caverna dos Tesouros.
[7] E naquela noite, enquanto estava orando, Satã apareceu-lhe na figura de um homem, que lhe disse: Tu muitas vezes induziste teu pai para que fizesse uma oferenda, que jejuasse e orasse, por isso eu matarei e te farei desaparecer deste mundo.
[8] Mas, quanto a Abel, ele orou a Deus e expulsou Satã de perto de si; e não acreditou nas palavras do demônio. Então, quando raiou o dia, um anjo de Deus apareceu-lhe e lhe disse: Não diminuas nem o jejum, nem a oração, nem os oferecimentos de oblações a teu Deus. Pois, vê, o Senhor aceitou tua oração. Não tenhas medo da figura que apareceu a tí à noite e te ameaçou de morte. E o anjo o deixou.
[9] Então, quando era dia, Abel foi ter com Adão e Eva e contou-lhes a visão que tivera. Mas, ao ouvirem-no, lamentaram-se muito com isto, ainda assim não lhe disseram nada sobre isto; apenas o consolaram.
[10] Mas, quanto ao cruel Caim, Satã veio-lhe à noite, mostrou-se e disse-lhe: Já que Adão e Eva amam teu irmão Abel muito mais que amam a ti, e desejam uni-lo em matrimônio com tua bela irmã, porque eles o amam; mas desejam unir-te em matrimônio com tua desfavorecida irmã, porque eles te odeiam.
[11] Agora, portanto, eu te aconselho, quando eles o fizerem, que mates teu irmão; então tua irmã sobrará para ti; e a irmã dele será posta de lado.
[12] E Satã deixou-o. Mas o malvado permaneceu no coração de Caim, que procurou mais de uma vez matar seu irmão.

[Capítulo 77]
[1] Mas quando Adão viu que o irmão mais velho odiava o mais novo, procurou abrandar seu coração e disse a Caim: Toma, ó meu filho, dos frutos de tua plantação, e faze uma oferenda a Deus para que Ele possa te perdoar tua maldade e teu pecado.
[2] Ele também disse a Abel: Toma tu da tua plantação e faze uma oferenda e traze-a a Deus, para que Ele te possa perdoar tua maldade e teu pecado.
[3] Então Abel obedeceu à voz de seu pai e tomou de sua plantação, fez uma boa oferenda e disse a seu pai Adão: Vem comigo para mostrar-me como oferecer.
[4] E eles foram, Adão e Eva com ele, e mostraram-lhe como oferecer seu presente no altar. Então, após isso, permaneceram em pé e oraram para que Deus aceitasse a oferenda de Abel.
[5] Então Deus olhou para Abel e aceitou sua oferenda. E a Deus agradou mais Abel que sua oferenda, por causa de seu bom coração e corpo puro. Não havia vestígio de falsidade nele.
[6] Em seguida eles desceram do altar e foram para a caverna onde moravam. Mas Abel, por causa de sua alegria por ter feito sua oferenda, repetia-a três vezes por semana, seguindo o exemplo de seu pai Adão.
[7] Mas, quanto a Caim, ele não sentiu prazer no fazer oferendas; mas depois de muito empenho de seu pai, ofereceu seu presente uma vez; e quando ofereceu, seu olhar estava na oferenda que fez, e pegou a menor de suas ovelhas para ofertá-la, e seu olhar estava novamente sobre ela.
[8] Por isso Deus não aceitou sua oferenda, porque seu coração estava cheio de pensamentos assassinos.
[9] E assim todos viveram juntos na caverna onde Eva tinha dado à luz, até Caim completar quinze anos e Abel, doze.

[Capítulo 78]
[1] Então Adão disse a Eva: Vê, os filhos estão adultos; devemos pensar em achar esposas para eles.
[2] Então Eva respondeu: Como poderemos fazê-lo?
[3] Então Adão disse-lhe: Uniremos em matrimônio a irmã de Abel com Caim e a irmã de Caim com Abel.
[4] Então disse Eva a Adão: Eu não gosto de Caim porque ele é cruel, mas deixa-os estar até que ofereçamos ao Senhor por eles.
[5] E Adão não disse mais nada.
[6] Entremente, Satã veio a Caim na figura de um homem do campo e disse-lhe: Vê, Adão e Eva aconselharam-se sobre o casamento de vós dois; e eles concordaram em casar a irmã de Abel contigo e tua irmã com ele.
[7] Mas se não fosse por meu amor a ti, eu não te contaria isto. Ainda assim se tu seguires meu conselho, e me obedeceres, eu te trarei no dia de teu casamento belas vestes, ouro e prata em profusão, e meus parentes te servirão,
[8] Então Caim disse com alegria: Onde estão teus parentes?
[9] E Satã respondeu: Meus parentes estão num jardim ao norte, para onde eu pretendia levar teu pai Adão; mas ele não quis aceitar minha oferta.
[10] Mas tu, se aceitares minhas palavras e se vieres a mim após teu casamento, repousarás da miséria na qual estás; e repousarás e estarás em melhores condições que teu pai Adão.
[11] Com estas palavras de Satã, Caim abriu seus ouvidos e inclinou-se para sua fala.
[12] E ele não permaneceu no campo, mas foi à Eva, sua mãe, e bateu nela e amaldiçoou-a e disse-lhe: Por que, pretendeis tomar minha irmã uni-la em matrimônio com meu irmão? Acaso estarei morto’?
[13] Sua mãe, entretanto acalmou-o, e enviou-o ao campo onde estivera.
[14] Então, quando Adão chegou, ela contou-lhe o que Caim fizera.
[15] Mas Adão lamentou-se conteve-se e não disse palavra.
[16] Então pela manhã, Adão disse a Caim seu filho: Escolhe de teu rebanho os jovens e bons e oferece-os a teu Deus; e eu falarei a teu irmã para que faça a seu Deus um oferenda de grãos.
[17] Ambos obedeceram seu pai Adão e pegaram sus oferendas e ofereceram-nas na montanha do altar.
[18] Mas Caim comportou arrogantemente com seu irmão e empurrou-o do altar e não queria permitir-lhe que oferecesse seu presente no altar, mas oferecer o seu, com um coração orgulhoso, cheio de falsidade e fraude.
[19] Mas, quanto a Abel, este juntou pedras que estavam à mão, e sobre elas ofereceu seu presente com um coração humilde e livre de falsidade.
[20] Caim estava então em pé ao lado do altar no qual oferecera seu presente; e clamou a Deus que aceitasse sua oferenda; mas Deus não a aceitou dele; nem desceu um fogo divino para consumir sua oferenda.
[21] Mas ele permaneceu em pé reclinado sobre o altar, olhando com menosprezo e riso em direção de seu irmão Abel, para ver se Deus aceitaria sua oferenda ou não.
[22] E Abel orou a Deus para que aceitasse sua oferenda. Então um fogo divino desceu e consumiu sua oferenda. E Deus sentiu o doce aroma de sua oferenda, porque Abel O amava e rejubilava-se n’Ele.
[23] E porque Deus estava bem contente com ele, enviou seu anjo de luz na figura de homem que tinha participado de sua oferenda, porque Ele sentira o doce aroma de sua oferenda, e consolou Abel e fortaleceu seu coração.
[24] Mas Caim, vendo tudo isto que aconteceu com a oferenda de seu irmão, encolerizou-se por causa disso.
[25] Então abriu sua boca e blasfemou contra Deus, porque Ele não aceitara sua oferenda.
[26] Mas Deus disse a Caim: Por que estás de aparência triste? Sê justo para que Eu possa aceitar tua oferenda. Não é contra Mim que murmuras, mas contra ti mesmo.
[27] E Deus disse isto a Caim em resposta, e porque Ele o abominou e à sua oferenda.
[28] E Caim desceu do altar com cor mudada e o semblante angustiado, e foi ter com seu pai e sua mãe e contou-lhes tudo o que lhe havia sucedido. E Adão lamentou-se muito que Deus não aceitara a oferenda de Caim.
[29] Mas Abel desceu rejubilante e com o coração cheio de alegria, contou a seu pai e sua mãe como Deus havia aceitado sua oferenda. E eles alegraram-se com isto e beijaram sua face.
[30] E Abel disse a seu pai: Porque Caim empurrou-me do altar e não quis deixar-me oferecer meu presente sobre ele, eu fiz uma altar para mim e ofereci meu presente sobre ele.
[31] Mas, ao ouvir isto, Adão ficou muito penalizado, porque era o altar que ele construíra primeiro, e no qual havia oferecido seus próprios presentes.
[32] Quanto a Caim, ele estava tão mal-humorado e tão irado que foi ao campo; ali, Satã veio até ele e disse-lhe: Uma vez que teu irmão Abel refugiou-se junto a teu pai Adão, porque tu o empurraste do altar, eles beijaram sua face e alegraram-se com ele, muito mais do que contigo.
[33] Quando Caim ouviu estas palavras de Satã, encheu-se de fúria; não permitiu que ninguém o soubesse. Mas estava na espreita para matar seu irmão, até que o trouxe à caverna, e então lhe disse:
[34] Ó irmão, o campo está tão belo, e há nele tão belas e agradáveis árvores e fascinantes de se olhar! Mas, irmão, tu nunca estiveste um dia sequer no campo para te divertires lá.
[35] Hoje, ó meu irmão, desejo muito que venhas comigo para o campo, para te divertires e para abençoares nossos campos e nossos rebanhos, pois tu és justo, e eu te amo muito, ó meu irmão! Mas tu te afastaste de mim.
[36] Então Abel consentiu em ir ao campo com seu irmão Caim.
[37] Mas, antes de ir, Caim disse a Abel: Espera por mim, até que eu busque uma vara, por causa dos animais selvagens.
[38] Então Abel parou à espera, em sua inocência. Mas Caim, o zeloso, buscou uma vara e saiu.
[39] E eles puseram-se, Caim e seu irmão Abel, a andar pelo caminho; Caim falando com ele e confortando-o, para fazê-lo esquecer tudo.

[Capítulo 79]
[1] E assim eles continuaram até chegarem a um lugar ermo, onde não havia ovelhas; então Abel disse a Caim: Vê, meu irmão, estamos exaustos de andar, pois não vemos nenhuma árvore, nem fruta, nem vegetação, nem ovelhas, nenhuma das coisas sobre as quais me contaste. Onde estão aquelas tuas ovelhas que disseste para abençoar?
[2] Então Caim disse-lhe: Continua, e logo verás muitas coisas belas, mas vai na minha frente, até que eu te alcance.
[3] Então Abel foi adiante mas Caim permaneceu para trás.
[4] Abel caminhava em suas inocências, sem falsidade; não acreditando que seu irmão o mataria.
[5] Então Caim, quando alcançou, consolou-o com sua conversa, andando um pouco atrás dele; então apressou passo e golpeou-o com a vara golpe após golpe, até ele ficar sem sentidos.
[6] Mas, quando Abel caiu ao chão, vendo que seu irmão pretendia matá-lo, disse a Caim: Ó meu irmão, tem piedade de mim. Pelos seios que sugamos, não me golpeies! Pelo ventre que nos carregou e nos trouxe a mundo, não me golpeies até morte com esta vara! Se queres me matar, pega uma dessas pedras grandes, e mata-me de vez.
[7] Então Caim, o cruel, assassino sem coração, pegou uma grande pedra e golpeou com ela a cabeça de seu irmão até que seus miolos esvaziaram se para fora e ele encharcou-se em seu sangue, diante dele.
[8] E Caim não se arrependeu do que fizera.
[9] Mas a terra, quando sangue do justo Abel caiu sobre ela, tremeu, ao beber esse sangue, e queria eliminar Caim por isso.
[10] E o sangue de Abel clamou misteriosamente a Deus, para que o vingasse de seu assassino.
[11] Então Caim começou imediatamente a cavar a terra onde jazia seu irmão; pois estava tremendo por causa do medo que o acometeu, quando viu a terra tremer por sua causa.
[12] Então lançou seu irmão na cova que fizera e cobriu-o com pó. Mas a terra recusava-se a recebê-lo; e expeliu-o imediatamente.
[13] Novamente Caim cavou a terra e escondeu nela seu irmão; mas novamente a terra o lançou fora; por três vezes a terra assim lançou fora o corpo de Abel.
[14] A terra lamacenta lançou-o fora da primeira vez porque ele não era a primeira criação; e lançou-o fora da segunda vez e não queria recebê-lo porque ele era justo e bom, e foi morto sem uma causa; e a terra lançou-o fora da terceira vez e não queria recebê-lo para que permanecesse perante seu irmão em testemunho contra ele.
[15] E assim a terra zombou de Caim, até que a Palavra de Deus veio-lhe acerca de seu irmão.
[16] Então Deus ficou irado e muito desgostoso com a morte de Abel; e Ele trovejou do céu e lançou relâmpagos diante de Si, e a Palavra do Senhor Deus veio do céu a Caim, e disse-lhe: Onde está Abel teu irmão?
[17] Então Caim respondeu com o coração orgulhoso e a voz áspera: Como, ó Deus? Acaso sou o guardião de meu irmão?
[18] Então Deus disse a Caim: Amaldiçoada a terra que bebeu o sangue de Abel teu irmão; e tu, tu permaneces tremendo e sacudindo-te; isto será um sinal sobre ti, para seres morto por quem te encontrar.
[19] Mas Caim chorou porque Deus lhe dissera aquelas palavras; e Caim lhe disse: Ó Deus, quem me encontrar, matar-me-á; e serei eliminado da face da terra.
[20] Então Deus disse a Caim: Quem te encontrar não te matará. Porque, antes disso, Deus havia dito a Caim: Eu determinarei sete castigos para aquele que matar Caim. Pois quanto à palavra de Deus a Caim: Onde está teu irmão? Deus o disse de misericórdia por ele, tentando fazê-lo arrepender-se.
[21] Pois se Caim se tivesse arrependido naquela ocasião, e tivesse dito: ó Deus, perdoai-me meu pecado, e o assassínio de meu irmão, Deus então lhe teria perdoado seu pecado.
[22] E quanto a Deus dizendo a Caim: Amaldiçoado seja o solo que bebeu o sangue de teu irmão, isto também era a misericórdia de Deus para com Caim. Pois Deus não o amaldiçoara, mas amaldiçoou o solo; embora não fosse o solo que matara Abel e cometera iniqüidade.
[23] Pois convinha que a maldição caísse sobre o assassino; ainda assim, por misericórdia, Deus ordenou Seus pensamentos de maneira que ninguém o soubesse, e rejeitasse Caim.
[24] E Ele lhe disse: Onde está teu irmão? Para o que ele respondeu e disse: Eu não sei. Então o Criador lhe disse: Fica tremendo e sacudindo-te.
[25] Então Caim tremeu e ficou aterrorizado; e por este sinal Deus fez dele exemplo perante toda a criação, como o assassino de seu irmão. Também Deus trouxe tremor e terror sobre ele, para que ele pudesse ver a paz na qual estava antes, e ver também o tremor e o terror que suportava depois; a fim de que pudesse humilhar-se perante Deus, e arrepender-se de seu pecado e buscar a paz que desfrutara antes.
[26] E na Palavra de Deus que dizia: Eu determinarei sete castigos para quem matar Caim, Deus não estava procurando matar Caim pela espada mas Ele procurava, por ordem severa, fazê-lo morrer de jejum e oração e lamento, até a hora em que fosse libertado de seu pecado.
[27] E os sete castigos são as sete gerações que Deus deixou reservadas para Caim pelo assassínio de seu irmão.
[28] Mas, quanto a Caim desde que matara seu irmão não conseguia achar nenhum repouso em lugar algum; mais voltou a Adão e Eva, tremendo aterrorizado e manchado pelo sangue…

O Primeiro Livro de Adão e Eva
Primeira Parte
Segunda Parte

Veja também:
2) O Segundo Livro de Adão e Eva→
3) O Livro de Enoque→
4) Livro de Melquisedeque (a criação do universo)→
5) Livro dos Segredos de Enoque→
6) O Evangelho de Tomé→

Aviso: Eventuais propagandas exibidas abaixo desta Barra não tem aval deste Blog

Anúncios
Esse post foi publicado em Evangelho. Bookmark o link permanente.