O Filho de Deus

Quando Cristo Nasceu?
As Escrituras refutam qualquer insinuação sobre Cristo ter nascido em 25 de Dezembro.

No tempo do rei Herodes (romano) havia um homem de nome Zacarias, da ordem de Abias, que recebera o Oitavo-Turno de Uma-Quinzena para ministrar no seu ministério, conforme divisão feita por Daví, e que consistia em Vinte e Quatro Quinzenas que iniciavam-se no Primeiro Dia e no Meado de cada mês, de modo a fechar o Ano, quando tudo se repetia novamente; veja Calendário ao lado com as respectivas 24 Divisões.
E Davi, com Zadoque, dos filhos de Eleazar, e Aimeleque, dos filhos de Itamar, dividiu-os segundo o seu ofício no seu ministério. (1 Crônicas 24:3).
E os repartiram por sortes, uns com os outros; porque houve governadores do santuário e governadores da casa de Deus, assim dentre os filhos de Eleazar, como dentre os filhos de Itamar (1 Crônicas 24:5).
E saiu a primeira sorte a Jeoiaribe, a segunda a Jedaías,
A terceira a Harim, a quarta a Seorim,
A quinta a Malquias, a sexta a Miamim,
A sétima a Hacoz, a oitava a Abias
(oitavo turno para Abias, futuramente da casa de Zacarias, pai de João Batista),
A nona a Jesua, a décima a Secanias,
A undécima a Eliasibe, a duodécima a Jaquim,
A décima terceira a Hupa, a décima quarta a Jesebeabe,
A décima quinta a Bilga, a décima sexta a Imer,
A décima sétima a Hezir, a décima oitava a Hapizes,
A décima nona a Petaías, a vigésima a Jeezquel,
A vigésima primeira a Jaquim, a vigésima segunda a Gamul,
A vigésima terceira a Delaías, a vigésima quarta a Maazias.
(1 Crônicas 24:7-18)

A – Em Lucas 1:5, Zacarias cumpria seu ministério no Oitavo-Turno de Uma-Quinzena, quando ao oferecer o incenso, um Anjo do Senhor o apareceu e anunciou que Isabel, sua mulher, conceberia e teria um filho que se chamaria João Batista.
Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel.
E eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor.
E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos eram avançados em idade.
E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma,
Segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso.
E toda a multidão do povo estava fora, orando, à hora do incenso.
E um anjo do Senhor lhe apareceu, posto em pé, à direita do altar do incenso.
E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele.
Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João.
(Lucas 1:5-13).

B – Observando o Calendário ao lado podemos ver que a Oitava Turma, segundo o costume sacerdotal, corresponde à Segunda Quinzena do Mês Tamuz; o que no nosso calendário equivale a meados do Mês de Julho. Após o término do Turno-Sacerdotal Zacarias retornou para sua casa e Isabel concebeu.
E sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para sua casa.
E, depois daqueles dias, Isabel, sua mulher, concebeu, e por cinco meses se ocultou, dizendo:
Assim me fez o Senhor, nos dias em que atentou em mim, para destruir o meu opróbrio entre os homens.
(Lucas 1:23-25).

C – Depois disso, passados seis meses da gestação de Isabel, o Anjo apareceu, desta vez à Maria, e anunciou que Maria conceberia o Messias.
E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril;
(Lucas 1:35-36).

D – Passados mais três meses, ou seja, nove meses após o turno de Zacarias, João Batista nasceu no início do Mês de Zive, que corresponde em nosso calendário ao final de Abril e início de Maio.

E – Passados mais seis meses, completando-se os nove meses da gravidez de Maria, Cristo nasceu no início do mês de Bul, o que corresponde em nosso calendário ao período da Segunda-Metade do mês de Outubro.
E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem. Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
(Lucas 2:6-8).

Quando o Messias nasceu, os rebanhos estavam nos campos de dia e de noite, assim como seus pastores que se revesavam, o que indica que a estação não era chuvosa pois, no período chuvoso os rebanhos eram recolhidos aos apriscos.
Como é o clima em Dezembro, lá no Oriente Médio?
Nesta época (Dezembro) o Oriente Médio está na estação das chuvas, a considerada estação de inverno, fazendo muito frio. Por isso, os pastores teriam seus rebanhos recolhidos e abrigados nos apriscos, e não nos campos.
Entre os pastores se costuma enviar as ovelhas aos desertos por ocasião da páscoa, e recolhê-las no começo das primeiras chuvas. As primeiras chuvas começam no mês de Cheshvan (Heshvan, chamado de Bul), que no nosso calendário corresponde ao final de Outubro. Por conseguinte, Cristo não teria nascido em fim de Dezembro, quando neste período os rebanhos não estariam nos campos e sim nos abrigos, contrário ao que dizem as Escrituras. As Escrituras dizem claramente que os rebanhos estavam no campo, o que indica não ser o mês de Dezembro. Nos campos, os pastores receberam as “Novas” do anjo, sobre o nascimento de Cristo. Portanto, este período não era final de Dezembro.
Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. (Lucas 2:8-12).

Diante de tantas evidências nas Escrituras podemos afirmar que Cristo nasceu em torno do início do mês de Cheshvan (chamado de Bul), após meados de Outubro do nosso calendário.

O Dia da Morte e Ressurreição de Cristo

Quando lemos as Escrituras, a primeira vista, começamos acreditar, erroneamente, que Cristo foi crucificado num determinado dia da semana que, realmente, não condiz com a verdade.
Mas surge uma primeira pergunta: Qual a importância de sabermos o dia exato da morte de Cristo, já que foi há muito tempo atrás?

Deus trabalha de maneira a apontar-nos os caminhos e significados da sua obra, e repete-se de tempos em tempos para que não percamos de vista o que Ele tem nos feito através dos tempos, e como todo o “Velho Testamento” aponta para Cristo, toda a obra de Cristo aponta para a salvação, para a nova Jerusalém, para o Reino eterno. Deus marca o tempo: O memorial da criação, com seis dias de trabalho e o sétimo Deus reservou ao homem para estar com Ele, e que se faz repetir no deserto quando o Senhor envia o maná ao povo hebreu, com porção dobrada no sexto dia. Há outros sinais, como os doze filhos de Jacó, que formam as dozes tribos, os doze apóstolos, os três patriarcas – a Trindade; as sete igrejas declaradas no Livro de Apocalipse, os sete continentes, entre inúmeras repetições descritas por toda a Bíblia Sagrada. E o dia da morte de Cristo se faz mais importante, não por ela mesma mas pelo dia de sua ressurreição, a qual é marcada pelo sinal de Jonas, ou seja, três dias e três noite no ventre do peixe, ou melhor, no “ventre” da terra: Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra (Mateus 12:40).

• A Bíblia é clara: Cristo morreu na Sexta-feira. Onde está o erro, então?
• A Palavra de Deus não diz que Ele morreu numa Sexta-feira, e sim numa véspera de Shabbat.
• E qual a diferença entre Sexta-feira e véspera de Shabbat?
• Devemos, então, voltarmos à história e entendermos o que é para os judeus o Sábado, ou seja, o Shabbat.

Calendário Judaico X CivilClique Para Ver Ampliado

Shabbat, conforme o dicionário da Bíblia de Estudo Almeida, corresponde a: cessar; deixar de fazer algo, descansar. Na grande maioria dos casos, o shabbat é o sétimo dia da semana, ou seja, é o nosso dia de Sábado. É considerado, também, shabbat os dias de grande festividade religiosa, que nem sempre coincidiam com o sétimo dia semanal. Como exemplo a Páscoa, que é celebrada pelos judeus no mês primeiro, aos catorze do mês, no crepúsculo da tarde (mês de abibe ou nisã, equivalente ao nosso calendário março/abril): No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do Senhor (Levítico 23:5).
Eis aqui mais um sinal de Deus: Cristo foi morto à véspera da páscoa (13 de Abibe), no crepúsculo da tarde sepultado.
Veja conversão dos calendários Judaico X Gregoriano na figura ao lado.

Mas voltando ao assunto da véspera de Sábado, ou do shabbat, podemos comprovar que não é necessariamente a nossa Sexta-feira, mas sim véspera de um dia de descanso, podendo ser um Sábado-Semanal (7º dia) ou um Shabbat-Festivo, coincidente ou não com o sétimo dia da semana, de grande festa dos judeus.
Mas como comprovar que o dia semanal que Cristo morreu não foi a Sexta-feira?
Para melhor compreensão será usado a palavra hebraica shabbat no lugar da palavra portuguesa Sábado.
Conforme orientação de Cristo (João 5:39) e elogios de Paulo (Atos 17:11), é o nosso dever examinar as Escrituras.

Examinando em João 19:31 conseguimos o primeiro indício de que tipo de Shabbat estava sendo relatado neste versículo: “…pois era grande o dia daquele Shabbat…“.
Outro dado importante no início desse nosso estudo: Cristo foi sepultado no final da tarde, quando já iniciava-se o Shabbat (Lucas 23:53-54 e Mateus 27:57-58).
Obs.: Na contagem do tempo, os judeus marcam os seus dias iniciando-os no pôr-do-sol de um dia até o pôr-do-sol do dia seguinte.

Até agora vimos que Cristo foi morto na véspera de um Shabbat e sepultado ao anoitecer. Aqui começa a contagem dos dias:
O dia seguinte à morte de Cristo era Shabbat, portando descansaram segundo o mandamento (Lucas 23:56).

Portando já temos:
1. O dia da morte de Cristo – véspera do shabbat;
2. O dia seguinte – um dia de descanso – o shabbat.

Continuando a história, percebemos em Marcos 16:1, que passado o shabbat algumas mulheres compraram aromas para ungirem a Cristo.

Agora já descobrimos:
1. O dia da morte de Cristo – véspera do shabbat;
2. O dia seguinte – um dia de descanso – o shabbat.
3. Depois do shabbat (de páscoa) as mulheres foram comprar aromas para ungir a Cristo.

Nesse momento é necessário muita atenção e raciocínio lógico, pois esse dia seguinte não é narrado, porém é de fácil percepção quando analisado cuidadosamente.

Nos quatro evangelhos: Mateus, Marcos, Lucas e João, é narrado o encontro do sepulcro vazio, com pequenas diferenças que não se fazem importantes:
• Em Mateus 28:1 relata no findar do shabbat, ao entrar o primeiro dia da semana (Domingo);
• Em Marcos 16:2, e no primeiro dia da semana (Domingo), de manhã cedo, ao nascer do sol;
• Em Lucas 24:1 relata que no primeiro dia da semana (Domingo), alta madrugada, foram levar os aromas que haviam preparado;
• Em João 20:1 narra que no primeiro dia da semana (Domingo) Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro.
• Vimos aqui que logo ao findar o shabbat ou antes de clarear o primeiro dia da semana, as mulheres que foram comprar os aromas, foram até ao túmulo levando os aromas comprados logo após o shabbat.

Assim temos:
1. O dia da morte de Cristo – véspera do shabbat;
2. O dia seguinte – um dia de descanso – o shabbat.
3. Depois do shabbat as mulheres foram comprar aromas para ungir a Cristo.
4. O primeiro dia da semana, ou seja o Domingo, antes de clarear o dia, que já não encontraram o corpo.

• Olhando para os dias relatados notamos um desacerto, pois se descansaram o shabbat, e após ele foram fazer compras, e, as mesmas mulheres, foram no primeiro dia da semana, antes de clarear o dia, até o sepulcro. Há algo estranho, não é mesmo?
• Voltemos um pouco na história da vida de Cristo. Em Mateus 12:39-40 temos uma antecipação de Cristo para entendermos a história: O sinal de Jonas. Ele, Cristo, estaria três dias e três noites no coração da terra.
• Então usemos de coerência e raciocínio. Se depois do shabbat as mulheres foram comprar aromas, e se essas mesmas mulheres foram no primeiro dia da semana ao sepulcro logo cedo, podemos concluir que, à luz de informações anteriores sobre o shabbat, nessa semana houve dois shabbat, um religioso (páscoa) e um semanal, sendo o segundo (semanal) não relatado, porém subentendido porque antecedia o primeiro dia da semana.

Fechemos a conta agora dos dias, e descobriremos o dia que Cristo morreu, e o dia que Ele ressuscitou:
Voltemos um pouco na história da vida de Cristo. Em Mateus 12:39-40 temos uma antecipação de Cristo para entendermos a história: O sinal de Jonas. Ele, Cristo, estaria três dias e três noites no coração da terra.

Trazendo, agora, para os dias da semana usados atualmente:
1. Cristo morreu numa Quarta-feira às 15:00 horas aproximadamente (hora nona) (Marcos 15:34 e 15:37).
2. Cristo foi sepultado ao anoitecer, iniciando a contagem – Primeira noite (Quarta-feira).
3. Houve descanso do shabbat da páscoa – Primeiro dia e Segunda noite (Quinta-feira).
4. As mulheres saem para comprar e preparar os aromas – Segundo dia e terceira noite (Sexta-feira).
5. Houve o descanso do shabbat semanal – Terceiro dia (Sábado).
6. Cristo ressuscita.
7. As mulheres vão ao sepulcro ao iniciar o primeiro dia da semana (Domingo) e encontram o túmulo vazio.

Podemos afirmar, à luz dos evangelhos, que Cristo morreu numa Quarta-feira, e ressuscitou ao findar o shabbat (pôr-do-sol) e início do primeiro dia da semana. Trazendo para os nossos dias semanais, que iniciam a meia-noite e não no por do sol, certamente Cristo ressuscitou ao terceiro dia, no início do primeiro dia da semana judaica, ainda no atual sábado do Calendário-Gregoriano pois neste calendário o domingo inicia-se somente à meia noite, interrompendo assim a dispensação de Israel para dar início a dispensação da Igreja. A partir de sua ressurreição os homens já não são mais escravos do pecado e tem um novo Senhor, que nos comprou pagando com o Seu próprio sangue, e formando uma nova nação, a nação dos salvos, daqueles que herdarão a vida eterna, do reino que é sobre todos os reinos, sendo Cristo nosso Soberano Senhor.

Fonte: Celso L S Guerche.


Quanto a Data do Nascimento e Morte de Cristo

Não é prudente afirmar datas sobre o nascimento e morte de Cristo.

Desde os primeiros anos do Calendário Romano (Juliano/Gregoriano), devido a imperfeições deste calendário, e até os nossos dias, Imperadores alteraram e Papas suprimiram muitos dias deste calendário. Portanto, uma data no tempo de Cristo não corresponde a mesma data hoje.
Por exemplo: 12 de Outubro no tempo de Cristo não corresponde a 12 de Outubro hoje.
Outro fator relevante é que: Uma data de um determinado ano do calendário Judaico, e convertida para o calendário Gregoriano, não coincide com a mesma data nos anos seguintes, em ambos os calendários.
Por exemplo: 12/Outubro/2013 corresponde a 8/Cheshvan/5774, enquanto que 12/Outubro/2014 corresponde a 18/Tishrei/5775. Assim sendo, se dissermos que Cristo aniversaria em 8/Cheshvan/5774 (12/Outubro/2013), teríamos que comemorar seu próximo aniversário em 8/Cheshvan/5775, o que corresponderia a 01/Novembro/2014, e não 12/Outubro/2014.

O Calendário Gregoriano teve início em 1582 (o calendário Juliano foi seu antecessor):
Veja também: Calendário Gregoriano, Mudança para o Calendário Gregoriano
Dias de diferença entre o tempo de Cristo e Hoje:
A seguir as omissões de dias devidas à mudança de calendário (necessárias para implementar o novo esquema):
Em 1582 foi omitido 10 dias (quinta-feira 4 de Outubro de 1582 foi seguido da sexta-feira 15 de Outubro, este mês teve apenas 21 dias)
Até Março de 1700: 10 dias omitidos (como em 1582; porque 1600 foi ano bissexto)
De Março de 1700 a Fevereiro de 1800 : 11 dias omitidos (não existiu o dia 29 de Fevereiro de 1700)
De Março de 1800 a Fevereiro de 1900 : 12 dias omitidos (não existiu o dia 29 de Fevereiro de 1800)
De Março de 1900 a Fevereiro de 2000 : 13 dias omitidos (não existiu o dia 29 de Fevereiro de 1900; 2000 foi porém bissexto e existiu o dia 29-02-2000).
Agora, o papado sem poder direto não mais suprimiu nenhum dia.
As mudanças no calendário modificaram apenas as datas e não os dias da semana.
Por exemplo:
A Quinta-Feira 4 de Outubro de 1582 é seguida da Sexta-Feira 15 de Outubro, ficando assim:

Outubro de 1582
DOM SEG TER QUA QUI SEX SAB
     1   2   3   4~~15  16
17  18  19  20  21  22  23
24  25  26  27  28  29  30
31                        

O Calendário Juliano teve início no Ano 46 antes de Cristo e foi alterado no Ano 8 depois de Cristo.
Veja também: Calendário Juliano
O dia 4 de Abril de 2015 no Calendário Juliano é dia 21 de Março de 2015 no Calendário Gregoriano.


O Sacerdócio de Cristo

O Sacerdócio de Cristo é segundo a ordem de Melquisedeque, e não segundo a Lei:
Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;
A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.
Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos.
E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão.
Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas.
Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior.
E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive.
E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos.
Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro.
De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.
E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
(Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.
E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes),
Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque,
De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.
E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.

Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;
Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.
Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.
(Hebreus 7:1-28)

Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.
O Senhor enviará o cetro da tua fortaleza desde Sião, dizendo: Domina no meio dos teus inimigos.
O teu povo será mui voluntário no dia do teu poder; nos ornamentos de santidade, desde a madre da alva, tu tens o orvalho da tua mocidade.
Jurou o Senhor, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque.
O Senhor, à tua direita, ferirá os reis no dia da sua ira.
Julgará entre os gentios; tudo encherá de corpos mortos; ferirá os cabeças de muitos países.
Beberá do ribeiro no caminho, por isso exaltará a cabeça.
(Salmos 110:1-7)

Cristo é o mesmo Único Deus de quem Nele crê, e pelo qual o mundo foi feito:
Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,
A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.
O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;
Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles.
Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho?
E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem.
E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, E de seus ministros labareda de fogo.
Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.
Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu Com óleo de alegria mais do que a teus companheiros.
E: Tu, Senhor, no princípio fundaste a terra, E os céus são obra de tuas mãos.
Eles perecerão, mas tu permanecerás; E todos eles, como roupa, envelhecerão,
E como um manto os enrolarás, e serão mudados. Mas tu és o mesmo, E os teus anos não acabarão.
E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra, Até que ponha a teus inimigos por escabelo de teus pés?
Não são porventura todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?
(Hebreus 1:1-14)

Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs?
Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:
Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.
Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.
Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.
Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.
Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.
Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão.
Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.
Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.
Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor.
Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.
(Salmos 2:1-12)

A Igreja não é continuação de Israel. Israel e Igreja são dispensações distintas:
A dispensação de Israel é segundo a ordem da Lei dada aos Levitas.
A dispensação da Igreja é segundo a ordem de Melquisedeque.
A Igreja foi edificada para todos (Israel e Gentios) que aceitassem a remissão em Cristo (unicamente).
A Lei não tem vigor sobre a Igreja, mas somente para Israel:
Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; (Gálatas 3:13)
Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. (Gálatas 3:10)

Pela fé em Cristo recebemos o Selo de Deus, que nos garante a salvação:
Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa; (Efésios 1:13)
O verdadeiro crente em Cristo tem a salvação garantida, e ninguém jamais a tomará:
Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.
Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.
Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;
Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.
Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito.
Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.
Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.
Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
(Romanos 8:1-8)

A Igreja não era do conhecimento nem mesmo dos anjos do Céu, mas somente de Deus:
A Igreja (Dispensação da Graça de Deus), juntamente com seus nove Mistérios, foi ocultada a todos os profetas de todos os tempos, e revelada somente a Paulo. Portanto, nenhuma profecia do Antigo Testamento foi dirigida diretamente à Igreja, mas, para Israel e para o Mundo:
A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo,
E demonstrar a todos qual seja a comunhão do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;
Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus
,
(Efésios 3:8-10)

Conclusão:
Portanto, a guarda do sábado, os dízimos, os dez mandamentos, e todos os preceitos da Lei, não tem nenhum vigor sobre a Igreja de Cristo. O Cristão que insiste em cumprir mandamentos da Lei como ordenança, sinaliza para Deus dizendo que rejeita o sacrifício do único Cordeiro (Cristo) que tem o real poder de expiar seus pecados.
Mas o que para mim era lucro, passei a considerar como perda, por causa de Cristo.
Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da Lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé.
(Filipenses 3:7-9)

Ressalva:
Para o Cristão, a Lei tem a função de agregar experiências com base nos erros do homem parametrizado à lei, e conhecimento da meta que Deus traçou para trazer a nós o nosso salvador (Cristo). O Cristão que conhece a Lei, discernindo as duas dispensações (Israel e Igreja), absorve o Evangelho com maior consistência.
Para a Igreja, a Lei são sombras que revelaram o caráter pecaminoso e a incapacidade de auto-recuperação do homem, sobre a Terra.

Mais:
O Deus-Filho é desde o princípio e não somente a partir de sua primeira vinda, e seu ministério entre os homens é desde o Éden:
Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou. (João 8:58);
No princípio era o Verbo (filho de Deus), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (João 1:1);
Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu. (João 3:13);
Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste! (Mateus 23:37)

Genealogia de Adão até Cristo:
João, Capítulo 1, Versículos:
1 No princípio era o Verbo ←(Filho de Deus), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 Ele estava no princípio com Deus.
3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele ←(através do Filho de Deus), e, sem ele, nada do que foi feito se fez.
11 Veio para o que era seu, e os seus ←(Israel) não o receberam.
12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome;
14 E o Verbo ←(Filho de Deus) se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.
18 Ninguém jamais viu a Deus; o Deus_unigênito ←(Filho único de Deus), que está no seio do Pai, é quem o revelou.
.
As Escrituras Sagradas são desde Adão no Éden, e não somente a partir de Moisés em Gênesis.
Em Gênesis, Moisés resumiu os Livros dos profetas da antiguidade como, Adão, Enoque, Melquisedeque, entre outros.

Gênesis (2:7)
(7) E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.

Gênesis (2:22)
(22) E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.

Gênesis (4:1-2)
(1) E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.
(2) E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.

Gênesis (5:3)
(3) E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete.

Gênesis (5:4)
(4) E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou filhos e filhas.

1ºLivro de Adão e Eva (74:5-6)
[5] E Deus olhou para Sua serva Eva e libertou-a, e ela deu à luz seu primogênito e com ele uma filha.
[6] Então Adão alegrou-se com o parto de Eva e também com os filhos que ela lhe tinha dado. E Adão cuidou de Eva na caverna, até o fim de oito dias, quando eles chamaram ao filho Caim e à filha Luluva.

1ºLivro de Adão e Eva (75:11)
[11] Quando os dias de amamentação dos filhos terminaram, Eva novamente concebeu, e ao completar seus dias ela deu à luz mais um filho e filha; e eles chamaram ao filho Abel e à filha, Aclia.

1ºLivro de Adão e Eva (78:1-3)
[1] Então Adão disse a Eva: Vê, os filhos estão adultos; devemos pensar em achar esposas para eles.
[2] Então Eva respondeu: Como poderemos fazê-lo?
[3] Então Adão disse-lhe: Uniremos em matrimônio a irmã de Abel com Caim e a irmã de Caim com Abel.

2ºLivro de Adão e Eva (1:6)
[6] Quanto a Caim, quando o luto pelo seu irmão terminara, tomou sua irmã Luluva e casou-se com ela, sem consentimento de seu pai e sua mãe pois eles não podiam mantê-lo longe dela, por causa de seus corações

2ºLivro de Adão e Eva (2:8)
[8] Quanto a Adão, ele não conheceu novamente sua mulher Eva pelo resto dos dias de sua vida; nem mais nasceu-lhes descendência; mas apenas aqueles cinco, Caim, Luluva, Abel, Aclia e Seth.

2ºLivro de Adão e Eva (7:1-10)
[1] Quando nosso pai Adão viu que Seth tinha um coração perfeito, quis que ele se casasse; para que o inimigo não lhe aparecesse mais uma vez e o dominasse.
[2] Assim Adão disse a seu filho Seth: Eu desejo, ó meu filho, que tu te cases com sua irmã Aclia, a irmã de Abel, para que ela te dê filhos, que povoarão a terra; de acordo com a promessa de Deus a nós.
[3] Não tenhas medo, ó meu filho; não há vergonha nisso. Eu desejo que tu te cases, por receio de que o inimigo te vença.
[4] Seth, entretanto, não desejava se casar; mas por obediência as seu pai e sua mãe ele não disse palavra.
[5] Assim Adão casou-o com Aclia. E ele tinha quinze anos de idade.
[6] Mas quando completou vinte anos, ele gerou um filho, a quem chamou de Enos; e depois gerou outros filhos além deste.
[7] Quando Enos tornou-se adulto, casou-se e gerou Cainã.
[8] Cainã também tornou-se adulto, casou-se, e gerou Malaleel.
[9] Esses antepassados nasceram durante a vida de Adão e moraram na Caverna dos Tesouros.
[10] Então chegou a época dos novecentos e trinta anos de Adão, e dos cem de Malaleel. Mas Malaleel, ao tornar-se adulto, gostava de jejuar, orar e do trabalho duro; até que o fim dos dias de Adão aproximou-se.

2ºLivro de Adão e Eva (22:10)
Ao todo, nenhum de nossos antepassados ou de seus filhos permaneceu naquela Montanha Sagrada, com exceção destes três, Matusalém, Lamec e Noé. Pois todos os outros desceram da montanha e caíram no pecado com os filhos de Caim. Portanto, foi-lhes aquela montanha, e nenhum permaneceu nela salvo, aqueles três homens.


  GENEALOGIA DE ADÃO ATÉ CRISTO (Messias)
            ┌──────────┐
            │ADÃO & EVA
            └─────┼────┘
       ┌──────────┴────┬──────────┐
┌──────┴──────┐ ┌──────┴─────┐ ┌──┴───┐
│  (gêmeos)   │ │  (gêmeos)  │ │ Seth │
Cain e Luluva│ │Abel e Aclia│ │(Sete)│
└──┼──────┼───┘ └─────────┼──┘ └──┼───┘
   │ ┌──┐ │               │ ┌──┐  │
   └─┤██├─┘               └─┤██├──┘
     └┬─┘                   └┬─┘
  ┌───┴──┐             ┌─────┴──────┐
  │Enoque│             │Enosh (Enos)│
  └───┬──┘             └─────┬──────┘
   ┌──┴─┐              ┌─────┴───────┐
   │Irad│              │Kenan (Cainã)│
   └──┬─┘              └─────┬───────┘
  ┌───┴────┐           ┌─────┴───────────────┐
  │Mahujael│           │Mahalalei (Maalaleel)│
  └───┬────┘           └─────┬───────────────┘
  ┌───┴────┐           ┌─────┴────────┐
  │Matusael│           │Jared (Jarede)│
  └───┬────┘           └─────┬────────┘
  ┌───┴───┐            ┌─────┴────────┐
  │Lameque│            │Enoch (Enoque)│
  └───┬───┘            └─────┬────────┘
  ┌───┴─────┐          ┌─────┴────────────────┐
  │Tubalcaim│        ┌►│Methuselah (Matusalém)│
  └───┬─────┘        │ └─────┬────────────────┘
      │              │ ┌─────┴──────────┐
      │              ├►│Lamech (Lameque)│
      │              │ └─────┬──────────┘
      │              │ ┌─────┴──────┐
      │              ├►│ NOAH (NOÉ) │
      │             ██ └─────┬──────┘
      └────►                 ├──────────┬─────┐
                       ┌─────┴──────┐ ┌─┴─┐ ┌─┴──┐
                       │ Shem (Cem) │ │Cam│ │Jafé│
                       └─────┬──────┘ └─┬─┘ └─┬──┘
                       ┌─────┴──────┐   .     .
                       │  Arphaxad  │   .     .
                       └─────┬──────┘   .     .
                       ┌─────┴──────┐
                       │   Cainã    │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │  Shelah    │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │   Eber     │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │   Peleg    │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │    Reu     │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │   Serug    │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │   Nahor    │
                       └─────┬──────┘
                       ┌─────┴──────┐
                       │   Terah    │
                       └─────┬──────┘
                     ┌───────┴────────┐ ┌───────┐ ┌─────────┐
                     │ABRAHAM (Abraão)│→│ABRAHAM│→│ABRAHAM  │
                     │ & Sarai(Sara)  │ │e Hagar│ │e Quetura│
                     └───────┬────────┘ └───┬───┘ └────┬────┘
                      ┌──────┴──────┐       .          .
                      │Isac (Isaque)│       .          .
                      └──────┬──────┘       .          .
                      ┌──────┴──────┐
                      │Jacob (Jacó) │
                      └──────┬──────┘
     ┌───────┬────┬──────┬───┴─┬──────┬────────┬────────┬────────┬────────┬───────┬───────┐
┌────┴────┐┌─┴┐┌──┴───┐┌─┴──┐┌─┴──┐┌──┴──┐┌────┴───┐┌───┴───┐┌───┴───┐┌───┴───┐┌──┴──┐┌───┴────┐
│  Judah  ││Dã││Simeão││Levi││Gade││Asser││Benjamim││Zebulom││Issacar││Naftali││Rúbem││ (José) │
└────┬────┘└┬─┘└──┬───┘└─┬──┘└─┬──┘└──┬──┘└────┬───┘└───┬───┘└───┬───┘└───┬───┘└──┬──┘│Manassés│
┌────┴────┐ .     .      .     .      .        .        .        .        .       .   │ Efraim │
│  Perez  │ .     .      .     .      .        .        .        .        .       .   └───┬────┘
└────┬────┘ .     .      .     .      .        .        .        .        .       .       .
┌────┴────┐                                                                               .
│ Hezron  │                                                                               .
└────┬────┘
┌────┴────┐
│   Ram   │
└────┬────┘
┌────┴────┐
│Amminadab│
└────┬────┘
┌────┴────┐
│ Nahshon │
└────┬────┘
┌────┴────┐
│ Salmon  │
└────┬────┘
┌────┴────┐
│  Boaz   │
└────┬────┘
┌────┴────┐
│  Obed   │
└────┬────┘
┌────┴────┐
│  Jesse  │
└────┬────┘
┌────┴────┐
│  DAVI   │
└────┬────┘
     ├─────────────┐
     │        ┌────┴─────┐ Mateus 1:1-16 cita a árvore genealógica de José
     │        │  Nathan  │ Lucas 3:23-38 cita a árvore genealógica de Maria
┌────┴──────┐ └────┬─────┘ Ambas culmina em Davi. Ambas seguem as linhagens somente masculinas
│  Salomon  │ ┌────┴─────┐ Lucas começa em José, depois muda para o pai de Maria e segue até Adão
└────┬──────┘ │ Mattatha │ Mateus mantém a linhagem da paternidade masculina de Abraão até José
     │        └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
     │        │  Menna   │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│ Rehoboam  │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │  Melea   │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Abijah   │ │ Eliakim  │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │  Jonam   │
│   Asa     │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │  Joseph  │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│Jehoshaphat│ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │  Judah   │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Joram    │ │  Simeon  │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │  Levi    │
│ Ahaziah   │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │ Matthat  │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│  Joash    │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │  Jorim   │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│ Amaziah   │ │ Eliezer  │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │  Joshua  │
│  Uzziah   │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │   Er     │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│  Jotham   │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │ Elmadam  │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Ahaz     │ │  Cosam   │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │   Addi   │
│ Hezekiah  │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │  Melchi  │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│ Manasseh  │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │  Neri    │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Amon     │ │Shealtiel │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │Zerubbabel│
│ Josiah    │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │  Rhesa   │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│ Jehoiakim │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │ Joanan   │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│ Jeconiah  │ │  Joda    │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │  Josech  │
│ Shealtiel │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │  Semein  │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│Serubbabel │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │Mattathias│
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Abiud    │ │  Maath   │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │  Naggal  │
│ Eliakim   │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │  Hesli   │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│  Azor     │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │  Nahum   │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Sadoc    │ │  Amos    │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │Mttathias │
│  Achim    │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │  Joseph  │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│  Eliud    │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │  Jannal  │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│ Eleazar   │ │  Melchi  │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     │        ┌────┴─────┐
┌────┴──────┐ │  Levi    │
│ Matthan   │ └────┬─────┘
└────┬──────┘ ┌────┴─────┐
     │        │ Matthat  │
┌────┴──────┐ └────┬─────┘
│  Jacob    │ ┌────┴─────┐
└────┬──────┘ │   Eli    │
     │        └────┬─────┘
┌────┴──────┐ ┌────┴─────┐
│  Joseph   │ │  Maria   │
└────┬──────┘ └────┬─────┘
     └────┬────────┘
  ┌───────┴──────────┐
  │ CRISTO (Messias) │
  └──────────────────┘